Filhos da puta daqueles delinqüêntes juvenis, trom…

Filhos da puta daqueles delinqüêntes juvenis, trombadinhas de uma figa, ladrões assaltantes, manos otários que ‘levaram’ meu relógio.

Eu no ponto de ônibus da Av. Nossa Sra. do Carmo às 13:42, um cara esperando um ônibus assentado do meu lado, um garoto de uns 15 anos, escuro, baixinho se senta do meu lado e outro, também de uns 15 anos, moreno claro, fica atrás do banco. O homem ao meu lado se levanta e o estava atrás de mim se sentou do meu lado. Nesssa hora eu gelei!!. Então eu me levantei e fiquei perto do homem que havia acabado de se levantar. Fiquei torcendo para o meu ônibus cegar antes do dele, mas isso não aconteceu. O que se sucedeu foi um grupo de ladrões iniciantes que facilmente levaram meu relógio.

O moreno escuro me abordou, enquanto outros dois chegaram pelos lados: ‘vai passando tudo’, tentei esquivar mas ele foi: ‘vai tirando o relógio’, tentei enrolar o cara, mas depois de uns 30 segundos dizendo que tinha ganhado o relógio de presente de minha mãe, que ele tava fazendo sacanagem, que eu nem era de BH, ‘faz isso não, sacanagem!’ mas acabei entregando pra ele… ‘mais o quê vc tem?’, perguntou o escuro. ‘nada… tenho Halls, quer?’, ‘vai passando a carteira então!’. A carteira já era sacanagem! ‘A carteira não!’ eu disse. ‘Passa o dinheiro então’, ‘Se eu te der meu dinheiro não tem como eu voltar pra minha cidade’, ‘Então dá só a carteira, tira o dinheiro’, disse o mais claro, ‘E meus documentos! Eu preciso de meus documentos’, ‘tira os documentos, a gente só quer a carteira’, ‘não! é época de eleição, preciso dos meus documentos, dá mó trabalho pra tirar de novo’ e fiquei enrolando o cara até ver que o ônibus estava chegando.

Fiz sinal pro ônibus parar, já quase na segunda faixa da avenida enquando conversava com os bandidos: ‘devolve meu relógio’, ‘sacanagem, só tenho esse’, ‘nem sou de BH, pq vc não rouba alguém daqui?’. O ônibus parou, abriu a porta, estava fechando pq eu não entrava e tive de bater no vidro pra porta abrir de novo e entrar, ainda falando com os viadinhos: ‘cê é foda! seu cuzão’.

Na hora a gente assusta, mas eu poderia ter feito váaaarias coisas pra não ser roubado ou ter o relógio de volta… mas já aconteceu. Liguei pra polícia de dentro do ônibus e ainda conversei com um policial militar que entrou em Congonhas. Os dois não estavam nem aí se alguém foi assaltado ou não, mas mesmo assim eu quero fazer o BO pra quando mais alguém for assaltado por aquelas bandas os guris forem presos. Se mais alguém é assaltado alí e faz o BO, talvez a polícia perceba que estatisticamente o lugar é meio fodinha, algo que eu devia ter percebido.

Deixe um Comentário

2 Comentários.

  1. é.. duro isso… qdo eu morava no RJ (era pekenininha, tinha ums 5 anos), assaltaram lá em casa…. fugitivos de penitenciaria.. =P foi legal… (fiquei traumatizada e sem sair de casa durante ums 2 meses..)

  2. Tem que tomar muitoz cuidadoz com essez lancez de assaltoz… O lance é não reagir, caraz… Elez te levaram o relógioz, melhor que se te levassem a vidaz…

    Quando fui assaltado aqui em Floripaz, fiZ a maior cagadaz!! Caí na porradaz… Ainda bem que meu amigo BonZo (lá do meu blogz) tava por perto e livrou minha caraz…

    Quanto a faZer oz BO; isso foi uma boaz… Em BH eztão uzando computadorez para Geoprocessamento do crime…

    Teu BO deve ter sido digitaliZado e agora faZ parte de eztatízticaz online que servirãoz para aumentar o policiamentoz em determinadaz dataz e horárioz…

    Fica aqui a dicaz!

Não fique de fora, dê sua opinião!

%d blogueiros gostam disto: