Expedição Bragança Paulista – Parte I (sexta) [Cid…

Expedição Bragança Paulista – Parte I (sexta) [Cid’s view]

Sexta-feira, 17/08, 16:48h… Eu, Rodolfo Cid, estava na casa da minha querida namorada, quando me toca o celular e pude ouvir a voz do Claus dizendo: “Já estou chegando em Mogi!” Mais que depressa eu solto: “Já to chegando aí!” E foi assim que começou a nossa aventura (a dos desbravados, destemidos, DESLOCADOS, únicos manés que não estavam com o comboio que saiu de Sanca!) em busca à terra perdida! =o] Saí de Itapira o mais rápido possível e em 15 minutos já estava em Mogi Mirim colocando a super-mochila do nosso amigo no porta-malas do Golzinho SuperPower (que mais tarde iria se tornar uma almôndega à milanesa junto com os outros carros, de tanta poeira que ia engolir, coitadinho, e que deixou o Corsa do Clóvis no chinelo no morro da casa da Nicole, mas essa é uma outra história, hehehe…) e decepcionado, já que achei que o Golzinho sairia lotado de gente de Mogi Mirim, mas enfim, só nos resta rumar para Amparo, em busca do nosso amigo ‘Galli’ que estava fazendo testes nucleares e genéticos no hospital da Unicamp, já que possui poderes estra-sensoriais e estava sendo estudado lá… (pra mim ele só pode ser um X-Men) Não sei porque fomos pegá-lo em Amparo, só sei que pra mim foi uma mão na roda, então… =o]

Chegando em Amparo, o fácil foi achar a rodoviária (que o Galli tinha combinado comigo da gente se encontrar) e o difícil foi saber que já tinhamos entrado na cidade e eu nem tinha percebido… Na ída quase 2 óbitos, meia dúzia de bois e vacas dando um rolé pela pista sinuosa até chamaram a atenção, mas não ofereceram tanto perigo, graças ao tiozinho do caminhão da frente que soube dar luz na hora certa… (ao contrário da maioria dos caminhoneiros, hehe)… Após muito esforço estamos nós na rodoviária de Amparo, (valeu metaleiro que nos ajudou a chegar lá! Vc explicou direitinho o caminho pra gente! Se algum dia vc ler esse blog vc vai saber que é vc! =o]) Galli Pai e Galli Filho nos esperavam, um louco pra xapar e o outro, louco de preocupação… “Galli, joga sua mala aqui no porta-malas e deixa que o Claus vai com o presente da Jú no colo…”

“Barriga cheia, pé na areia!” Loucos de vontade de sair pelos caminhos que nós nunca tínhamos andado, armados de mapa e de navegadores excelentes (agora eu puxei o de vcs, hein?) espírito aventureiro era o que não faltava, a única coisa que faltava era a barriga cheia, já que eu estava passando só com um kibinho que comi saindo do posto de gasolina, ao meio dia, que foi a hora que saí de Sanca, mas isso é detalhe, hehehe… “Fica na boa Cid, eu sei andar aqui em Amparo…” Com o Galli falando assim, quem não confia? Pois é, o foda foi confiar, hehe, quando vimos que ele estava nos levando para uns lugares muito escrotos, mas no fim deu tudo certo, encontramos a linda placa indicando Bragança Paulista (foi a visão mais linda que eu tive naquela cidade, hehehe)… Toca pra Bragança pela estrada de Morungaba, mas entra pra Tuiuti antes de chegar em Morungaba, ou seja, se passar já era… Estrada estreita, sinuosa, com curvas que botavam medo em qualquer um (e que posteriormente, com a minha ajuda, pôs medo nos meus navegadores, heheheh) em meio a subidas em que o golzeta tinha que subir em segunda marcha e a decidas que eu nunca tinha visto, mas que uma S10 desceu rasgando, fomos nos embrenhando montanhas adentro e a noite foi chegando… Depois de ouvir Black Sabbath, Joe Satriani, Offspring e finalmente Nirvana, chegamos numa pequena estradinha que liga Tuiuti à Bragança Paulista… “Deve ser essa aqui.” digo eu, preocupado em tomar o caminho errado… “Entra aqui pra direita que vai dar certo” algum dos meus dois navegadores, que agora não me recordo quem foi…

Legal, caímos em uma rotatória totalmente viajada e ao invés de parar e ligar para o Tio Emir (pai da Jú… o cara que mais gastou dinheiro no fim-de-semana, ehehehe) a gente inventa de entrar numa avenida né, pronto… Toca fazer serviço de “marrão” (como diria o Galli) até chegar no Supermercado Rurais, onde finalmente conseguimos falar com o Sr. Emir, a pessoa que nos salvaria no meio daquele monte de carros… “Aguenta aí no supermercado que eu já to chegando!” Nunca ví uma ordem ser cumprida tão prontamente, hehehehe, já que ninguém sabia onde estava, pra onde ia e nem de onde tinha vindo, mas enfim, é a vida né… =o]

Depois de bater um papo com Mr. Emir nós o seguimos e chegamos finalmente na casa da aniversariante… Que surpresa, chegamos antes de todo mundo! 19:00h era o horário, e, de acordo com o que o Cintra escreveu, eles não deviam estar nem na metade do caminho… A casa da Jú é legal, o Vinicius (cachorro dela) também é legal, mas eu não gostei da estúpida da Sasha, que chegou a morder meu calcanhar!! Eu particularmente acho que a Jú devia bater na cachorrinha todo dia, pra ela ficar tão revoltada quanto é! Bem, Sasha trancada no armário, a gente começa a pensar em relaxar, hehehe… Conversa vai e conversa vem, depois de escondermos o presente da aniversariante com a cumplicidade da Dona Henriqueta (formada em Matemática e especializada em Algebra Linear, pasmem!), só nos resta obedecer a ordem do (nessa hora) querido Emir! “Vamos lá no fundo tomar uma cerveja enquanto o pessoal não chega!” Ai meu kibinho solitário, espero que ainda esteja aí pra aguentar!!!! Depois de umas 5/6 brejas, me chega as 9 pizzas que o (nessa hora) excelentíssimo Emir tinha pedido! “Ahhhh, que esperar o pessoal o que, vamos comer já!” Nessa hora meu kibinho vibrou, afinal, ele já não estava dando conta das brejas sozinho, heheheh… Depois de muito comer e acabar com a solidão do kibe na vastidão do meu estômago, finalmente são ouvidas buzinas e barulho de carros chegando… Pois é, o sossego tinha acabado e a curtição estava apenas começando!!! “Aquele ali é o Marqueto?” disse o pai da Jú apontando de cima da sacada para o carinha de boné, que dirigia um Uno CS cor creme e falava em voz muito alta “Chegamo, povão!” enfim, o Sr. Emir entendeu direitinho quando eu falei que ele iria saber na hora quem era o tal Marqueto… =o]

Galera chega, tira sarro da gente, come até encher o bucho… Chegam mais 10 pizzas (pois é, aquelas 9 foram só o começo) e ninguém tem mais estômago pra comer tudo. Enquanto a galera dissipava (uns ficavam jogando truco na sala, o bixo ficava assistindo coisa de esporte na televião da cozinha, a mãe da Jú não parava de cozinhar, os caras foram assistir Presença de Anita (ou será Ausência de Sutiã?) e num momento ‘super’ sóbrio é criado o MQSJM, vulgarmente conhecido como Movimento Quero Ser José Mayer, afinal, aquela cambada de homem na sala assistindo a Mel Lisboa sem roupas durante quase 1h só podia resultar nisso!

Não demorou muito para darmos o presente para a Jú, eu não achei que ela tenha gostado tanto assim, mas ela falou que gostou… Enfim, a gente tentou galera! Não fiquem chateados, qualquer coisa ela vai lá e troca o presente! heheh!!! =o]

Quase duas da manhã e vem a maravilhosa idéia “Ei galera, vamos logo pra chácara, vai!” Pra que, parecia que todo mundo estava pensando o mesmo! Em dez minutos encaixotaram o Videokê e rapidamente estava a televisão no meu carro, o Videokê em algum outro e o mesmo com o aparelho de som! Toca pra chácara galeraaaaaaa!!!

Depois de dar voltas e voltas em Bragança Paulista, do Clóvis ficar para trás e se perder na cidade (“Eu vi placa de radar e não queria tomar multa, então fui devagar e vcs foram rápido, fazer o que…” – desculpa do Clovão), conhecer o tal do ‘lago’ (que é o agito por lá) e passar na frente da USF (xupaaaa!!!) a Jú, que estava encabeçando o comboio resolve rumar para a chácara… Depois de uns 5/6km de estrada pavimentada, ainda mais uns 3km de estrada de terra até chegarmos na tão falada chácara, e o Claus no banco de trás abraçado com a Televisão, afinal, não tinha apoio né, tinha que ir alguém segurando mesmo, hehehe…

Chegando lá a farra foi geral… A galera descarregou os carros com uma rapidez de dar inveja até ao meu pai (que perde a paciência com a minha mãe sempre que a gente viaja, de tão demorada que ela é pra escolher o que vai colocar e tirar do porta-malas, heehehe) Haviam 3 quartos e 2 banheiros… Um quarto ficou para as meninas, e os outros dois quartos a galera se matou para arranjar um lugarzinho legal pra dormir, teve direito até a princípio de tumulto Moma x Marqueto pra ver quem ficava com uma cama ‘X’ lá, mas tudo foi solucionado racionalmente… (me surpreenderam, rapazes! Estão de parabéns, hehehe =o]) Depois de tudo ajeitado os quartos ficaram assim, no quarto super-fodão ficaram: Eu (avá!), Galli, Cintra (e seu Sleeping-Bag), Bizarro, Marqueto, Moma e Baga . Sendo que esses dois últimos foram meio lusitanos na escolha de suas camas, já que colocaram uma em cima da outra e improvisaram uma beliche, só que quem já conhece, sabe, o Baga tem quase 3m de altura e o Moma já é um pouco mais normal, o difícil foi caber o Baga na cama de baixo né, o cara dormiu encolhido todos os dias, HEHE!!! No outro quarto ficaram: Marleta, Canovas, Clóvis, Bixo (irmão do Clóvis), Kicho, Claus e Franssato, ou seja, o quarto dos amadores, sabe como é… (se defendam, covardes! hehehe!)

“Eu hein, vou tomar banho correndo! Depois o banheiro fica cheio de pêlo aí, to fora!” Faço minhas as palavras do Moma na hora em que conseguiu tirar suas roupas da mala e se trancou no banheiro! Em segundo lá estava eu, garantindo a minha ótima noite de sono todo limpinho, heehehhe! Meia hora depois, todo mundo de pijama, bebendo cerveja e comendo as pizzas que sobraram (e olha que não foram poucas!) até que alguém tem uma idéia… “Vamos jogar WAR!” Fazer o que, né? Toca arrebentar aqueles marrecos no jogo… Pena que a coisa foi ficando monótona e eu não aguentei, larguei mão de jogar e o Franssato entrou no meu lugar, ganhando o jogo depois (pelo que ele disse!)… O Bizarro nesse momento estava no ‘estacionamento’ olhando as estrelas com seu binóculo que ele não desgruda! Todo mundo queria ver estrela também, e não puderam deixar de zuar com o Marqueto tomando banho, afinal, a janela do banheiro dava lá para fora… Assumo ter participado do atentado, dizem que ele até caiu no chão do banheiro quando demos o susto nele pela janela, eu não vi direito, a ação foi muito rápida, pá-pum, foi a gente gritar e o Marqueto capotar no chão… =o] A coisa ficou mais legal quando veio a idéia de fazer o até então desconhecido “Lá vem o sol”… Enfim, o sol era uma lanterna e a música era uma cortesia dos rapazes, que iam de quarto em quarto tocando violão e acendendo a lanterna na cara de quem estivesse dormindo (o Marleta que o diga, né cara? Vc fala que não, mas que vc deu um puta pulo deu, não vem com onda!!! =o]) A coisa foi legal, ainda mais com a promessa de fazer “O Galo”… Uma super produção dos estúdios Bcc2k em parceria com as Organizações Tabajara, com direito a efeitos sonoros e até visuais, ok, Marqueto ajeita seu super celular para despertar às oito horas da manhã… A hora estava marcada, o sono de todos, a partir deste momento, estava condenado… >=o] Após muitos “Outro quarto… XUPA!” e “Eu, Eu, Eu, o Canovas já Comeu!” a galera acabou pegando no sono, afinal, o friozinho também ajudou bastante… (o único que ficou na boa foi o Cintra, com seu Sleeping-Bag, mas o difícil foi ele dormir do lado do Bizarro, que toda hora queria ver o que tinha dentro do tal saco de dormir… Força Cintra, estamos do seu lado! =o]

Oito horas da manhã e o celular do Marqueto toca… “Hora de fazer o galo!” Legal, eu estava esperando por aquele momento mais do que ninguém! Quando eu levanto na cama e olho, todo animado, o que vejo? Aquela cena deplorável, todo mundo dormindo, o Moma até roncando e o Baga todo encolhido na beliche… Gravíssimo, desanimei, broxei! Fazer o que, foi só barulho, a galera me decepcionou, mas o que é que eu posso fazer? A cara do Cintra eu nem via, enfiado em seu (aparentemente) confortável saco de dormir, e a do Bizarro eu também não via, enfiado naquele saco de dormir do Cintra… HAhAHA, calma, é brincadeira… =o] Enfim, o que mais podemos fazer? Virei, deitei na cama e voltei a roncar gostoooooooso… Assim terminou a nossa sexta-feira em Bragança, quase às 6:00h da manhã… =o]

… to be continued.

Deixe um Comentário

2 Comentários.

  1. Rodolfo \"Slack\" Cid

    Enfim, fala isso pro Franssato, ele falou que ele tinha ganhado… =oP

  2. Rodolfo LooOOOOser. Vc não ganhou no War… foi decretado empate técnico. Eu só tinha de conquistar 2 países na Europa e tinha um troca de 25… só que depois o Guilherme tinha uma troca de 30 e o Franssatto uma troca de 35. Num ia terminar nunca… então sugeri empate e aceitaram.

Não fique de fora, dê sua opinião!

%d blogueiros gostam disto: