Arquivos Anuais: 2010

Feliz Natal!

Direitos Humanos

Pergunta de entrevista da Folha de São Paulo com o secretário de segurança do Rio de Janeiro, José Mariano Beltrame:

A falta do cerco [na Vila Cruzeiro] foi o que permitiu a fuga?

Aquela imagem [dos traficantes fugindo no alto do morro] eu sei que chocou muita gente. Mesmo que eu tivesse com os pontos controlados, no Brasil só posso prender em flagrante ou com decisão judicial. Paro um cara daqueles. E aí? Se não tiver como provar que é traficante, por estar desarmado e sem droga?

Qual foi a orientação dada para que operação terminasse com poucas mortes?

Não quero matar ninguém. Hoje vocês me cobram porque fugiram. Se eu autorizo o helicóptero blindado a decolar com uma metralhadora automática, vocês iriam dizer: secretário, morreu gente ali que só estava com uma mochilinha nas costas.

E estava cheio de gente assim, sem arma. Esse cara botou uma camisa, se é que botou, e passou na cara do policial. Porque é o cara que gravita no tráfico. Porque o cara que está na moto lá embaixo para vender, não está armado. Se ele vai preso, perde só a droga. O fogueteiro não está armado, o cara da pipa na laje não está armado.

Se vais subindo, aqueles senhores lá em cima tem um aparato e pelo tempo que têm no tráfico vão ter um antecedente. Aquele que a mãe entregou, ela dizia, é envolvido com o tráfico. Fomos puxar os antecedentes e só tinha um furto de veículo. Aí fica até ruim para o delegado. Vou enquadrar o cara em associação para o tráfico porque a mãe dele está dizendo. Esse troço de fuga não é simples.

É isso que acontece na mídia brasileira… Invadir um presídio e matar dezenas de presos revoltosos: desumanidade. Invadir uma favela e deixar centenas de traficantes sairem vivos: falta de planejamento.

Consumo de Álcool e Gasolina

Desde quando trocamos de carro no ano passado nós anotamos data, quilometragem, litros abastecidos e preço do litro quando enchemos o tanque de combustível.

Como o carro é Flex, as vezes abastecemos com álcool (que agora chamam de Etanol) e as vezes com gasolina, dependendo do preço que mais compensa.

Abastecimentos com Álcool e Gasolina

Abastecimentos com Álcool e Gasolina (em litros, por mês)

A conta que ensinam é multiplicar o preço da gasolina por 0,7, chegando no maior valor a se pagar no álcool. Por exemplo, se a gasolina está R$ 2,50, multiplicando por 0,7 chega-se ao valor 1,75. Ou seja, se o álcool estiver custando menos de R$ 1,75, compensa abastecer com álcool.

Com base nos dados que anotamos, chegamos a algumas estatísticas nestes 18 meses com o carro:

  • Já percorremos 16.058 quilômetros com o carro.
  • Abastecemos 24 vezes com álcool, com preço médio de R$ 1,42, mínimo de R$ 1,15 e máximo de R$ 1,89, totalizando 768 litros de álcool .
  • Abastecemos 18 vezes com gasolina, com preço médio de R$ 2,47, mínimo de R$ 2,23 e máximo de R$ 2,60, totalizando 567 litros de gasolina.
  • O maior abastecimento foi com 46,9 litros de álcool.
  • O abastecimento mais caro foi R$ 114,94, quando enchemos o tanque com 44,4 litros de gasolina a R$ 2,59, em uma viagem.
  • A maior distância que já percorremos com um tanque foram 530 km, consumindo 44,7 litros de gasolina (média de 11,8km/l), nesta mesma viagem.
  • A menor distância que já percorremos com um tanque foram 286 km, consumindo 42,1 litros de álcool (média de 6,8km/l), no trânsito engarrafado de São Paulo.
  • O consumo médio com álcool foi de 8,5 km/l.
  • O consumo médio com gasolina foi de 10,5 km/l.

A conclusão que chegamos é que na maioria das vezes vale a pena abaster com álcool.

Em viagens sempre abastecemos com gasolina antes de sair de São Paulo, em um posto de confiança, pra ter de abastecer o mínimo possível na estrada, em postos que não conhecemos.

Fazemos isso pois com gasolina conseguimos rodar uma distância maior antes de ter de abastecer de novo. Dependendo da distância dá pra chegar no local de destino sem reabastecer e abastecer lá antes de voltar, perguntando pros moradores qual posto é bom.

Super Mario Bross e tempo livre

As vezes fico impressionado com o tempo livre e criatividade que algumas pessoas têm para se dedicar a criar arte como a abaixo.

Cursos de Especialização em Computação

Repassando a mensagem que recebi da lista de ex-alunos da UFSCar:

A Universidade Federal de São Carlos está oferecendo novas turmas para os Cursos de Pós-Graduação “Lato-Sensu” em Computação, indicado a profissionais de mercado da área de suporte que sejam portadores de diploma de curso superior.

Para esse ano (2011) estaremos oferecendo uma nova turma para o curso de especialização em REDES DE COMPUTADORES e uma nova turma para o curso de DESENVOLVIMENTO DE SOFTWARE PARA WEB.

As aulas serão realizadas as sextas feiras a noite e aos sábados pela manhã, de acordo com o calendário letivo, no Departamento de Computação da Universidade Federal de São Carlos, sito a Rodovia Washington Luiz, km 235 em São Carlos-SP.

O Curso estará sendo oferecido para um número máximo de 40 alunos.

Além dos objetivos de capacitação técnica dos profissionais, são também objetivos deste Projeto de Extensão o estabelecimento de um fórum para a interação do grupo de profissionais com problemas semelhantes, que é o caso dos técnicos de redes/suporte e os técnicos em desenvolvimento de software.

As inscrições para os cursos de pós-graduação lato sensu em computação podem ser feitas pessoalmente na Secretaria de Extensão no Departamento de Computação da UFSCar ou submetidas de forma eletrônica pelo site do Curso. Vale observar que devem observar a data limite, que é o dia 04 de dezembro de 2010.

Coloco-me a disposição de V.Sa. para maiores esclarecimentos, sendo que informações adicionais podem ser obtidas em http://latosensu.dc.ufscar.br ou por envio de mensagem a [email protected] ou ainda pelos telefones: Secretaria de Extensão (16) 3351-9494 (das 14h as 18h – de segunda a quinta e das 14h as 23h as sextas e das 8h as 12h aos sábados, com Bruna) ou então pela Secretaria de Pós-Graduação (16) 3351- 8233 (das 8h as 12h e das 14h as 18h, de segunda a sexta, com Cristina)

Prof. Dr. Sergio Donizetti Zorzo
(telefone 16-3351-8610)
UFSCar

Filmes Scott Pilgrim vs The World e Kick-Ass

Acabei de assistir o filme Scott Pilgrim vs The World (Scott Pilgrim Contra O Mundo) e foi como quando assisti Pulp Fiction (Pulp Fiction – Tempo de Violência) pela primeira vez, há mais de uma década.

O ritmo alucinante de Pulp Fiction foi utilizado em diversos filmes: Jackie Brown (Jackie Brown), Lock, Stock and Two Smoking Barrels (Jogos, Trapaças e Dois Canos Fumegantes), Snatch (Snatch – Porcos e Diamantes) e Amores Perros (Amores Brutos). Influenciou o cinema.

Os cortes nonsense, os efeitos visuais dos sons, dos movimentos, a mistura com Video Game e as incontáveis referências a vídeo games e bandas… fantástico! Creio que também vai influenciar o cinema, assim como Matrix fez.

Outro filme que havia assistido a algum tempo e não comentei foi o Kick-Ass (Kick-Ass – Quebrando Tudo), que também considero um divisor de águas. Ação, violência, mortes e crianças… provocando as mortes! Nunca havia assistido um filme que tratasse isso com uma naturalidade tão grande que chega a ser chocante: como serão os filmes futuramente? Me preocupa muito ver assassinato por armas de fogo ser tornando algo trivial no cinema, enquanto ficamos estarrecidos com massacres em escolas cometidos por adolescentes…

Síndrome de Maroteaux-Lamy

O que você faria aos 15 anos se tivesse Síndrome de Maroteaux-Lamy e tivesse parado de crescer aos 8 anos de idade?

A) Ficaria em casa para o resto da vida

B) Dublaria cantores no YouTube e chamaria o 50 cent pra participar de um clip

C) Tentaria um papel no show da Branca de Neve da Disney na Broadway

D) Iria trabalhar em minas de Ouro no Chile

Abaixo um vídeo com uma dica do que Keenan Cahill fez.

Comparação de transporte

Ainda não faz 2 meses que troquei de emprego e deixei de usufruir da comodidade do metrô.

No novo emprego já fui trabalhar de carro, ônibus, metrô + ônibus e metrô + trem, cada um com suas vantagens e desvantagens.

Hoje fui trabalhar de carro e percorri 18km em 45min com consumo médio de 7,9km/l. Com o álcool custando R$ 1,50, gastei R$ 3,42 de combustível, menos que os R$ 4,07 que gasto quando vou de metrô + ônibus (sem considerar os custos de manutenção, seguro e impostos, claro).

A ida é até tranquila. O problema é a volta, que chega a demorar, de transporte público, quase o dobro.

Já voltei de carro, carona, carona + metrô, ônibus + metrô, trem + Ponte Orca + metrô…

No cliente que estou agora o melhor transporte público pra voltar é, por incrível que pareça, pegar o trem para andar uma estação, pegar a Ponte Orca e pegar o metrô, fazendo ainda uma baldeação na estação Paraíso.

Eu sempre tive uma imagem muito negativa tanto do ônibus quanto do trem, envolvendo segurança e lotação. Continuo com o viés negativo no trem, mas o ônibus me surpreendeu. É consideravelmente pontual, cobre uma grande parte da cidade e não é tão lotado quanto parece, sempre tem algum banco que fica vazio no fundão. Graças às faixas excluivas para ônibus eles conseguem andar por lugares onde todos os carros estão parados, compensando em parte a morosidade de parar nos pontos para passageiros descerem e/ou subirem.

Jornalistas

O mapa da eleição presidencial mostra que a petista Dilma Rousseff teve desempenho melhor nas cidades pequenas e médias. Marina Silva (PV) colheu os resultados mais favoráveis em grandes colégios eleitorais, enquanto José Serra (PSDB) teve votação mais homogênea nos municípios de diferentes tamanhos.

Gostaria de saber o que o jornalista queria dizer com “votação mais homogênea nos municípios de diferentes tamanhos”…

Essa matéria está aqui.

Para Frente e Para o Alto, Montanha!

Consigo afirmar com 100% de certeza que o Matias, personagem dos Tropa de Elite e Tropa de Elite 2 já foi em São João del-Rei – Minas Gerais apenas pela foto abaixo.

Tropa de Elite 2 - Regimento de Montanha

Tropa de Elite 2 - Regimento de Montanha

O brevê escrito “MONTANHA” que está no braço dele diz que ele completou as 5 semanas do Curso Básico de Montanhismo no 11º Batalhão de Infantaria de Montanha – 11º BI Mth – Regimento Tiradentes em São João del-Rei – MG e é um Escalador Militar.

Falha de Segurança Nacional

Assisti hoje o filme Segurança Nacional.

Pensei que seria uma mistura de Top Gun e Tropa de Elite, mas o filme é fraco, bem fraco, extremamente fraco…

Os últimos 25 minutos do filme são tão surrealmente forçados que destróem o filme. Uma criança de 5 anos saberia conduzir uma situação como a apresentada no fim do filme com mais sabedoria que a ABIN, o Exército, o Presidente da República e a Polícia de Santa Catarina juntas…

São tantos erros de roteiro em apenas 25 minutos de filme que nem o Coiote do Papa Léguas conseguiria pensar em “planos” tão idiotas…

  • escorregar de uma ponte em um cabo de aço?
  • deixar uma refém em frente à porta aberta de uma garagem?
  • deixar uma bomba atômica explodir no mar e sair de helicóptero, com o EMP?
  • sair correndo por uma ponte em reforma com uma bomba atômica na mão?
  • identificar que o alvo é o palácio do governo e mandar uma dúzia de militares pra lá, sem mandar ninguém pra procurar e desarmar a bomba?
  • mandar um único cara ir resgatar a refém de um terrorista com uma bomba atômica, sem colete e armado apenas com uma pistola?
  • dizer que sabe que o alvo é o palácio do governador para só então mandar o exército para lá?
  • empinar a moto ao perseguir um avião?
  • ir no avião radar procurar o avião inimigo, ir no palácio do governo defender o palácio, ir no pier resgatar a refém, ir no morro falar com o informante, ir no avião do Presidente da República mostrar o relatório, ir no cativeiro resgatar os reféns, ir na prisão negociar com o preso… o cara se acha o quê, Bombril? Nem Jack Bauer em 24 horas faz o que Marcos Rocha (Thiago Lacerda) faz em uma.

Temível… temível… uma pena, pois a outra parte do filme é até que interessante.

Agora é esperar Tropa de Elite 2 e torcer pro Capitão Coronel Nascimento não nos decepcionar!

Compra de moedas para coleção

Hoje aproveitei o domingo e fui de metrô até feirinha da Praça da República, procurar moedas para tentar completar a minha coleção de moedas brasileiras.

Lá tem umas 10 barracas só de moedas, cédulas e selos, tanto brasileiros quanto do resto do mundo inteiro.

Comprei 13 moedas, a maioria por R$ 0,50, algumas por R$ 1,00 e uma de R$ 0,10 por incríveis 8 reais (que eu já tive mas meu irmão fez o favor de gastar)!

10 centavos de Real - 50 anos da FAO

10 centavos de Real - 50 anos da FAO

Aproveitei e comprei também 4 folhas de plástico para colocar moedas, pois guardar as moedas nos potes de filme de máquina fotográfica é terrível!

As moedas que comprei foram:

Cruzeiro Novo

  • 1 centavo de cruzeiro novo (1969)

Cruzeiro (primeira série)

  • 10 centavos de cruzeiro em cruproníquel (1970)
  • 20 centavos de cruzeiro em curproníquel (1970)
  • 1 cruzeiro em níquel (1970)
  • 1 centavo de cruzeiro da campanha Alimentos para o Mundo (1975)
  • 2 centavos de cruzeiro da campanha Alimentos para o Mundo (1975)
  • 5 centavos de cruzeiro da campanha Alimentos para o Mundo (1977)

Cruzeiro (terceira série)

  • 100 cruzeiros (1986)

Cruzado

  • 1 centavo (1986)
  • 5 centavos (1986)

Cruzado Novo

  • 1 cruzado novo (1989)

Cruzeiro

  • 5.000 cruzeiros (1992)

Real (primeira série)

  • 10 centavos 50 anos da FAO (1995)

Domingo que vem volto lá pra tentar conseguir as 16 que faltam. Hoje cheguei meio tarde e algumas barracas já estavam fechando.

Moedas Brasileiras

Quando era criança comecei a colecionar moedas brasileiras. Cruzeiro, Cruzeiro Novo, Real, Cruzado… era fácil colecionar moedas naquela época.

20 Cruzeiros - Ano que nasci, cidade que nasci

20 Cruzeiros - Ano que nasci, cidade que nasci

Segundo o site do Banco Central, as seguintes moedas já existiram no Brasil:

  • Réis (Império – 1822)
  • Réis (República – 1889)
  • Cruzeiro (1942)
  • Cruzeiro Novo (1967)
  • Cruzeiro (1970)
  • Cruzado (1986)
  • Cruzado Novo (1989)
  • Cruzeiro (1990)
  • Cruzeiro Real (1993)
  • Real (1994)

Eu tenho a maioria das moedas a partir de Cruzeiro Novo, algumas poucas de Réis ou do primeiro Cruzeiro.  Não tenho nenhuma de prata ou ouro.

Hoje eu lavei todas e nas de aço inoxidável eu fiz o processo químico de limpeza com vinagre branco/limão/sal e bicarbonato de sódio.

Quero ver se compro um folder para guardar as moedas e conservá-las assim, brilhando…

Alguns sites com as listas de moedas brasileiras:

Tem ainda um livro chamado As Moedas Contam a História do Brasil com a lista (e a história) de todas as moedas que já tivemos.

As moedas várias moedas que faltam em minha coleção (a partir do Cruzeiro Novo) e quanto elas costumam custar:

Cruzeiro Novo

  • 10 centavos de cruzeiro novo (1967) – R$ 1,00
  • 20 centavos de cruzeiro novo (1967) – R$ 1,00
  • 50 centavos de cruzeiro novo (1967) – R$ 2,00

Cruzeiro (primeira série)

  • 1 centavo de cruzeiro (1975) – R$ 3,00
  • 2 centavos de cruzeiro (1975) – R$ 3,00
  • 5 centavos de cruzeiro (1975) – indisponível
  • 1 cruzeiro do Sesquicentenário da Independência (1972) – R$ 2,00

Cruzeiro (segunda série)

  • 1 centavo de cruzeiro da campanha Alimentos para o Mundo (1985) – R$ 5,00
  • 5 centavos de cruzeiro da campanha Alimentos para o Mundo (1985) – R$ 6,00

Cruzado

  • 100 cruzeiros Centenário da Abolição da Escravatura – homem (1988) – R$ 5,00
  • 100 cruzeiros Centenário da Abolição da Escravatura – mulher (1988) – R$ 5,00
  • 100 cruzeiros Centenário da Abolição da Escravatura – criança (1988) – R$ 5,00

Cruzado Novo

  • 1 cruzado novo (1989) – R$ 3,00

Cruzeiro

  • 5.000 cruzeiros (1992) – R$ 5,00

Real (segunda série)

  • 2 reais comemorativa XV Jogos Pan-americanos (2007) – R$ 30,00
  • 2 reais comemorativa Centenário da Imigração Japonesa (2008)-  R$ 60,00

Como limpar moedas

Agora eu tenho uma penquena coleção de moedas britânicas e de euro, como já disse nesse post.

No entanto a maioria das moedas estão bem encardidas e eu gostaria de limpá-las.

Todos os colecionadores de moedas pregam que nunca deve-se limpar uma moeda, pois isso retira a pátina que se acumulou durante anos ou décadas na moeda, reduzindo seu valor para colecionadores em aproximadamente 90%. Sem contar que também retira a proteção natural criada durante a cunhagem.

Como não sou um colecionador sério, as moedas são mais lembranças de viagem que qualquer outra coisa, resolvi limpá-las.

Após pesquisar na Internet, achei três sites interessantes:

Adaptei os procedimentos dos dois sites em inglês e fiz o seguinte:

  1. lavei as moedas com água corrente e detergente (de lavar louça)
  2. fiz uma solução de vinagre branco, sal e suco de limão, deixei as moedas lá por aproximadamente 2 minutos
  3. lavei novamente as moedas com água corrente e detergente
  4. passei um pouco de limpa-inox para tentar dar um brilho
  5. lavei novamente com água corrente e detergente
  6. passei em uma pasta grossa de bicabornato de sódio e água
  7. lavei de novo

Nas moedas de cupro-níquel (as prateadas) o resultado foi excelente. Nas revestidas de bronze ou ouro nórdico (as douradas) elas perderam bastante a cor dourada e ficaram meio opacas. Nas revestidas de cobre (as alaranjadas) a limpeza foi incrível, mas elas ficaram meio rosadas.

Na primeira fila da linha abaixo tem moedas que não foram limpas. Na segunda linha tem moedas que foram limpas pelo método acima e na última linha algumas moedas novas, não-limpas.

Limpeza de moedas

Limpeza de moedas

Cada moda tem uma composição metálica diferente, gerando cores diferentes, conforme lista abaixo:

Libras (Reino Unido)

  • one penny e two pence – aço (ferro e carbono) revestido de cobre
  • five pence, ten pence e fifty pence – cuproníquel (75% de cobre e 25% de níquel)
  • twenty pence – 84% de cobre e 16% de níquel
  • one pound – 70% de cobre, 24,5% de zinco e 5,5% de níquel
  • two pounds – 76% de cobre, 20% de zinco e 4% de níquel (anel esterno) / cuproníquel (centro)

Euro (Zona do Euro na Europa)

  • one cent, two cents e five cents – aço revestido de cobre
  • five cents, ten cents e twenty cents – 89% de cobre, 5% de alumínio, 5% de zinco e 1% de estanho
  • one eurolatão niquelado (75% de cobre, 20% de zinco e 5% de níquel) (anel esterno) / sanduíche de cuproníquel, latão niquelado e cuproníquel (centro)
  • two euro – cuproníquel (anel esterno) / sanduíche de latão niquelado, níquel e latão niquelado (centro)

Real (moedas antigas)

  • um centavo, cinco centavos, dez centavos, vinte e cinco centavos, cinqüenta centavos e um real – aço inoxidável

Real (moedas novas)

  • 1 centavo e 5 centavos – aço revestido de cobre
  • 10 centavos e 25 entavos – aço revestido de bronze (cobre e estanho)
  • 50 centavos (1998-2001) – cuproníquel (cobre e níquel)
  • 50 centavos (2002 em diante) – aço inoxidável
  • 1 real (1998 a 2001) – alpaca (cobre, níquel, estanho e prata) (anel externo) / cuproníquel (centro)
  • 1 real (2002 em diante) – aço revestido de bronze (anel externo) / aço inoxidável (centro)

Organização de Contatos

Meu pai tem 10 irmãos, todos ainda vivos e morando em Minas Gerais. A maioria em Conselheiro Lafaiete, mas alguns em Belo Horizonte, Catas Altas da Noruega e Piranga.

Apenas um dos irmãos tem e-mail, mas nem por isso eles deixam de se organizar e se reunem, pelo menos duas vezes por ano, na “fazenda” que era do meu avô. Meu pai tem em um pedaço de papel que carrega na carteira a data de nascimento e telefone de cada um deles, sempre ligando para desejar feliz aniversário, tanto aos irmãos quanto aos cunhados/cunhadas, sobrinhos, primos…

Irmãos em frente à Fazenda

Irmãos em frente à Fazenda

Essas reuniões são legais. Eles colocam as novidades em dia, contam causos do passado e vão integrando os filhos, netos e bisnetos à essa sadia tradição de família.

Aos meus 28 anos faço parte da denominada geração Y. Começamos a usar computador quando a Internet estava começando a surgir no Brasil. Uma geração intermediária entre todas as “pré-Internet” e as atuais, “pós-Internet”.

Não sei se todos nós dessa geração temos essa dificuldade ou se sou apenas eu, de organizar os contatos. Majoritariamente eu falo com eles por e-mail e telefone, mas eles estão em diversos lugares diferentes:

  • Lista de contatos do Celular (telefone)
  • Lista de contatos do GMail (e-mail)
  • Lista de folowing do Twitter (twitter)
  • Lista de contatos do Outlook (e-mail profissional)
  • Lista de amigos no Orkut (e-mail, telefone, aniversário, dados pessoais, etc.)
  • Lista de amigos no Facebook (e-mail, telefone, aniversário, dados pessoais, etc.)
  • Lista de contatos no LinkedIn (e-mail, empresa, dados profissionais)
  • Lista de contatos no Skype (telefone, e-mail, aniversário)
  • Lista de contatos no MSN/Live! (e-mail)
  • Lista de contatos em Grupos de Discussão (e-mail)
  • Lista de rostos no Picasa (e-mail)

São inúmeras redes diferentes, algumas vezes com diferentes e-mails para as mesmas pessoas. Se somar isso tudo devem chegar a uns 4.000 contatos, sendo que se agrupar por pessoas, sem repetir, chega-se a umas 800 pessoas. Acabo me comunicando com apenas umas 20…

Eu gostaria de ter uma única lista de pessoas, em um único lugar, onde fosse possível, de forma bem prática, incluir os diferentes e-mails, perfis em comunidades, telefones, dias de aniversário… Gostaria de sincronizar isso com meu celular, minha lista de contatos no GMail, os rostos das pessoas no Picasa, achar essas pessoas nas comunidades em que faço parte, sem ficar duplicando pessoas.

Tive essa dificuldade agora. Através do Picasa coloquei nome nos rostos das pessoas que estão nas fotos que tirei na época da faculdade e nas que tirei no meu último trabalho. Depois convidei todos que foram identificados para acessarem os álbuns com as fotos em que cada um está. O problema é que eu usei como base o e-mail que está no GMail. Para algumas pessoas eu não tinha e-mail, para outras tinha e-mail desatualizado… Então eu não convidei a “pessoa”, mas um “e-mail da pessoa” que eu achava que era o principal.

Assisti há um tempo uma apresentação do Paul Adams, “Senior User Experience Researcher” do Google, que falava de diversos níveis de “intimidade” entre os contatos, que eu concordo plenamente. Seria muito interessante se surgisse alguma iniciativa com essa abordagem, para organizar os contatos em “pessoas” e não em e-mails, telefones, nicknames, perfis…

Eu até já tentei utilizar dois softwares que tentam organizar os contatos, mas não conseguem: Gist e Etacts. Acho que o problema nesse caso é eles importam a lista de contatos do Gmail e lá tem muito e-mail que não é contato, apenas enviamos algum e-mail pedindo orçamento de alguma coisa, confirmando pagamento de algum produto do Mercado Livre, informando que mandou um e-mail por engano, sem contatar os vários endereços e-mails de uma mesma pessoa…

Se você informatizar uma bagunça, só vai ter uma bagunça mais rápida.” – Professor do Zé Paulo

%d blogueiros gostam disto: