Expedição Pico da Bandeira – 6ª Parte Por fim …

Expedição Pico da Bandeira – 6ª Parte

Por fim decidimos descer, eram 6:36 da manhã, faziam exatamente 2 horas que havíamos chegado. A descida foi mais fácil, tendo as duas irmãs como referência, era só andar na direção dela, seguindo a trilha, fomos andando bem rápido mesmo, já haviamos subido uma vez no escuro com neblina, uma no escuro e descido uma no claro com neblina longe, descer no claro e vendo todos os morros em volta inclusive as duas irmãs foi facinho. Depois de descer um pouco, a gente viu gelo no chão. Tinha geado e a parte com mais geada foi justamente onde nós nos perdemos no domingo… cheguei até a tirar foto. Toda aquela trilha antes pretinha agora toda branca. Os galho de árvores estavam brancos (tinha pouca árvore, mais era galho mesmo), a terra estava branca, os arbustos e os matos, as flores e até algumas pedras. Em uma parte eu me sentia na Rússia, com todo aquela brancura e um barro preto no chão, fiz questão de pisar no barro. Quando chegamos no acampamento era 8:02, fizemos o percurso de volta em 1 hora e 25 minutos. Menos que o 1 hora e meia, de dia, dos caras fodões. Peguei minha toalha ma mochila, que já estava feita e corri pro banho. Gelado, gelado, gelado pra caramba!!!! Saí do banho e, só de toalha, estava sentindo calor… de tão gelada a água.

O pessoal no acampamento estava acordando ainda… Eles tinham lavantado mais cedo, só que tinha neve no chão e as barracas estavam molhadas, tava tão frio que voltaram pra barraca. Fiz um lançe e ajudei a arrumar as coisas, rearrumei minha mala, ajudei a colocar as coisas na Toyota e saímos do parque. Minhas pernas estavam doendo de tando andar, a vontade que eu tinha era de nunca mais subir o pico… O Rafael e o Paulzinho disseram que tinha sido a noite mais fria desde que tinham chegado. Agora eu já sei que o pé frio da viagem não fui eu ou o Marcelo. Na portaria tiramos uma foto do lado da Toyota e da placa do Parque Nacional do Pico da Bandeira.

Na volta ainda passamos na Cachoeira do Chiador, alí pelas bandas do parque, segundo um dos minhoca (gente da terra, que mora por alí): “adrenalina pura”. E num é que é mesmo? Depois de andar “uns 500 metros à pé” (disse um garoto, minhoca também) por uma trinha dentro de uma fazenda que pra chegar tinha de “subir nas banda (sic) do morro” (segundo uma minhoca). É uma cachoeira em uma pedra de uns 200 metros e a água desce deslizando por ela. Eu estava só de calça de moletom (as outras estavam todas sujas) e fiquei só olhando. O Rafael, o Alessandro e o Paulziho foram e desceram, eu acabei pegando o short do Paulzinho e fui também, é mó bom! São vários obstáculos. O primeiro é a água geladíssima. O segundo é sair da água e subir na pedra, que está inclinada uns 45º mas cheia de lodo e não tem pegas. O terceiro desafio é chegar em algum ponto da cachoeira um pouco longe da margem, senão vai de bunda num degrauzinho de uns 5cm (como o Alessandro fez). Depois de assentar na margem da pedra e ir andando de lado, como um caranguejo, com a bunda na água/lodo eu consegui chegar um local e desci. Vc nem sente a pedra, parece que fica entre a água e a pedra, muito bom, e olha que só desci uns 5 metros. Na segunda vez eu fui dar um de fodão, descer uns 10 metros e fui escorregando pertindo da margem, só consegui parar quando coloquei o pé no degrau. Voltei pros 5 metros, escorreguei de novo e saí de lá, depois de algum tempo tentanto sair sem sucesso ou todo sujo de lodo, só consegui sair limpo quando nadei até uma pedra que estava no meio do poço e de lá fui pulando de pedra em pedra até chegar na margem.

Quando cheguei na Toyota o Marcelo já estava lá, morto de cansaço. Ele nem o Daniel tinham nadado. Fui dormindo/cochilando/descansando de olhos fechados metade da viagem, até a segunda parada, quando deixei de ser zumbí. Chegamos em SJdR 8:15, cheguei em casa mais ou menos 9 horas… tava morto de cansaço, tomei um litro de leite, um pouco de uma sopa que minha mãe tinha feito, lí sobre o gerbil (esquilo da mongólia, algo assim) que meu irmão comprou e fui dormir, sem banho nem nada, só de cueca e dentro do meu saco de dormir.

Deixe um Comentário

8 Comentários.

  1. Parabéns pelo site
    Fui no pico da bandeira 8 vezes…
    pretendo ir todos os anos pra frente…

    visite meu site também:

    http://verdejava.com.br/index.php?OpcaoPai=Roteiros&OpcaoFilho=caparao

  2. Tipo… morar com um cara que faz educação física!

  3. Tipo oz jediz??

  4. O texto tava tão grande que eu perdi a primeira parte pq foi maior que o máximo do Blogger e ficou como [Big String] no lugar do texto… tive de digitar tudo de novo e dividir por partes.

  5. todos nós temos nossos lados negros Zé…

  6. Agressivaz?? Vcz, Taty??

    Num sabiazz

  7. hehe… tadinhu…

    dava prele fzer uma novela…. =)

    e, pra nom dizerem q eu soh só agressiva, vou ouvido ‘mentiras’ da adriana calcanhoto….

    “que é pra ver se vc volta, que é pra ver se vc vem… que é pra ver se vc olha.. pra mim”

  8. Parabéns HoloCoCoz!!!

    Bateu o recorde blogueiroz de “Pozt Longoz”!!

    Vc merece um premioz!!

Não fique de fora, dê sua opinião!

%d blogueiros gostam disto: