Por que somos Subdesenvolvidos

POR QUE SOMOS SUBDESENVOLVIDOS?

Declaração dos Direitos Humanos – ONU:

Artigo III . Todo homem tem direito à vida, à liberdade e à segurança pessoal.

No dia 14 de fevereiro de 2004, FELIPE BORGES DE OLIVEIRA, 20 anos, estudante de Engenharia de Materiais da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) e THAISA RESENDE AZEVEDO, estudante de Medicina da Universidade de Uberaba-MG, foram ELETROCUTADOS ao caírem na PISCINA DO JOCKEY CLUBE DE UBERABA-MG, onde ocorria uma tradicional festa pré-carnavalesca, “Feijoada do Vermelho e Preto”, para mais de 4.000 pessoas. FELIPE VEIO A FALECER Thaisa sobreviveu.

Todas as pessoas que participaram da retirada dos dois da piscina alegaram haver levado CHOQUES, o que teria dificultado bastante o salvamento.

A piscina, que estava liberada para uso, funciona em condições irregulares:

não existe grade em seu redor.

NÃO HAVIA SALVA-VIDAS: a retirada de ambos da piscina foi feita por participantes da festa, que demonstraram uma coragem admirável.

Tudo indica que não havia qualquer esquema de segurança para desligar a eletricidade em casos de anormalidades.

As declarações da PM, Corpo de Bombeiros e parecer do CREA demonstram que havia IRREGULARIDADES no local.

As evidências são de que houve, portanto, NEGLIGÊNCIA quanto aos itens de segurança no planejamento e execução do evento e resgate.

Acrescente-se a isso que um colunista local (Coluna Sentinela do Jornal da Manhã de Uberaba-MG – 17/02/2004) refere que “UMA AUTORIDADE CHEGOU A AVISAR À DIREÇAO DO CLUBE QUE A ÁGUA DA PISCINA ESTAVA ELETRIFICADA E NENHUMA PROVIDÊNCIA FOI TOMADA”.

O primeiro atendimento foi realizado na borda da piscina por uma dentista que tinha conhecimentos de 1os socorros, passando a fazer massagens cardíacas e respiração boca-a-boca. Refere a mesma que FELIPE CHEGOU A RESPIRAR E ABRIU OS OLHOS. Chegaram duas pessoas que interromperam o socorro e o levaram para outro local, carregando-o nos braços.

Logo após, Felipe foi encontrado por dois médicos voluntários que se aproximaram. ESTAVA NO CHÃO ISOLADO PELOS SEGURANÇAS E SEM ASSISTÊNCIA. Reiniciaram as manobras de ressucitação (massagens cardíacas e respiração boca-a-boca). Houve pressão dos seguranças para tirá-lo do local e levá-lo para a ambulância CTI. Estes médicos seguiram os seguranças e encontraram NOVAMENTE FELIPE NO SOLO e só após alguma insistência lhes foi permitido retornar as manobras de ressucitação. Aproximou-se do grupo um terceiro médico, também convidado do evento, para ajudar. Desta vez lhes foi fornecido o material para entubação (laringoscópio e tubo oro-traqueal). Uma vez efetuado o procedimento, COLOCADO O TUBO NA TRAQUÉIA, O MÉDICO NÃO TEVE TEMPO

PARA AMARRÁ-LO, novamente os seguranças pressionaram. Felipe foi levado até a ambulância e colocado sob os cuidados da equipe médica contratada pelo Jockey Clube. Segundo o médico, que realizou a colocação do tubo na traquéia, NESTE INSTANTE O PACIENTE NÃO ESTAVA EM MIDRÍASE, OU SEJA, NÃO SE ENCONTRAVA EM ESTADO DE MORTE CEREBRAL.

Felipe foi levado pela equipe médica contratada pelo Jockey Clube (um médico recém-formado e auxiliares) a um hospital localizado a 6km de distância, chegando com o TUBO FORA DA TRAQUÉIA, uma vez que não tinha sido fixado. Assim, NÃO TEVE ASSISTÊNCIA RESPIRATÓRIA ADEQUADA durante alguma fase do trajeto. Não havia como resistir e, portanto, FELIPE FALECEU.

Existe um conceito universal e indiscutível de que em caso de parada cardio-respiratória os primeiros minutos são preciosos, então as MANOBRAS DE RESSUCITAÇÃO DE TÊM QUE SER FEITAS NO LOCAL. Conforme a diretoria do Jockey Clube, havia duas ambulâncias CTI contratadas para o evento. Logo, as condições plenas para concretização das manobras de ressucitação deveriam

existir.

POR QUE AS MANOBRAS DE RESSUCITAÇÃO NÃO FORAM CONCRETIZADAS NO LOCAL?

POR QUE FELIPE FOI RETIRADO RAPIDAMENTE DO CLUBE, ANTES MESMO QUE O TUBO ORO-TRAQUEAL FOSSE FIXADO?

QUEM TOMOU E/OU COMANDOU TAL DECISÃO?

ESTARIA FELIPE, ELETROCUTADO E EM SOFRIMENTO CÁRDIO-RESPIRATÓRIO GRAVE, ATRAPALHANDO ALGUMA COISA?

A FESTA CONTINUOU e só terminou DUAS HORAS APÓS O ACIDENTE, provavelmente devido aos protestos veementes de vários participantes, segundo noticiado pela imprensa.

As normas para organização de eventos, funcionamento de piscina, formação técnica de seguranças, equipes e equipamentos necessários para primeiros atendimentos são claras.

Enfim, pode-se concluir que Felipe morreu devido a uma SÉRIE DE ERROS PRIMÁRIOS, frutos de negligência e desrespeito à lei e à vida.

O JOCKEY CLUBE DE UBERABA-MG continua FUNCIONANDO NORMALMENTE e os seus prepostos continuam organizando e dando segurança a outros eventos na cidade.

ESTA É MAIS UMA FOTOGRAFIA, DENTRE MUITAS, DE UMA SOCIEDADE SUBDESENVOLVIDA, ONDE NÃO EXISTE O MENOR RESPEITO À LEI E À VIDA, ONDE O SER HUMANO É UM MERO DETALHE.

Algumas perguntas se impõem:

1- A NEGLIGÊNCIA quanto ao respeito de normas básicas de segurança que levou ao acidente com Felipe, causando sua morte, e Thaisa é um fato isolado?

2- Como são planejados, realizados e fiscalizados eventos em clubes ou em áreas abertas onde existe aglomeração de pessoas neste país?

3- QUEM SÃO DE FATO OS RESPONSÁVEIS PELA FICALIZAÇÃO E COMO DEVEM ATUAR?

4- Que TIPO DE PUNIÇÃO está prevista para os responsáveis? Como foram concluídos casos semelhantes anteriores?

5- O DESRESPEITO ÀS NORMAS BÁSICAS E ELEMENTARES DE SEGURANÇA e conseqüentemente à vida humana vai continuar?

A apuração de tudo o que ocorreu e de todos os fatores que contribuíram para a morte de Felipe, sua divulgação e reflexão sobre o caso não o trarão de volta. Porém, acreditamos que isto poderá evitar que ocorram outros acidentes em condições semelhantes.ESPERAMOS TAMBÉM QUE POSSA CONTRIBUIR PARA QUE NOSSO PAÍS SEJA UM POUCO MAIS SÉRIO. NÃO ENCAREM ACIDENTE COMO FATALIDADE, MAS ALGO QUE DEVE SER INVESTIGADO E EVITADO.

Buscamos ainda uma coisa simples: JUSTIÇA. Apenas isto.

José Antonio de Oliveira, pai de Felipe

05/04/04

José Antonio de Oliveira

[email protected] / [email protected]

O inquérito policial está em andamento e poderá terminar em aproximadamente duas semanas.

Delegado: Heli Andrade

Tel: (34) 33364300

Endereço da delegacia: Rua Luiz Próspero, 261 – Parque das Américas – Uberaba-MG

Deixe um Comentário

1 Comentários.

  1. Justiça Brasileira e o Jockey Club de Uberaba - pingback on 9 de abril de 2008 em 23:04

Não fique de fora, dê sua opinião!

Trackbacks e Pingbacks:

%d blogueiros gostam disto: