Arquivos Mensais: julho 2007

Cordel do Fogo Encantado é Pan

Ví lá no “O Tabaréu” que o Cordel do Fogo Encantado participou da cerimônia de abertura do Pan!

Amianto, Planos de Saúde e Botecos

Em 2004 Michael Buffington criou o Asbestos Blog, blog especializado em falar de amianto, simplesmente para ganhar dinheiro com o AdWords do Google.  Saiu na Business Week, Slashdot e mais um monte de lugares famosos. Deu certo em partes…

Hoje conheci dois blogs brasileiros especialistas em um tema, ambos do Marcel Souza:

Talvez eu goste tanto de blogs temáticos pelo fato do meu ser uma panacéia de assuntos!

Monotoração de uptime de site

O Alexandre Rauta comentou na lista Blogosfera que as vezes o blog dele ficava fora do ar e queria saber de um serviço que ficasse checando se o site está online ou não.

O Carlos Carvalho (do iftk que falei ontem) indicou o SiteUptime. Tem um plano gratuito que monitora de 30 em 30 minutos para ver se 1 site está funcionando e ainda tem relatório com gráfico e tudo! Vou testar e daqui a um mês digo o que achei.

Protegido: Internet is for Porn

Este conteúdo está protegido por senha. Para vê-lo, digite sua senha abaixo:

Como escrever para o Google

Tá certo que eu já fiz um post única e exclusivamente para receber visitas do Google e tentar levá-las no Submarino, mas foi só um, para testar!

Hoje entrei no iftk e é terrível ler, pois todas as frases de todos os posts têm mais palavras chave que conjunções!

Comparação entre Congonhas e Guarulhos

No meio de blá, blá, blá, Congonhas isso, blá, blá, blá, Congonhas aquilo, o Jonny Ken Itaya fez o melhor comparativo entre os dois aeroportos.

Segurança aérea no Brasil

 “Providências no sentido técnico e político precisam ser tomadas. Ninguém mais se sente seguro voando. Eu não me sinto. Os brasileiros estão fadados a não se deslocar mais.” – Dom Pedro Luiz Stringhini, bispo auxiliar da Arquidiocese de São Paulo

Segundo a Aviation Safety Network, já ocorreram no Brasil 191 acidentes aéreos fatais (incluindo o da TAM em 17 de Julho), com um total de 2.658 mortes, uma média de 14 mortes por acidente ou 41 por ano. Eles registram 420 acidentes desde 1943, portanto a média de acidentes com vítimas fatais é de 3 por ano.

Apenas em 2005 morreram no trânsito brasileiro 26.409 pessoas e 513.510 ficaram feridas, em um total de 383.371 acidentes com vítimas! Isso significa que a cada 15 acidentes com vítima, 1 pessoa morre e 20 ficam feridas, ou melhor, em 2005  a cada 20 minutos ocorrem 15 acidentes, com 1 morte e 20 feridos!

Quer mais? Em um mês e uma semana morrem no trânsito brasileiro o mesmo número de pessoas que já morreram em 64 anos de aviação no Brasil…

Então não me venha dizer que voar não é seguro! E digo isso só tendo voado três vezes… tirando o do salto de paraquedas.  Não faz idéia de como me irrita o sensacionalismo da mídia em torno de grandes acidentes, como se fosse o fim do mundo!

Plugin Post Notification não envia e-mail

Configurar o e-mail aqui no WordPress tá mais complicado que eu imaginava… o Comment Email Responder está funcionando mas o Post Notification não… mesmo eu tendo instalado o Swift SMTP!

O primeiro plugin tem uma opção para enviar utilizar um “Formato Alternativo”, pois “The standard format for sender is “Name <email>”, which works fine most of the time. It can cause some problems in Windows hosting, so if you get an error when emailing a comment untick this box to use an alternative format” e com essa opção marcada ele não envia e-mails… e meu host é Windows. Pimba, taí a solução, o servidor só aceita From: [email protected], não aceita From: “Meu Nome” <[email protected]>.

Portanto existem três soluções:

  1. alterar o plugin Swift SMTP para verificar se o host é Windows e se for fazer um parser do header do e-mail para deixar apenas o e-mail (melhor solução, funciona para todos os plugins)
  2. alterar o plugin Post Notification para incluir uma opção de “Formato Alternativo”, como no plugin Comment Email Responder (melhor solução, corrige apenas o plugin Post Notification)
  3. alterar o código do plugin Post Notification para enviar apenas o e-mail (solução mais rápida, corrige apenas o plugin Post Notification)

Como tenho aula às 8:30, fiz a solução mais rápido. Basta ir em “Plugins” -> “Editor de Plugins” -> “Post Notification” e trocar a linha abaixo:

[code lang=”php”]$header .= “From: \”$from_name\” <$from_email>$hdr_nl”;[/code]

por

[code lang=”php”]$header .= “From: $from_email$hdr_nl”;[/code]

Aeroporto Kai Tak, de Hong Kong

Aeroporto Tai Kai, dias atuaisDesde que vi os vídeos abaixo no YouTube! me tornei fã do Kai Tak, desativado em Julho de 98 pois não podia mais crescer, para a utilização do ultramoderno Chep Lap Kok.

O local era uma base aérea britânica em 1925, que a partir de 1936 começou a ser utilizado comercialmente. Sua única pista tinha 2.529 metros até 1975, quando foi aumentada para 3.390 metros. Como estava entre o mar e uma montanha, era preciso contornar a montanha e fazer a aproximação com o avião a 47º do eixo da pista! Imagina um Boeing 747 pousando lá em 1970… Em 1996 esse era o maior terminal de carga do mundo e o 3º maior em número de passageiros. fonte

Um dado interessante é que nesses 60 anos de operação, apenas 5 aviões foram parar no mar e o número total de acidentes com morte doi de 12, incluindo sequestro, bomba, turbina com defeito e 2 tufões.

No JetSite tem um relato interessante dele, contato por um piloto brasileiro.

Se estão falando que o acidente em Congonhas era inevitável, então no Tai Kai seria o quê?

Acidente aéreo, previsões e autoridades

Até então não tinha comentado sobre nenhum blog que falou sobre o acidente da TAM, mas encontrei o primeiro post sensato: Acidente uma ova, do Alexandre Inagaki, com comentários interessantes do Marcus Pessoa e link para o interessante post do jornalista Luiz Carlos Azenha.

Os três concordam com um ponto: nós brasileiros, além especialistas em transponder, também somos especialistas em grooving, além de ótimos vídentes, uma vez que é consenso dizer que esse acidente ia acontecer mais cedo ou mais tarde… No entanto, eu compartilho da visão do Marcus Pessoa, de que esse tipo de acontecimento não é previsível.

Para concluir só digo o seguinte: os brasileiros somos pós-especialistas em tragédias e pós-visionários de que elas iriam acontecer.

Feed RSS antigo

Até então a única desvantagem que eu vejo em ter migrado meu blog do Blogger para o WordPress é que várias pessoas assinavam meu blog no feed do Blogger, que está desatualizado desde que migrei para o WordPress.

Preciso achar um jeito de quando fizer um novo post, o feed antigo seja atualizado ou fazer com que ele redirecione para o feed novo.

Update: fiz a gambiarra mór! Apaguei os arquivos rss.xml e atom.xml antigos e criei os diretórios rss.xml e atom.xml. Dentro destes diretórios coloquei um arquivo index.php com o seguinte conteúdo:

[code lang=”php”]

[/code]

Envio de e-mail no WordPress

Não estou conseguindo enviar e-mails no WordPress… recebo a seguinte mensagem:

SMTP server response: 503 This mail server requires authentication when attempting to send to a non-local e-mail address. Please check your mail client settings or contact your administrator to verify that the domain or address is defined for this server.

Tem de configurar alguma coisa em algum lugar?

Update: o WordPress estava utilizando a função genérica mail(). Para utilizar SMTP, instalei o Swift SMTP Plugin e agora está funcionando.

Testemunha ocular do acidente da TAM

O Josué, um amigo que trabalha comigo foi ontem buscar a esposa no aeroporto de Congonhas e viu o avião caindo e explodindo:

Estava eu indo buscar minha esposa no aeroporto de Congonhas, eram por volta de 19 horas, resolvi parar o carro em frente ao aeroporto, aguardando a ligação dela (ela estava vindo de “TAM” de MG). Estacionei do lado do posto Shell e fiquei de frente para a Whashigton Luis. Estava ouvindo os programas de esportes do fim de tarde, ouvindo o Neto xingar a diretoria do Corinthians … e bla bla bla … De repente vejo algo incrível, o avião da “TAM” saindo da pista e vindo na minha direção, baixo, caindo … sem acreditar no que estava vendo, ele caiu em cima do posto ta “TAM” e BUMMMM … explodiu … eu sem acreditar, … sai do carro, aquela bola de fogo enorme do meu lado, sai correndo, deixei o carro aberto com a chave e o rádio ligado, rs e … percebendo que dava pra voltar, voltei correndo, peguei o carro e consegui sair daquela tragédia, andei uns 50 metros na avenida com o carro e parei em frente um Hotel. Fiquei olhando de longe aquela loucura, muito fogo, muita fumaça e muita gente não querendo acreditar no que estava acontecendo … enfim … minha esposa ligou e fui ao encontro dela … fiquei em estado de choque algum tempo, … sem acreditar no que tinha acabado de ver … algo que jamais irei esquecer ….

Ele estava aqui:

Josué estava ao lado de onde caiu o avião

A montagem abaixo é da Folha de São Paulo, mostrando onde o avião caiu. O Josué estava com o carro estacionado na rua Otávio Tarquinio de Sousa.

Como foi o acidente da TAM

Estatísticas de Aviação e Transporte Terrestre

Primeiramente a estatística “Acidentes Aeronáuticos na Aviação Civil Brasileira de 1979 a 2007” é alarmante. Acontecem muito mais acidentes que eu imaginava e no mínimo 34 pessoas morreram em cada ano. No entanto, o número de acidentes diminuiu consideravelmente nos últimos 30 anos, como mostra este outro gráfico, mesmo com o aumento da frota, como mostra essa comparação. O gráfico “Acidentes Aeronáuticos por Tipo de Operação em 2007” alivia um pouco esse número, pois apenas 25% dos acidentes são da aviação privada, o restante é da aviação agrícola, de instrução, táxi aéreo (o maior causador) e aviação pública.

Um dado que me chamou atenção é que helicópteros se acidentam quase o dobro que outras aeronaves, pois enquanto de 98 a 2005 a média da porcentagem de helicópteros em relação a outras aeronaves foi de 9%, a média da porcentagem de acidentes com helicópteros em relação ao total de acidentes foi de 20%.

No Anuário Estatístico do Transporte Aéreo de 2005 achei duas informações interessantes: quilômetros voados e número de passageiros transportados na aviação doméstica. Neste mesmo anuário tem a evolução do número de passageiros transportados, de 1996 a 2005.

O Anuário Estatístico de Acidentes de Trânsito de 2005 traz dados inicialmente não tão chocantes: em média, de 98 a 2005, de cada 10.000 veículos 95 se acidentam com vítimas (fatais ou não) ferindo 116 e matando 6 pessoas.

Agora a parte difícil, criar comparações entre essas diversas estatísticas distintas. Cheguei à seguinte lista:

  • número de acidentes/frota
  • número de vítimas fatais/número de acidentes
  • número de vítimas fatais/frota

Para criar estatísticas mais interessantes eu precisaria de algumas informações:

número de vítimas totais (ou não fatais) na aviação

  • número de vítimas/número de acidentes
  • número de vítimas/frota
  • número de vítimas não fatais/número de acidentes
  • número de vítimas não fatais/frota

percentual da população que utiliza transporte aéreo ou número de passageiros únicos na aviação

  • população usuária/número de acidentes
  • população usuária/número de vítimas fatais

total dos quilômetros rodados pelos automóveis – impossível medir

  • número de acidentes/quilômetro voado/rodado
  • número de vítimas fatais/quilômetros voado/rodado

O que é mais perigoso, viajar de avião ou carro?

Spyker F1 vs F16Hoje chegando no trabalho ouvi diversos comentários do tipo “nunca mais viajo de avião“, “ainda bem que não preciso ficar viajando de avião” e semelhantes.

No entanto eu tenho a tese de que é mais perigoso viajar de carro que de avião, pois imagino que o número de acidentes fatais com carros é proporcionalmente muito superior ao com aviões.

A mídia noticia como “uma terrível tragédia” acidentes aéreos pois morrem muitas pessoas, têm explosões, pânico em aeroportos e quase não acontecem, enquanto que acidentes rodoviários já se tornaram rotina.

A minha tese só seria refutada se o número de acidentes fatais com carros fosse proporcionalmente inferior ao número de acidentes fatais com aeronaves.

Como achismos não levam a lugar algum, vou basear esta minha tese em estatísticas da ANAC (Agência Nacional de Aviação Civil) e estatísticas do RENAEST (Registro Nacional de Acidentes e Estatísticas de Trânsito).

Como não existe estatística de quantas horas cada veículo é utilizado e nem com quantos passageiros, minha conclusão será em cima da frota, ou seja, em determinado período de tempo será mais provável ocorrer um acidente fatal com um determinado carro que com um determinado avião. Essa probabilidade não será em cima de uma viagem, mas de um período.

%d blogueiros gostam disto: