Pérolas BCC2k

Aqui estão algumas das pérolas que foram ditas pelos Bcc2k durante o curso:

  • To com preguica de ir pro quarto. – Galli falando pro Bizza, por ICQ, se justificando pq estava na frente do micro, morrendo de sono – 18.04.2002
  • Me come logo que eu quero dormir. – Galli (bêbado), respondendo pro Cidoca, que ameacava fazer um fio-terra nesse nosso amigo bêbado. – Festa Retrospectiva
  • Pera ai que te mostro daqui a pouco. – Marqueto, respondendo ao Carlos, a pergunta anterior. – 16.04.02
  • O que eh buceta? – Carlos, em tom de brincadeira (segundo ele). – 16.04.02
  • A bolinha nao pode subir pra cima. – Zé Guimarães, dando aula de Grafos. – 05.04.02
  • Vc não conhece meus segredos particulares.Gertrudes, saindo do RU. 08.04.02
  • Mão de mulher eu conheço!Gertrudes, no RU. 08.04.02
  • Eu passei só com as duas notas! – Mazza, que tirou 8, 8 e 0 nos 3 trabalhos de ADM, fazendo a conta (8+8)/3=6. 04.04.02
  • É que eu corrigi a prova de forma bitolada. – Saito, explicando porquê deu errado numa questão da minha prova que estava certa. 04.04.02
  • O Mauro deu essa prova porquê eu pedi um aumento de mesada. – Vinícius, o pupilo do Mauro explicando pq a prova dele foi difícil. 03.04.02
  • …você pode ter vários tons de branco… – Clóvis, explicando compressão de imagens.
  • O Delphy tem o MIDAS, um puta investimento da Borland. – Edson, professor da pós que deu aula de Engenharia Reversa, falando com a cara mais séria do mundo. 27.03.02
  • Claro que conhece! – voz da Ju, ao fundo, depois da pergunta anterior. 26.03.02
  • Você conhece aquela matéria… Projeto de BD? – alguém pro Mauro, professor de Banco de Dados (BD). 26.03.02
  • Se alguém tiver que sair pra ver correção de prova [de ES], na próxima aula a gente faz um resumo dos Melhores Momentos [da aula dele]. – Luciano Freire. 20.03.02
  • A Fernanda não bebe, ela cheira Skol! – Momente, quando a Fernanda disse que não bebia. 20.03.02
  • Vai lá meu pupilo! – Mauro, pedindo para Viníus ir, depois da turma ter pedido. 19.03.02
  • Se eu for eu não volto! – Vinícius, respondendo a turma. 19.03.02
  • Vinícius!!! – turma inteira responde ao Mauro. 19.03.02
  • Alguém vai lá pra pedir pra abaixar a música. – Mauro, sobre a festa que a sala ao lado estava fazendo. 19.03.02
  • A última técnica, que também é meio estranha… – Luciano Freire, explicando a matéria. 13.03.02 – 17:06
  • Chaves, colchetes… é tudo parentes. – Luciano Freire, confundindo os símbolos. 13.03.02 – 17:04
  • Cês num tão pagando… é de graça… de graça até aula de LFA. – Luciano Freire, que não queria liberar a gente às 17:03, depois de falar da universidade particular onde ele dá aula. 13.03.02
  • Apolo 1200… pra imprimir uma página em branco demora 3 minutos! – Momente, na aula de LFA. 13.03.02
  • Cê tá com cara de cansada! – Fernanda, ao telefone. 10.03.02
  • É mais rápido que o Rubinho pra sair da prova. – Mauro, falando sobre a velocidade de busca linear para 30 departamentos em um Banco de Dados. 19.03.02
  • …se eu colocar todos os professores [na generalização Pessoa], mesmo que não achem, todos são pessoa. – Mauro, explicando Abstração de Generalização para ME-R EX. 05.03.02
  • Piração né? Eu sou louco mesmo. – Mauro, sobre o método de auto-avaliação no trabalho que a gente fez. 26.02.02
  • Isso daqui é muito avançado! – Ednaldo, para um cachorro que entrou na aula de ORI. 25.02.02
  • Seu caracter string de C. – Anderson Franssatto, parafraseando ‘Seu caráter estranho de ser!’, na aula de ADM. 17.02.02
  • Eu só substituí o errão pelo errinho. – Luciano, dizendo que sibstituiu o R por r. 30.01.02
  • O SGBD tem uma pesudo, mas bem pseudo mesmo, inteligência. – Mauro. 29.01.02
  • Intervalo não, podem ir embora. – Ana Rita, liberando os alunos beeem mais cedo. 24.01.02
  • Intervalo professora!! – Pink, na aula de ADM I. 24.01.02
  • Você vai deixar as radiografias no xerox? – Marcelo Marleta, perguntando pro Luciano se ele ia deixar as transparências no Xerox.
  • Vem aqui calar! – Fernanda, respondendo o ‘shhhhhiii’ do Vinícius. 16.01.02
  • Uá! Chutei o balde! – Luciano, depois de derrubar a lata de lixo. 16.01.02
  • Asterístico. – Luciano Freire, sempre. 16.01.02
  • Com quem você tá fazendo ES? – Canovas perguntando ao Marleta, detalhe, os dois estava fazendo o trabalho de ES, no mesmo grupo, no momento em que a pergunta foi feita.
  • Bom dia! – Mauro, para um bichano que entrou sorrateiramente na sala. 08.01.02
  • Oito horas é muito tarde, vamos marcar às oito e meia! – Fernanda, sobre o horário de se encontrar no Maranata, pro aniversário do Moma. 10.01.02
  • Por mais que eu fale que eu estou falando, vai ter gente que vai errar na prova. – Edinaldo, falando sobre uma parte da matéria que eu não me lembro qual era. 14.01.02
  • O bom de aula aqui é que dá pra ver as capivaras, olha lá, cheio de capivaras. Se eu contar ninguém acredita né? – Mauro, depois de mudar a sala de aula do AT4 pro AT2. 18.12.01
  • Bom dia! – Mauro, prum gato que entrou calmamente na sala de aula. 08.01.02
  • Eu corrijo as provas, eu corrijo os trabalhos. Eu não jogo pra cima e oh! aquele caiu na bacia, nota 10! – Edinaldo, durante um sermão pros alunos não copiarem trabalhos um dos outros. 07.01.02
  • Você, vem fazer esse exercício aqui na lousa! – Dirceu, fazendo o pedido pro Vinícius.
  • Nao posso, professor, sou fanho… – Vinícius, respondendo o pedido acima.
  • Nao tive tempo de preparar o material de aula. Fui pego de surpresa! – Saito, aula de OBC, primeira aula depois do fim da greve. 10.12.01
  • Ah que isso Charles, seu corpo já está maravilhoso… – Clóvis, enquanto estudavam Geometria Analítica na casa do Leandro.
  • O estudo é fundamental mas sorte é conveniente – Eu, fazendo exercícios de Cálculo I no primeiro semestre
  • Vocês têm de encontrar um professor melhor, esses erros daqui são colegiais! – Paulo Caetano, professor de Geometría Analítica, depois de constatar que havia errado (mais uma vez) no quadro. 19.05.00
  • Vetor é um saco de vetores – Odete, professora de Cálculo II, ao explicar o Teorema do Gradiente. 08.01.01
  • Imagina então se ficar fazaendo conta na marra – Odete, sobre como achar máximos e mínimos. 15.01.01
  • estou com sono – escreveu Fernanda no meu caderno, na aula de Introdução à Probabilidade. 07.11.00
  • Se o planeta tiver zero pessoas, todo mundo tá morto – Clóvis, durante aula de Introdução à Probabilidade. 14.11.00
  • Parece tão parecido… – Fernanda, falando sobre a semelhança entre uma calculadora HP e uma calculadora cintífica comum, enquanto estudávamos Probabilidade. 09.12.00
  • Equações Diferenciais Ordinárias são equações deriváveis com uma variávem única, que pode ser… – Sadao, que entrou por engano na sala onde teríamos a primeira aula de Programação de Computadores. 27.09.00
  • Quando nada funciona… melhor é fazer isso… – Tata, depois de desferir dois murros no retroprojetor, na primeira aula de Laboratório de Programação. 27.09.00
  • Faz parte da matéria? – Tiago Claus, sobre a citação anterior. 27.09.00
  • Faz. – Tata, respondendo a pergunta do Claus. 27.09.00
  • Se quiserem copiar (a matéria) para não dormir, tudo bem – Tata, falando sobre a matéria que estava nas transparências. 27.09.00
  • Olha que chuva massa, a renderização… Vodoo 10! – Bruno Galo, filosofando sobre a chuva que caía, enquanto assistíamos aula de Programação de Computadores. 04.10.00
  • As vezes antes de começar a gente tem de respirar fundo para não dizer besteira – Tata, depois de uma aluno sugerir resetar o computador. 08.11.00
  • A comida é variável global – Tata, explicando o escopo. 08.11.00
  • Mas americano é besta, faz tudo ao contrário!– Tata, falando sobre o método de declarar objeto em C++. 22.11.00
  • Dividir polinômio é um chutão (no saco)! – Tata, falando sobre o programa aritmético para polinômios, que ela pediu pra nós fazermos. 22.11.00
  • É incrível, mas funciona! – Politano, sobre os Circuitos Integrados, na primeira aula de Laboratório de Lógica Digital. 05.10.00
  • Sabem quem morreu? Não sei, por isso eu perguntei – Ernane, na sua primeira aula de Lógica Digital. 25.09.00
  • Se eu falo ssShrrRr ninguém vai entender, mas se eu falar que ssSh é A e rrRr é B, ssShrrRr é AB – Ernane. 25/09/00
  • Um Complexo (Complexo de Golgi) complicadíssimo, complexo – Ernane, falando sobre a audição.
  • Com exceção do Windows, que é temperamental né? – Ernane, sobre a lógica e funcionalidade na computação.
  • Vai pegar um do nada! – Maurício, ao alegar que a operação binária 1011-1101 era impossível. 02.10.00
  • Será que esse giz é anti-alérgico? Estou com uma tosse… – Ernane. 02.10.00
  • O erro veio de um erro ainda errado – Ernane, explicando o processo de Correção de Erro, que originou a discussão de uma aula com o Clóvis. 23.10.00
  • Quando for zero é um – Fernanda, me explicando como funciona o Mapa de Karnaugn. 04.12.00
  • Não haverá aula de Física dos Foguetes Intergaláticos IV – Anônimo, escrito no quadro da sala 169 às 18:10 do dia 31.01.01, última prova que eu fiz no segundo semestre, sub. de Cálculo II.
  • Sua boca me desconcentra – Anderson Franssatto, 23.10.00
  • …todos têm de vir pra ver quem quer se formar – Igor da Comissão de Formatura, falando sobre a reunião. 21.11.00
  • Ainda mais com a Maria Amélia, pois o coraçãozinho dela é de pedra – Maria Amélia, professora de Álgebra Linear falando sobre ela mesma. 08.01.01
  • Laaa, lá, lá, laaa… – Maria Amélia, esperando que alguém respondesse à pergunta que havia feito. 16.01.01
  • Capim Elefante engorda? – Fernanda, enquanto estudávamos Álgebra Linear na casa do Leandro Canovas. 22.01.01
  • Não sou tão bobeirisse assim – Fernanda, no mesmo local. 22.01.01
  • Eu quero provar que isso daqui é um vetor transparente – Fernanda, enquando estudávamos Álgebra Linear. 04.12.00
  • Qual computador me diria se a função é contínua ou não? – Maria Amélia, durante aula de Cálculo Numérico. 25.04.01
  • Se perguntarem à metade da turma o que está acontecendo vão dizer: chapéu verde – Maria Amélia, salientando a desatenção da turma, ainda mais quando passou uma menina gatíssima de capuz verde do lado de fora da sala. 25.04.01
  • Eu só estava tirando uma dúvida mais antiga mas já está tudo exclarecido – Edson Kicho, explicando pra Maria Amélia porquê estava conversando. 16.05.01
  • Não vale a pena comprar uma calculadora para evitar de ligar o computador cada vez que eu for comprar uma casa – Kicho, rebatendo a Maria Amélia, que dizia que uma calculadora melhor (que a minha e a do Clóvis, essa foi o início da discussão) é muito importante e que o computador nem sempre vai ser útil.
  • Isso é um caso específico do caso genérico que eu perguntei – Kicho, enquanto estudávamos Cálculo Numérico. 29.04.01
  • Parecia um cachorrinho, com as anteninhas em pé – Fernanda, no mesmo local. 29.04.01
  • Essa sala é mal assombrada! – Saito, durante sua primeira aula de Arquitetura de Computadores, comentando sobre a porta que insistia em se abrir sozinha. 13.03.01
  • Quantas horas de viagem de São João del-Rei ao litoral de Minas? – Anonymous. 12.03.01
  • Teoricamente sim, praticamente não – Rosângela, explicando Modelo Sequencial Linear, durante sua aula de Introdução aos Sistemas de Informação. 05.04.01
  • Não sei se os senhores têm conhecimento disso… – Maria Cristina, durante sua primeira aula de Noções Gerais de Direito. 23.03.01
  • Vocês conhecem o chefe do departamento?” (a gente respondeu “não”) “Que ótimo, assim vocês não vão reclamar nunca (da aula de direito)! – Maria Cristina. 23.03.01
  • A complexidade neste caso nem é tão complexo – Ferrari, durante sua primeira aula de Estrutura de Dados. 15.03.01
  • A memória RAM depende do refresh que depende de energia que depende de FHC que depende do FMI – Ednaldo, na sua primeira aula de Organização e Recuperação de Informação. 13.08.01
  • Ter saido tarde da noite ontem do DC e estar sem carro, tendo que me locomover via bicicleta. – André Bataiola, professor de Computação Gráfica, explicando pq não foi dar aula na terça de manhã. 14.08.01
  • Quanto que é 3 dividido por 1? – Eu, dando tela azul depois de estudar Cálculo por um longo período de tempo.
  • … e agora você tira o PI pra fora. – Kicho, explicando que era necessário colocar o PI (letra grega) em evidência, enquanto estudávamos alguma matéria de matemática.
  • Fui informada que os alunos na manhã de ontem se reuniram em Assembléia e decidiram entrar em greve. Portanto, não cabe as perguntas que estão sendo feitas sobre se os professores vao ou nao dar aulas, já que os alunos estão em greve. – Tata, ironizando a assembléia dos alunos, que decidiram entrar de greve. 23.08.01
  • Essa história de greve dos alunos não tem validade nenhuma. Quem sempre define e definiu a existencia ou não de atividades foi o corpo docente, se a greve acabar e a “greve dos alunos” não, não tenho duvida quanto aos nossos destinos. Só pode ser brincadeira dizer que já que a gente decidiu, não vai ter aula. Felizmente os alunos nunca desrespeitaram ninguem e não merecem ser tratados com sarcasmo por alguns docentes… – Big, em resposta à afirmação anterior. 23.08.01
  • Tata, se faz você mais feliz, eu na condição de aluno sou o responsável por não termos mais aulas – Rodrigo Aguirre, também respondendo a Tata. 23.08.01
Deixe um Comentário

2 Comentários.

  1. i would like to stay informed of your new posts. thanks a lot.http://www.1001passagens.com

  2. ahahahahaah tem algumas situações bem engraçadas, acho que tem coisa que independe do curso todo mundo já falou ou ouviu…ahahahah 3 dividido por um é uma das clássicas 🙂
    Legal seu blog, bjs
    Ju

Não fique de fora, dê sua opinião!

%d blogueiros gostam disto: