GMail

Agora eu sou um felizardo @gmail.com

Felizardo pois li toda a política de privacidade e concordei com tudo. Felizardo pois o serviço realmente é muito superior a qualquer outro webmail que eu já usei. Felizardo pois o GMail supera até programas completos de e-mail como o Outlook ou o Eudora. Felizardo pois estou participando da fase beta e sugerindo com melhoras, dando meu feedback.

Tenho de admitir. O serviço é muito bom! Mas tem muita gente que não usou o GMail, ouviu boato e fica falando bobagem… Os trechos abaixo são de uma matéria do Jornal do Brasil Online entitulada “Senado da Califórnia aprova lei para restringir o Gmail

A lei, que agora tem que ser aprovada pela Assembléia da Califórnia, impediria que o ‘Gmail’ armazene um registro de todos os e-mails, assim como obtenha informação pessoal a partir das mensagens, conteúdo que poderia ser repassado a terceiros.

É a descrição mais superficial que eu já vi de uma lei em toda minha vida! Se o Gmail não armazenar um registro das mensagens, como é que quem recebeu e-mail poderá vê-lo? Imagina a situação: você entra no Gmail e lê a seguinte mensagem: “Você tem (7) novos e-mails. Infelizmente você não poderá vê-los, pois uma lei impede-nos de gravar seus e-mails em nossos servidores, nós os apagamos.” ou então recebe um e-mail que não aparece o nome de quem mandou e nem o e-mail de quam mandou, pois se aparecesse, o GMail estaria “obtendo informação pessoal a partir de um e-mail recebido”. Não sei se a lei que é ridícula ou se foi o Jornal do Brasil que simplificou ela ao máximo.

O que mais preocupa estes grupos, que compararam o Google ao ‘Big Brother’ de Orwell, é o fato de que o ‘Gmail’ verá o texto das mensagens em todos os e-mails para inserir anúncios relacionados a seu conteúdo.

Primeiro: qualquer programa de e-mail decente tem de “ver” o texto das mensagens para verificar se o e-mail não é spam ou se contém virus… ninguém reclama dessa funcionalidade no Hotmail ou no Yahoo!Mail… Nos termos do Gmail, em vários momentos, é afirmado categoricamente que nenhum humano lerá um e-mail, tudo é feito automaticamente por computadores. Exceções são quando a justiça manda abrir ou e-mail ou outras situações que qualquer provedor de e-mail tem de obedecer.

Segundo: pela frase, parece que os anúncios serão inseridos no e-mail, o que não é verdade.

Isto permitira que, por exemplo, uma carta de um amigo a outro para organizar as férias incluísse publicidade sobre uma companhia aérea, um hotel ou uma agência de viagens.

Que loucura!!!!!! Os caras nem usaram o GMail e nem leram o termo de compromisso ou as políticas de privacidade dele!!!! O GMail nunca insere publicidade em e-mail quando recebe e nem quando envia!!! Quem faz isso é o Yahoo!Mail, que coloca um anúncio, com imagem ainda, no final do e-mail que você envia por ele. Muitos outros também fazem isso, como o Hotmail, Terra, UOL e o Gmail não coloca anúncio, propaganda ou menção alguma nos e-mails que são enviados por ele. Quem pelo menos se interessou no Gmail e entrou na página de help dele, viu um screenshot mostrando que os anúncios aparecem em um espaço lateral da tela, fora do e-mail. Entra no Yahoo!Mail, lá tem muito mais propaganda na tela no que no Gmail, que tem propaganda, mas pouca, em um único lugar na tela, sem ter imagem, sem ficar piscando e relacionada com o e-mail! É a melhor e mais inteligente maneira de fazer propaganda que eu já vi!

O ‘Gmail’ adverte, em suas condições de uso, que as mensagens que são apagadas ficarão guardadas no sistema até que a conta seja cancelada.

Outra mentira! Os caras nem leram as condições de uso! O Gmail diz que resquícios de e-mails apagados podem ficar em seus servidores, mesmo quando a conta for cancelada. Este foi o único ponto de todo o Gmail que eu fui contra. Eu sugeri que eles definissem um tempo máximo para que esse resquício permancesse nos servidores, de acordo com as necessidades legais e funcionais e que esse tempo fosse indicado na política de privacidade. Quem sabe não sou atendido?

Deixe um Comentário

1 Comentários.

  1. henrique, você está corretíssimo em criticar a notícia do jb sobre o assunto. mas a questão sobre o gmail é que os anúncios que “parecem em um espaço lateral da tela, fora do e-mail”, são resultados de uma análise do conteúdo desse email. essa análise indica ao google o assunto do qual trata o email e, com isso, ele exibe anúncios que tem a ver com esse contexto. portanto, não é assim tão simples, já que o google, para exibir um anúncio relacionado, precisa saber do que se trata o email. agora, a discussão deve girar em torno da garantia por parte do google de não relacionar, por exemplo, o assunto com um email, ou de levantar, outro exemplo, de qual assunto trata a maioria dos emails que circulam pelo serviço. isso invadiria a privacidade dos usuários e/ou levantaria questões éticas sobre até onde pode ir o uso dos dados do usuário. eu realmente acredito que o google seja uma empresa séria e que vai respeitar os termos do serviço. mas também seria muita ingenuidade minha confiar cegamente nas “boas intenções” ou na palavra de uma empresa. o que eu penso é o seguinte: se o serviço é bom, eu uso e corro o risco de perder minha privacidade, até porque o assunto dos meus emails, no geral, é pouco desinteressante, comercialmente e conspiratoriamente falando.

Não fique de fora, dê sua opinião!

%d blogueiros gostam disto: