Nesse sábado um irmão (DeMolay) de Lafaiete morreu…

Nesse sábado um irmão (DeMolay) de Lafaiete morreu em um acidente de carro. Ele tinha praticamente a minha idade! Hoje de manhã fiquei pensando nisso. Se eu morrer aos 23 anos, por exemplo, novo, o que isso me afetaria (além da perda da vida, claro). Eu acho que estou preparado para morrer, mesmo novo. Não acredito que eu tenha uma missão para cumprir, que sou “novo demais para morrer” como diz o clichê. Se eu passar dessa para melhor, é pq eu vivi. Já vivi bastante, não vivi tudo que quero viver, minha vontade é morrer de velhice. Mas não me importo de morrer sem ter aproveitado a vida, sem ter feito tudo que poderia ter feito para eu me divertir, para ter sucesso na vida, muito dinheiro, ser conhecido ou respeitado. Essa de maneira alguma é a meta que eu coloco para minha vida.

Minha meta e o que me motiva a viver, em segundo lugar, é estar vivendo, sendo feliz com as coisas simples e belas que nosso sentido nós dá. A melodia da música, a beleza de cenas corriqueiras que ficam na memória como se fossem fotos de paisagens maravilhosas. O cheiro de chocolate quente em uma noite fria de inverno, o cheiro de mel… as mil sensasões que sinto ao deslizar minhas mãos pelo corpo de uma mulher. Vivo por tudo isso, por Maya.

Mas o que, em primeiro lugar, me motiva a viver e que me faz temer morrer novo, são minha família e amigos. As pessoas que mais amo em minha vida: meus pais, meus irmãos, meus avós. Não sei se eles agüentariam minha perda. Não que eu seja presunçoso de achar que eu seja importante, mas eu penso neles. E meus amigos, eles sentiriam minha falta? Eu me importo com as pessoas que vivem comigo e não gostaria de abandoná-los derrepente. Imagina meu pai, que há 6 anos me vê sonhando em ser um profissional no ramo da computação, que tanto me apoiou, inclusive financeiramente. Ele deve ter mais expectativa no meu sucesso do que eu!

Eu sempre fui utópico em achar que eu posso dar uma contribuição para a humanidade. Já criei site sobre a história de São João del-Rei, participo de um grupo de desenvolvimento de RPG, criei site de pintor, de escola de inglês, criei uma padronização de sites institucionais para a UFSCar. Eu quero ainda ser útil não só para nós brasileiros como também para o mundo inteiro. Eu tenho uma facilidade muito grande com computação e sei que posso utilizar isso para facilitar a vida dos outros.

Resumindo os quatro parágrafos: não tenho medo de morrer novo, não vivo fazendo planos para o futuro, vivo o presente. Não quero morrer cedo pois não quero ser motivo de tristesa para as pessoas que mais amo. Acho que posso ser útil enquanto vivo.

Deixe um Comentário

8 Comentários.

  1. Aaaahhh, ñ foi assim q quis dizer, né? 😉 qdo a pessoa vira causa? ou qdo a causa vira pessoa? ou qdo a pessoa vira instituição? ou qdo a instituição vira pessoa? uhn?

  2. Pode deixar. Quando a senhorita Morte vier me procurar enfrentarei-a até a morte! Ela só vai me levar pro outro lado se passar por cima do meu cadáver! Darei minha vida defendendo minha permanência aqui entre vocês!!!

    Passa uma semana lá na palestina, ou em prédios americanos no mês de setembro e vc vai conhecer algumas pessoas que morrem por causa de outras pessoas que morreram 🙂

  3. Apenas os bonz morrem jovenZ!

  4. não… não é bem isso

    se esse fosse seu último dia de vida, vc faria algo de que se arrependeria depois, se continuasse vivo?

    Eu não… Viver bem não é ser irresponsável.

  5. de repente, tristeza….? hehehehe ô, dureza num morre não, trem

    fica aí. eu ia chorar, tá? mas… morreu, morreu. nunca conheci ninguém q morreu pq outro morreu. vc já?

    bjim

  6. Eu não sou muito fã dessa idéia de aproveitar todos os dias como se fosse o último… parece que isso é viver a vida loucamente ao absurdo fazendo coisas idiotas e que que no dia seguinte se estará amarguramente arrependido.

  7. Já que não se sabe quando vamos morrer, mas sabemos que um dia iremos morrer, o lance é aproveitar todos os dias como se fosse o último, sacou?

    []’s

  8. Se vc morrer, nós aqui do trampo vamos sentir muito a sua falta, já q projeto está super atrasado! hehehe… zuera… a parte do projeto.

Não fique de fora, dê sua opinião!

%d blogueiros gostam disto: