Museu do Prado

Hoje fomos ao Museo Nacional del Prado em Madri e passamos incríveis 8 horas lá dentro.

Nunca havia visto tanto quadro e tantas esculturas em minha vida!

Vi de perto, ao vivo, obras primas como:

  • The Garden of Earthly Delights, de Bosh
  • The Cardinal e Madonna of the fish, de Rafael
  • Bacchanal of the Adrians, Chareles V at Mühlberg e Danäe and the Shower of Gold, de Titian
  • The Holy Trinity, The Adoration of the Shepherrds e Knight with his hand on his Chest, de El Greco
  • David Victorious over Goliath, de Caravaggio
  • The Drinkers, The Surrender of Breda, The Buffon Don Diego de Acedo, Las Meninas e The Spinners, de Velázquez
  • The Patrician`s Dream  e The Inmaculate Conception, de Murillo
  • The Adoration of the Magi e The Three Graces, de Rubens
  • Self Portrait with Sir Endymion Porter, de Van Dyck
  • Artemisa, de Rembrandt
  • The Paraso, The naked Maja, The Family of Charles IV, The Thir of May 1808 e Saturn devouring his Child, de Goya

Sem contar com outras obras desses artistas, principalmente dos espanhois e mais inúmeras outras obras de diversos outros artistas de diversas nacionalidades, com pinturas que vão de 1.100 a 1.800, aproximadamente.

Visitamos a exposição temporária “The art of power. The Royal Armoury and court portraiture”, onde foi possível conhecer a história da pintura de monarcas e membros da família real vestidos com suas armaduras e a história por trás delas, seus artistas e outros detalhes.

Foi muito interessante ver quadros famosos, principalmente dos reis espanhóis Carlos V, Felipe II, III e IV e a armadura original, retratada na pintura, em pé alí do lado!

O almoço dentro do Museu do Prado foi o melhor até hoje: salmão grelhado com batatas de prato principal, salada (pra Ananda) e macarrão (pra mim) de entrada, pão, cheesecake de amora como sobremesa e uma bebida, tudo por 15 euros.

Lá tinham várias mesas com o tampo decorado com pedras, sendo que duas eu achei simplesmente inacreditáveis. São praticamente dois quadros feitos de pedras! No Palay Real também tinham algumas mesas assim, inclusive uma feita de milhares de minúsculos pedaços de pedras.

As duas mesas que me impressionaram tanto no Prado são francesas, creio que lá verei mais peças assim.

Quando saímos do museu fomos no Parque Buen Retiro, onde tem um lago com barquinhos a remo, mas chegamos às 20:15 e já estavam fechados. Andamos pelo parque até 21:40, quando escureceu, então pegamos o metrô até a Plaza Mayor.

Queríamos jantar lá, mas achamos tudo muito caro. Acabamos comendo no Museu do Jamon. É um restaurante especializado em presunto (jamon em espanhól). Tomamos um jarra de sangria e voltamos a pé pro hotel.

É incrível como quase meia noite as ruas do centro ainda estão cheias de pessoas andando, como se fosse pleno dia.

Ontem às 2 da manhã, da janela do hotel, conseguia ver a Gran Via cheia de pedestres.

Agora vou dormir. Amanhã vamos pra Toledo.

Deixe um Comentário

0 Comentários.

Não fique de fora, dê sua opinião!

%d blogueiros gostam disto: