Arquivos Mensais: dezembro 2010

Feliz Natal!

Direitos Humanos

Pergunta de entrevista da Folha de São Paulo com o secretário de segurança do Rio de Janeiro, José Mariano Beltrame:

A falta do cerco [na Vila Cruzeiro] foi o que permitiu a fuga?

Aquela imagem [dos traficantes fugindo no alto do morro] eu sei que chocou muita gente. Mesmo que eu tivesse com os pontos controlados, no Brasil só posso prender em flagrante ou com decisão judicial. Paro um cara daqueles. E aí? Se não tiver como provar que é traficante, por estar desarmado e sem droga?

Qual foi a orientação dada para que operação terminasse com poucas mortes?

Não quero matar ninguém. Hoje vocês me cobram porque fugiram. Se eu autorizo o helicóptero blindado a decolar com uma metralhadora automática, vocês iriam dizer: secretário, morreu gente ali que só estava com uma mochilinha nas costas.

E estava cheio de gente assim, sem arma. Esse cara botou uma camisa, se é que botou, e passou na cara do policial. Porque é o cara que gravita no tráfico. Porque o cara que está na moto lá embaixo para vender, não está armado. Se ele vai preso, perde só a droga. O fogueteiro não está armado, o cara da pipa na laje não está armado.

Se vais subindo, aqueles senhores lá em cima tem um aparato e pelo tempo que têm no tráfico vão ter um antecedente. Aquele que a mãe entregou, ela dizia, é envolvido com o tráfico. Fomos puxar os antecedentes e só tinha um furto de veículo. Aí fica até ruim para o delegado. Vou enquadrar o cara em associação para o tráfico porque a mãe dele está dizendo. Esse troço de fuga não é simples.

É isso que acontece na mídia brasileira… Invadir um presídio e matar dezenas de presos revoltosos: desumanidade. Invadir uma favela e deixar centenas de traficantes sairem vivos: falta de planejamento.

Consumo de Álcool e Gasolina

Desde quando trocamos de carro no ano passado nós anotamos data, quilometragem, litros abastecidos e preço do litro quando enchemos o tanque de combustível.

Como o carro é Flex, as vezes abastecemos com álcool (que agora chamam de Etanol) e as vezes com gasolina, dependendo do preço que mais compensa.

Abastecimentos com Álcool e Gasolina

Abastecimentos com Álcool e Gasolina (em litros, por mês)

A conta que ensinam é multiplicar o preço da gasolina por 0,7, chegando no maior valor a se pagar no álcool. Por exemplo, se a gasolina está R$ 2,50, multiplicando por 0,7 chega-se ao valor 1,75. Ou seja, se o álcool estiver custando menos de R$ 1,75, compensa abastecer com álcool.

Com base nos dados que anotamos, chegamos a algumas estatísticas nestes 18 meses com o carro:

  • Já percorremos 16.058 quilômetros com o carro.
  • Abastecemos 24 vezes com álcool, com preço médio de R$ 1,42, mínimo de R$ 1,15 e máximo de R$ 1,89, totalizando 768 litros de álcool .
  • Abastecemos 18 vezes com gasolina, com preço médio de R$ 2,47, mínimo de R$ 2,23 e máximo de R$ 2,60, totalizando 567 litros de gasolina.
  • O maior abastecimento foi com 46,9 litros de álcool.
  • O abastecimento mais caro foi R$ 114,94, quando enchemos o tanque com 44,4 litros de gasolina a R$ 2,59, em uma viagem.
  • A maior distância que já percorremos com um tanque foram 530 km, consumindo 44,7 litros de gasolina (média de 11,8km/l), nesta mesma viagem.
  • A menor distância que já percorremos com um tanque foram 286 km, consumindo 42,1 litros de álcool (média de 6,8km/l), no trânsito engarrafado de São Paulo.
  • O consumo médio com álcool foi de 8,5 km/l.
  • O consumo médio com gasolina foi de 10,5 km/l.

A conclusão que chegamos é que na maioria das vezes vale a pena abaster com álcool.

Em viagens sempre abastecemos com gasolina antes de sair de São Paulo, em um posto de confiança, pra ter de abastecer o mínimo possível na estrada, em postos que não conhecemos.

Fazemos isso pois com gasolina conseguimos rodar uma distância maior antes de ter de abastecer de novo. Dependendo da distância dá pra chegar no local de destino sem reabastecer e abastecer lá antes de voltar, perguntando pros moradores qual posto é bom.

%d blogueiros gostam disto: