Dia tranqüilo por Paris

Hoje o dia foi bem light. Andamos muito de metrô e trem, caminhamos um bocado e conhecemos a Île de la Cité e arredores.

Fomos na Sainte-Chapelle, que tem 15 vitrais incríveis descrevendo a paixão de Cristo e o motivo da construção da capela, além de uma pinturinha de nada que na verdade é o afresco mais antigo de Paris. Pelo que consta a capela foi construída para abrigar a coroa de espinhos que Cristo usou. A cora de espinhos em si custou ao rei mais que a construção da capela…

Depois fomos para Notre Dame, subimos na torre, vimos os gárgulas, vimos o sino e descemos. Estava um frio danado lá, hoje caiu a temperatura em Paris e como ontem estava muito quente em Versalhes, não chegamos a pegar blusa hoje… hoje pegamos fila pela primeira vez, no frio, sem blusa… foi terrível!

A Catedral de Notre Dame, é enorme, mas a de Madri é muito maior e mais bonita. Acho que a Catedral de Notre Dame ficou importante mais por conta do livro de Victor Hugo do que pela sua beleza. Muitos reis franceses foram coroados em Notre Dame, isso também tem peso, claro…

Pegamos o trem até o Panthéon, um lugar incrivelmente grande onde, além de ser grande, está o Péndulo de Foucault (que em 1851, no Pantheon, foi a primeira demonstração pública de que a terra gira em torno de si) e vários franceses famosos estão enterrados, como Voltaire, Rousseau, Victor Hugo, Alexandre Dumas, Marie-Curie e Louis Braile.

Depois fomos pro Jardin du Luxemburg. Um parque incrível, bem grande, com muitas flores, árvores, lagos e marrecos… um típico parque parisience. Incrível como qualquer lago por aqui tem marrecos… nos grandes além dos marrecos também têm cisnes. Como nos quadros!

Agora já estamos no albergue de novo, tomando vinho Bordeaux e comendo queijo Brie e Cambembert com geléia de framboesa e damasco… vida difícil!

Talvez hoje iremos pra algum pub ou bar aqui perto, já que será a penúltima noite em Paris. Estamos a duas quadras do Moulin Rouge, mas custa 80 euros!

Hoje também encontramos brasileiros em todos os lugares que fomos. Não sabia que haviam tantos brasileiros viajando para o exterior. Até aqui no albergue descobrimos que tem um brasileiro junto com uma japonesa. Ambos moram no Japão e estão aqui fazendo o trabalho de conclusão de curso da faculdade.

Deixe um Comentário

1 Comentários.

  1. Henrique, estamos todos acompanhando a sua viagem! Muito bons os seus relatos. E não deixe de usar as bikes de Paris (www.velib.paris.fr). Aproveite que é de graça! Abraço! Diego

Não fique de fora, dê sua opinião!

%d blogueiros gostam disto: