Arquivos de Categorias: Tecnologia

Como instalar Python no Mac

Desde que comprei meu Macbook estou usando-o para fins cotidianos como qualquer outro usuário de Mac usaria, mas ao deparar-me com um problema que podia ser resolvido programaticamente, resolvi instalar o Python no Mac para criar um programa.

python-on-mac

Como sempre fiz no Mac, acreditei que era só baixar no site https://www.python.org/downloads/ a versão para Mac OS X e instalar… só que não! Até pode funcionar, mas não é a melhor forma (como percebi depois). Eu precisava de uma biblioteca que só funciona no Python 2 e eu tinha instalado o Python 3.4.3, quando instalei o Python 2.7.10 ele não funcionou…

Depois de muito pesquisar, cheguei no passo a passo que descrevo abaixo. Grande parte veio deste vídeo no youtube.

  • Baixe o XCode no AppStore
  • Abra o XCode e vá em Preferences -> Locations -> e verifique que tem um Command Line Tools selecionado
  • Abra o terminal (clica no lupa no canto direito superior da tela e digita terminal)
  • Execute o comando “xcode-select –install” (sem as aspas – vai instalar o Command Line Tools)
  • Instale o Home Brew
  • Execute o comando “brew doctor”
  • Execute o comando “brew install python3”
  • Execute o comando “brew linkapps python3”
  • Execute o comando “brew doctor”
  • Execute o comando “brew install python”
  • Execute o comando “brew linkapps python”
  • Execute o comando “brew doctor”
  • Edite o arquivo .profile que está na pasta home (~) e inclua a seguinte linha “export PATH=/usr/local/share/python3:/usr/local/share/python:$PATH”
  • Edite o arquivo /etc/paths e deixe a linha “/usr/local/bin” como sendo a primeira
  • Feche e abra o terminal
  • Verifique as versões do Python que foram instaladas com os seguintes comandos: “python –version”  e “python3 –version”

O Mac já vem com uma versão do Python instalada – ela não pode ser atualizada e precisa ser mantida ou o Mac OS para de funcionar. Para verificar a versão do Python preinstalada no Mac execute o comando “/usr/bin/python –version”

O editor de Python que estou usando é o gratuito PyCharm Community Edition, que baixei e instalei normalmente do site do PyCharm.

Para configurar o PyCharm pra usar o Python que foi instalado tem de ir em PyCharm -> Preferences -> Project: Python -> Project Interpreter -> clicar na engrenagem -> adicionar os paths /usr/local/bin/python e /usr/local/bin/python3 e selecionar um dos dois para ser o default.

Convergência Apple

Cada vez mais os dispositivos eletrônicos se comunicam, mas a Apple consegue fazer isso com tanta maestria que eu sempre me surpreendo.

Faz uns 20 anos que meu sonho era ter um computador Mac, mas por questões orçamentárias não era possível. Tenho um iPhone, que quase aposentou meu computador e recentemente adquiri um Macbook. Apaixonei.

Recebo ligação no celular e consigo atender pelo notebook, isso é muito interessante. Consigo pelo notebook mandar iMessage para meus contatos que têm iPhone, sem que eles precisem instalar nada. Instalar impressora é tão simples quando mandar imprimir.

A Apple TV é uma atração a parte. Eu usava o Playstation 3 para assistir Netflix na TV (minha TV é burrinha), mas o consumo de energia do PS3 é considerável, já basta a TV de plasma. Fiquei em dúvida entre pegar um Chromecast da Google ou a Apple TV pelo dobro do preço e num momento consumista peguei a Apple TV. Ótima escolha!

AirPlay no iPhoneConsigo de forma incrivelmente simples, pelo wi-fi, sem instalar nada em lugar nenhum, transmitir a tela do laptop ou do celular para a TV, bastando clicar no ícone do AirPlay. O que eu acabei de descobrir é que consigo transmitir um video do celular para a Apple TV, assistir na minha TV em tela cheia HD com home theater e tudo mais e ainda continuar usando o celular para outras funções, como WhatsApp, Facebook, navegar na net sem interferir no video que é exibido na TV.

Programas Indispensáveis no Windows

Sempre que eu formato meu Windows (o que aliás, acontece em média a cada 2 anos) eu preciso reinstalar todos os softwares. Muitos amigos já me perguntaram quais programas eu acho indispensáveis no computador, então fiz a lista abaixo. Os dois primeiros eu comprei todos os outros são gratuitos.

Tem ainda alguns drivers que preciso instalar:

  • Impressora HP
  • Webcam Logitech
  • Roteador Cisco
  • Placa de Vídeo NVidea
  • HD Western Digital

Edição de Vídeo para YouTube no Windows

Adoro fotografar mas não sou de ficar filmando pra não ter o trabalho de editar vídeos, mas neste fim de semana minha filha ficou tão feliz ao receber uma festa surpresa que quero editar o filme que fiz, para que meus amigos e familiares possam ver a alegria dela no YouTube.

Tentei seguir a dica do Devin Supertramp, meu casual filmmaker preferido, pra exportar vídeo para o Youtube mas ele usa o software Compressor 4 pro Final Cut Pro, que só funciona em um Mac. Como não sou um feliz proprietário de um, resolvi tentar o gratuito Windows Movie Maker, da Microsoft.

O resultado ficou bom. Consegui cortar parte do início, parte do fim e salvar o arquivo em um formato que o YouTube aceita.

Pão wi-fi

Ontem após me deitar decidi fazer um pão na máquina de pão e deixar programado pra ficar pronto quando acordasse, já que em 5 minutos preparava tudo. Levantei-me, procurei na cozinha mas não achei a receita do pão de iogurte e não queria ligar computador e correr o risco de agarrar lendo e-mail, vendo Facebook…

Lembrei-me que havia enviado-a por e-mail. Tirei o celular do carregador, procurei por “iogurte” na caixa de enviados, achando rapidamente. Após colocar a água na máquina fui ver o próximo ingrediente e o maledito já estava bloqueado, pedindo senha para desbloquear…

Por um breve instante pensei: se tivesse a receita impressa seria beeeem mais fácil. Sem acreditar muito fui ver se havia opção de imprimir e-mail no celular e fiquei surpreso quando vi o botão “Imprimir”. Totalmente descrente cliquei e ele não listou impressora nenhuma, como eu esperava, mas tinha uma opção “Localizar” e, lembrando-me do martírio pra usar impressora wi-fi no Windows, cliquei nele. Em menos de 1 segundo ele mostrou a impressora “HP Photosmart D110 series”. Selecionei ela e, entre sair da cozinha e ir pra sala, a impressora já havia começado a imprimir.

O mundo fica mais complicado, as tecnologias mais estranhas, mas hei de admitir que algumas facilidades acabam surgindo.

Sincronizar horário de fotos de câmeras diferentes

Na minha última viagem de férias foi a família toda, cada um com sua respectiva câmera fotográfica, tirando fotos ao mesmo tempo, nos mesmos lugares.

Pensei em juntar as fotos de todo mundo e montar um álbum com as fotos na ordem cronológica em que foram tiradas, apagando as fotos que ficaram ruins e deixando apenas as melhores fotos de cada lugar, independentemente de quem havia tirado.

Foi aí que percebi que teria um serio problema: cada câmera estava com uma hora diferente e quando os arquivos das fotos eram ordenados por data, ficava tudo embaralhado.

As fotos selecionadas foram tiradas com outra câmera, horas antes

Se eu sincronizasse o horário das câmeras as novas fotos ficariam na ordem correta, mas todas as fotos que já haviam sido tiradas continuariam erradas.

Para solucionar o problema mantive a hora de cada câmera e fotografei meu relógio com todas as máquinas, assim eu sabia qual era o horário correto e quantos tempo (segundos, minutos ou horas) a mais ou a menos cada câmera estava.

Foto da câmera Canon SD1000 às 11:29:41

Um leitor comum, não nerd deve estar pensando: “E daí? Não resolveu o problema!”, mas o desfecho da história segue abaixo.

Toda câmera fotográfica digital moderna grava alguns metadados da foto (informações sobre a foto) na própria foto, utilizando um padrão chamado Exif. No Exif fica gravado o modelo da câmera, se o flash foi disparado ou não, distância de foco, tempo de exposição, megapixels, data e hora em que a foto foi tirada, entre inúmeras outras informações.

O horário da câmera era 13:25:54 quando a foto acima foi tirada

O que fiz foi utilizar 3 programas para acertar os horários das fotos no Exif e no arquivo:

  • JHead versão 2.96 de 22 de Junho de 2012 (link download)
  • jpegtran versão 8d de 15 de Janeiro de 2012 (link download)
  • ExifTool versão 8.98 de 28 de Julho de 2012 (link download)
Foram os seguintes comandos:

jhead -model SD1000 -cmd "ren &i Ananda_&i" img*.jpg
jhead -model SX210 -cmd "ren &i Ana_&i" img*.jpg
jhead -model S100 -cmd "ren &i Henrique_&i" img*.jpg
jhead -autorot -di -dx *.jpg
jhead -ft *.jpg
jhead -ta-1:56:13 -model SD1000 *.jpg
jhead -ta-1:52:58 -model SX210 *.jpg
jhead -ta+1:00:52 -model S100 *.jpg
jhead -ft *.jpg
exiftool "-AllDates<DateTimeOriginal" "-FileModifyDate<DateTimeOriginal" *.jpg

Explicação:

  • Os comandos 1, 2 e 3 renomeiam as fotos de acordo com o modelo da câmera. Supondo que existam 3 arquivos IMG_0001.jpg, um tirado pela câmera S100 do Henrique, um pela câmera SX210 da Ana e a outro pela câmera SD1000 da Ananda, com esse comando os arquivos terão os nomes Henrique_IMG_0001.jpg, Ana_IMG_0001.jpg e Ananda_IMG_0001.jpg. É para evitar que existam arquivos com o mesmo nome na mesma pasta.
  • O comando 4 é para rotacionar as fotos, usando o sensor de orientação das câmeras (paisagem ou retrato) e remover outros dois metadados da foto: o IPTC e o XMP. Esse são semelhantes ao Exif e utilizados por alguns programas, como Picasa e Photoshop. Por eles também conterem a data da foto, caso a data do Exif seja alterada, algum desses programas pode “des-alterar” e voltar a data que está no XMP ou no IPTC.
  • Os comandos 5 e 9 são na verdade o mesmo e servem para fazer com que a data do arquivo seja a mesma que a do campo DateTimeOriginal do Exif
  • Os comandos 6, 7 e 8 são para deslocar a hora que está no campo DateTimeOriginal do Exif em mais ou menos horas, minutos e segundos. No exemplo acima a foto foi tirada às 11:29:41 mas a data da câmera era 13:25:54, ou seja precisa subtrair 1h56m13s da hora do Exif/arquivo.
  • O comando 10 é para fazer com que todas as datas do Exif (DateTimeOriginal, CreateDate e ModifyDate) tenham o valor do DateTimeOriginal e que a data do arquivo seja a mesma que a do campo DateTimeOriginal do Exif

PS3 Media Server não encontra PS3: como resolver

O Windows é como a Matrix, chega uma hora em que é necessário formatar e começar tudo de novo.

Formatei meu Windows 7, configurei tudo zero bala e feliz da vida instalei o fantástico PS3 Media Server, um servidor de mídia (vídeos, fotos e músicas) para o Playstation 3.

PS3 Media Server

Foi aí que começou a penitência: nem ferrando PS3 Media Server reconhecia o Playstation… minha configuração é a seguinte:

  • Playstation 3 Slim 160Gb ligado na rede via cabo Ethernet
  • Roteador DLink DI-524
  • Windows 7 Professional 64bits com Service Pack 1
  • Processador Intel Core Quad Q9400 @ 2.66GHz com 4GB de memória RAM
Liberei portas no Firewall do Windows, configurei IP fixo, redirecionei porta do roteador, fiz de tudo e nada do PS3MS reconhecer o PS3…
Quando já estava quase desistindo, após muito vasculhar na Internet, encontrei um comando mágico que resolveu todos os meus problemas:

netsh advfirewall firewall add rule name="allow PMS" dir=in protocol=tcp localport=5001 security=notrequired

O que esse comando faz é adicionar uma regra no firewall do Windows para permitir entrada de dados via protocolo TCP na porta 5.001, desabilitando toda e qualquer verificação de segurança nessa conexão. Eu não encontrei como configurar isso na tela de configuração do Firewall, só por linha de comando mesmo.

mIRC, ICQ, MSN, Twitter, Facebook, Google+

Há muito tempo usei o mIRC para falar com os amigos. Muitos não devem nem saber o que é… depois passei a usar o ICQ, que alguns já devem ter ouvido falar.

Hoje uso tanto o MSN (Messenger/Live) quanto o Twitter e o Facebook. Vi um vídeo que diz que existem mais fazendeiros no Farmville (80 milhões) que fazendeiros reais (1 milhão).

Agora surge na crista da onda um novo participante, o Google+, implementando o conceito de círculos de amizade, seguindo o que Paul Adams (ex-senior user experience research do Google) falou em sua apresentação “The Real Life Social Network“, conforme comentei aqui há quase 1 ano.

O Facebook está tão desesperado, que apagou todos os anuncios do Michael Lee Johnson, só por que ele pedia para lhe adicionarem ao Google+

Anuncio proibído. Screenshot de Chris Matyszczyk/CNET

Anuncio proibído. Screenshot de Chris Matyszczyk/CNET

O Facebook mandou spam com convite pro Facebbok para todos os meus contatos do GMail, pois por igenuidade eu pensei que ele só iria ver se alguém da minha lista de contatos já estava lá e me mostrar, para eu adicionar…

Já o caminho contrário é expressamente proibido. Não tem como exportar a lista de amigos ou seus e-mails pelo Facebook e eles não permitem que nenhuma aplicação leia essas informações.

Ponto positivo para o Google+, que é democraticamente aberto. Mas o Paul Adamns agora está no Facebook… a briga vai ser boa!

Vírus em PowerPoint, Word e Excel

Eu nunca abro uma apresentação em PowerPoint que me é enviada por e-mail, inclusive minha mãe parou de mandá-los para mim. Eu nunca confiei neles, por achar que poderiam ter vírus, trojans, malwares, códigos malicioso… qualquer coisa do gênero.

Hoje eu confirmei minha suspeita. A Microsoft publicou um add-in para validação de arquivos no Office 2003 e Office 2007 para passar a verificar arquivos Excel (arquivos com extensão .xls ou .xlt), PowerPoint (arquivos com extensão .ppt, .pps ou .pot) e Word (arquivos com extensão .doc ou .dot). Essa funcionalidade já existe no Office 2010.

Segundo a própria página da Microsoft:

File format attacks exploit the integrity of a file, and occur when the structure of a file is modified with the intent of adding malicious code. Usually the malicious code is run remotely and is used to elevate the privilege of restricted accounts on the computer. As a result, an attacker could gain access to a computer that was not previously accessible. This could enable an attacker to read sensitive information from the computer’s hard disk drive or to install malware, such as a worm or a key logging program.

Eles finalmente admitiram que apresentações do PowerPoint, planilhas do Excel e documentos do Word são susceptíveis a transmitir vírus ou programas maliciosos que podem ler informações do disco rígido e instalar softwares, como um keylogger, que consegue capturar logins e senhas digitadas.

O plugin vai eliminar este problema? Segundo uma pesquisa feita pela CERT não vai. Ele é efetivo em aproximadamente 50% dos casos.

Em outras palavras, a chance de um arquivo do Office com vírus ser aberto sem detectar o vírus é a mesma de se jogar uma moeda para cima e cair “cara”. Pense então na possibilidade de, em uma semana, receber 10 documentos infectados. A chance do Office detectar e bloquear a abertura de todos eles é a mesma de jogar a moeda para cima 10 vezes e me todas elas cair “cara”. Pode tentar… é beeeem difícil.

Visitas, Sazonalidade e Velocidade

Não conheço nada que explica o que é sazonalidade melhor que o padrão de visitas em meu blog. Nos dias úteis as visitas atingem seu ápice e durante os fins de semana elas caem drasticamente. O gráfico abaixo mostra o número de visitas diárias desde o início do ano. Nem é preciso dizer que cada vale é um fim de semana e que os vales maiores são feriados prolongados…

Visitas do HoloCoCos @ TNT em 2011

Visitas do HoloCoCos @ TNT em 2011

Já a velocidade de carregamento das páginas do blog… está difícil abaixar para um valor aceitável. O tempo médio de carregamento de cada página chegou a incríveis 25 segundos, uma eternidade para os padrões da Internet de hoje em dia. O gráfico abaixo mostra bem isso.

Velocidade do blog HoloCoCos @ TNT em 2011

Velocidade do blog HoloCoCos @ TNT em 2011

Já utilizei os plugins WP Super Cache, WP Minify e W3 Total Cache, mas não adiantou muito, como pode ser comprovado pelo gráfico acima. Ontem então tirei o W3 Total Cache do blog e já houve uma melhora significativa no tempo de carregamento.

Definitivamente não gostei do plugin W3 Total Cache, que além de ter deixado o site mais lento, ainda é difícil de configurar, com um minify que não funciona para todo JavaScript ou CSS e principalmente por causar incontáveis erros 500 (Internal Server Error) e 404 (Page not Found) no blog.

Vou deixar o blog um tempo sem nenhum plugin de cache e depois volto para o confiável WP Super Cache pra comparar.

Importar comentário do DotComment no WordPress

Em 2001, época em que criei meu blog, os blogs não possuíam sistema de comentário, eram mais como um diário. Algumas soluções surgiram para tentar transformar um blog em um “chat”: Reblogger, Haloscan, SnorComments, DotComments, entre outros menos famosos. A extinção deles foi consolidada quando o Blogger, maior publicador de blogs da época, criou seu próprio sistema para comentar.

O grande problema desses sistemas alternativos é que quase todos utilizavam uma base de dados centralizada, que quando deixava de funcionar ou era desativada, sumia com todos os comentários de todos os blogs. Por isso eu usava o DotComments, que grava os comentários em um arquivo de texto no meu servidor.

Em 2007 quando migrei o blog do Blogger para o WordPress consegui levar os 1,846 posts que havia escrito lá e ainda manter suas URLs, mas os comentários que estavam em arquivos textos não eram exibidos. Sabiamente incluí como metadado do post no WordPress o ID que ele tinha no Blogger, para futuramente poder carregar os comentários no WordPress.

Hoje finalmente esse dia chegou!

DotComments2Wordpress

DotComments2Wordpress

Construí um aplicativo em C#.NET que lê todos os arquivos com extensão “.comment” em um diretório e cria comandos SQL de INSERT para inserir todos os comentários no post certo do WordPress! Importei um total de 1.604 comentários em 507 posts!

Quem quiser usar, o programa é esse. Quem quiser saber como eu fiz, o código fonte é esse.

Java faz, .Net corre atrás

O Java da Sun (atualmente Oracle) nasceu em 1995 e vem evoluindo desde então. Tem como principais ambientes de desenvolvimento o NetBeans da Sun (atual Oracle), o Eclipse da Eclipse Foundation, o InteliJ da JetBrains e o o JDeveloper da Oracle.

O Framework .NET da Microsoft que tem o C# como carro chefe nasceu 7 anos depois, em 2002, com algumas melhorias em relação ao Java, muitas das quais o Java acabou incorporando em versões posteriores. A evolução da linguagem foi bem rápida, tendo o Microsoft Visual Studio como o ambiente padrão de desenvolvimento.

Nos anos nos quais Java dominava sozinho a base de usuários e novas APIs prosperou. Quando o C# entrou na briga, trazendo consigo uma legião de Microsoft lovers entediados com o já ultrapassado Visual Basic 6, a briga ficou boa. Aqui tem uma lista de diferenças entre Java e C#.

Uma característica interessante que percebo hoje é que muitas das APIs para .NET são adaptações de APIs já existentes para Java. Isso é bom tanto para o mundo Java, que mantém o controle do design da arquitetura destas APIs quanto para o mundo .NET, que ganha de bandeija APIs com a mesma arquitetura robusta e confiável desenvolvida para Java.

Ao desenvolver um gerador de relatórios em C# .NET, utilizei diversas APIs oriundas do mundo Java:

Melhor Internet 3G

Hoje, finalmente, aderi à tecnologia 3G. Cansei-me de usar internet no notebook através do 2G do celular, via bluetooth. Uma lástima!

Peguei um plano de 2GB mensais na TIM, com velocidade média máxima de 3Mbps e média mínima de 1Mbps. Quando terminar a franquia de 2GB, a velocidade fica limitada a 300Kbps, sem cobrar o absurdo de R$ 102,40 por Gigabyte adicional como as outras operadoras cobram (Oi, Vivo e Claro). A mensalidade é de R$ 80,00.

Como já sou cliente pós pago na TIM, o modem saiu de graça, sem fidelização, senão sairia por R$ 96,00. Teoricamente se amanhã eu cancelar o plano, continuo com o modem, sem ter de pagar multa alguma. Li as letrinhas pequenas dos contratos e não encontrei nenhum “porém”… mas está difícil de acreditar.

O que não consigo entender é o departamento de marketing das operadoras de celular…

Tanto no site quanto na loja da Oi a franquia de 2GB sai por R$ 70,00 mensais (até o fim do ano fica em R$ 50,00 mensais), com velocidade de 300kbps. Após consumir a franquia, ou paga-se o extorsivo valor de R$ 0,10 por megabyte ou fica sem conexão. O modem custa R$ 180,00 mas levando-0 junto com o plano ele sai por R$ 150,00. Só compensa para quem já tem um modem e usa Internet muito pouco, pois o modem na Oi é o mais caro das 4 teles, além de oferecer a pior velocidade e cobrar megabytes excedentes, sem opção de continuar navegando com redução de velocidade.

No caso da Vivo o plano de franquia de 2GB sai por R$ 90,00 mensais, com velocidade de 1Mbps, modem a R$ 10,00 e ao consumir os 2GB há a opção de navegar com velocidade limitada a 128kbps ou pagar os 10 centavos por MB. No primeiro mês há um desconto de R$ 40,00 na mensalidade. Tanto a velocidade mínima quanto a máxima são menores que as da TIM, além da mensalidade ser 12% mais cara. Quem for cliente pós-pago da TIM e ganhar o modem, em 3 meses a TIM já é mais vantajosa, financeiramente falando. Que não for cliente e tiver de pagar os R$ 96,00 do modem na TIM, por 1 ano a Vivo é financeiramente mais vantajosa, mas depois passa a ser mais cara.

No site da TIM só encontrei (após muito procurar, está super escondido) o plano de internet POR HORA!!!!! Eu usava isso em 1996, quando a Internet estava começando no Brasil. Como minha idéia é deixar o notebook conectado no trabalho, no horário comercial, utilizarei aproximadamente 180 horas mensais, excedendo inclusive as as 120 horas do maior plano. Só vejo vantagem nesse plano para quem ainda não usa Internet e quer experimentar. Isso não tem futuro, já que a tendência de utilização de Internet é ficar cada vez mais conectado. O Google já tem um sistema operacional que roda na Internet, sem precisar armazenar nada no computador, a grosso modo.

Não fui na loja da Claro, mas eles são iguais à Oi. Após consumir a franquia, ou paga-se 10 centavos por megabyte excedente ou fica sem conexão. O marketing deles é tão cara de pau que merece um post exclusivo! É pior que a internet por hora da TIM.

Estou conectado há 30 minutos, já baixei 125,2 MB e enviei 2,9MB, por conta de atualizações do Windows e do anti-virus. Certamente extrapolarei os 2GB de franquia, mas continuarei navegando com uma velocidade aceitável e não pagarei nada a mais por isso. Essa promoção da TIM tem o melhor custo-benefício, sem dúvidas.

Full HD

Desta vez quando digo “Full HD” não estou me referindo à qualidade de vídeo “Full High Definition”, mas ao Hard Disk do meu computador que está lotado até o talo!

Meu HD, cheio até a borda

Meu HD, cheio até a borda

Será que isso justifica comprar um HD Western Digital Caviar Green de 2TB? Ele é extremamente silencioso,  consume pouca energia e esquenta pouco, com 64MB de buffer (modelo WD20EARS).

O problema é o preço…

Vou ver se algum conhecido vai pros Estados Unidos, pois na Amazon sai por aproximadamente R$ 130! Senão compro na KabuM mesmo. Já comprei algumas coisas nessa loja, é muito boa.

Aqueda de um império

1999, 3º ano do 2º Grau, 17 anos

O antigo confronta o novo. De um lado, a modernidade do telefone celular, de outro, o charme do papel e tinta. Serão o papel e a tinta substituídos pela tecnologia do celular?

O papel vem sendo usado há mais de 1.000 anos pela humanidade, faz parte de nossa história, é nossa história. O papel perpetua um fato qualquer, é um documento aceito em qualquer parte do mundo. Se não fossem o papel e a tinta, a memória oral não passaria para nós esta imensidão de conhecimentos que recebemos através dele. O papel e a caneta têm seu charme, são baratos, acessíveis a qualquer pessoa, mesmo as mais abastadas. Outro grande ponto do papel e tinta é que estes mantêm seu anonimato, enquanto o celular informa timbre de voz, além do número de quem está do outro lado da linha.

O celular é o que há de mais moderno em termos de comunicação à distância. É extremamente prático, possibilita falar com qualquer pessoa em qualquer lugar a qualquer hora. É rápido, basta algumas tecladas e já está falando. É eficiente, em alguns segundos já está recebendo a resposta. É muito mais avançado que o papel, já que possibilita conversa em tempo real. É possível chamar um médico que está voltando do hospital para casa, de maneira que ele chegue a tempo de salvar o paciente, por exemplo. Além disso, o celular é quebrável e só funciona em determinadas áreas, o papel desmancha com a umidade e envelhece com o tempo. A traça come o papel e o celular é caro.

O papel está com os dias contados. A praticidade do celular é diretamente proporcional à idade do papel. A cada dia que se passa, mais recursos são incorparados ao celular, como jogos, agenda, calendário, secretária eletrônica, é-mail. O papel já desempenhou de maneira notável sua missão. O papel continuará existindo, é lógico, mas não para a comunicação, o celular se tornará, está se tornando, forma de comunicação mais utilizada no mundo. É o fim do império do papel.

Comentário da professora:

Você se esqueceu do item “c” da proposta.

%d blogueiros gostam disto: