Arquivos de Categorias: São João del-Rei - Page 2

I Encontro da Rede Internacional de Municípios pela Cultura

Convite do 1º Encontro da Rede Internacional de Municípios pela CulturaO objetivo é promover o intercâmbio cultural entre cidades de diversos países

São João del-Rei se transformará no ponto de interseção mundial entre culturas de diversas cidades de diferentes países. A Capital Brasileira da Cultura 2007 será a sede do 1º Encontro da Rede Internacional de Municípios pela Cultura, que acontece entre os dias 28 de novembro e 1º de dezembro de 2007 . A promoção do evento é da Prefeitura Municipal, através da Secretaria Municipal de Cultura e Turismo de São João del-Rei e do Comitê Executivo da CBC 2007.

Já estão confirmadas as presenças de políticos, agentes culturais e artistas de cidades como Serpa, Beja, Caminha, Vila Nova de Famalicão e Palmela, de Portugal; de Punta Umbría e Cortegana, da Espanha; de Patzún e San Bartolomé, da Guatemala; e de San Vicente, de Cabo Verde. Do Brasil, além da anfitriã São João del-Rei, estarão presentes as cidades de Itabira, Santa Bárbara, Congonhas, Itabirito, Outro Preto e Olinda. A Associação das Cidades Históricas de Minas Gerais também marcará presença.

O objetivo do evento é focalizar questões como a diversidade cultural, através do intercâmbio entre cidades brasileiras e de outros países, o desenvolvimento e a preservação de manifestações culturais e artísticas e destacar a centralidade da cultura nas administrações das cidades envolvidas no projeto. Para isso, serão realizadas palestras, debates, espetáculos teatrais, de dança, de música, visitas técnicas, mercado cultural, exibição de filmes e mostra de fotografias. Cada cidade será representada por agentes culturais e artistas que trarão suas contribuições e demonstrarão parte de suas manifestações artísticas durante o encontro.

O perfil do 1º Encontro da Rede Internacional de Municípios pela Cultura será o de um amplo intercâmbio cultural que irá procurar valorizar as culturas locais de diferentes cidades e países. Ao mesmo tempo, buscará criar alternativas para o desenvolvimento cultural dos municípios pela discussão e interação com a população local de aspectos ligados às políticas para o setor.

O projeto da Rede Internacional de Municípios pela Cultura iniciou-se na gestão do prefeito da cidade portuguesa de Serpa, João Rocha, no Festival de Cultura em 2006. A intenção era criar um intercâmbio cultural entre cidades de diversos países. Através da troca de informações e experiências, o que se busca é promover a valorização do patrimônio cultural material e imaterial. No Brasil, o projeto é coordenado por Cléber Camargo Rodrigues, da empresa Excelência Ltda. As cidades que estarão presentes em São João del-Rei para esse primeiro encontro são as que iniciam um projeto que deverá crescer muito nos próximos anos.

Orquestra Pró-Arte Sinfônica de São João del-Rei

O amigo Rodrigo Sampaio me passou o e-mail abaixo sobre a Orquestra Pró-Arte Sinfônica de São João del-Rei, que aqui repasso.

Este grupo foi criado no final de maio deste ano e fará seu concerto inaugural no próximo dia 15/11/2007, às 20h30, na Igreja de São Francisco de Assis.

São João del-Rei já possui duas orquestras sacras: a Orquestra Ribeiro Bastos (ORB) e a Orquestra Lira Sanjoanense (OLS). Também tem uma orquestra de repertório de concerto, a Sociedade de Concertos Sinfônicos (SCS). Agora além destas três orquestras, a OPAS-SJDR vem ratificar a vocação da cidade como “Terra da Música” e tem por objetivo, assim como a SCS, estimular, produzir e apresentar a música de concerto a todos.

Convido a todos para prestigiarem o concerto inaugural da Orquestra Pró-Arte Sinfônica de São João del-Rei: OPAS – SJDR

No repertório:

I Parte

Bach, J. S.
Concerto para dois violinos, cordas e contínuo
em ré menor BWV 1043
I. Vivace
II. Largo ma non tanto
III. Allegro

Cleiton Ribeiro, violino I
Letícia Simas,violino II

II Parte

Vivaldi, A.
Concerto em mi maior RV 269 “La Primavera” das Quatro Estações
I. Allegro
II. Largo e pianissimo sempre
III. Allegro

Lígia Veloso Fiche, violino solo

Grieg, E.
Peer Gynt: Suíte n° 01, op. 46
I. Morning Mood
II. Ase’s Death

Peer Gynt: Suíte n° 02, op. 55
IV. Solvejg’s Song

Beethoven, L. van
Sinfonia n° 05 em dó menor op. 67
I Allegro com brio

Rodrigo Sampaio, regência

Lendas de São João del-Rei

Igreja do Carmo no fim da Rua Getúlio VargasUm dos livros interessantes de São João del-Rei é o “Contam que…“, de Lincoln de Souza, que traz 12 lendas que fazem parte do folclore sanjoanense.

Quando eu e Marcelo fizemos o site de São João del-Rei, disponibilizamos na íntegra esse livro, que hoje só se encontra em sebos.

A COOPERTUR (Cooperativa de Condutores de Turistas de São João del Rei) organizou no dia 7 de Setembro o “By Night Tour – Lendas Sanjoanenses“. Foi um passeio conduzido pelos guias de turismo, onde os participantes, além terem desfrutado do prazer de caminhar pelas ruas históricas iluminadas pelos tradicionais lampiões que dão charme e elegância para cidade, puderam saber detalhes sobre os diversos pontos turísticos e ainda conhecer algumas das lendas locais, apresentadas de um modo descontraído e envolvente.

Com a seguinte chamada, a Rede Globo noticiou o evento: Nas ruas desertas de São João del Rei, imaginação rima com assombração. Passeio turístico na área histórica do município tem representações de velhas lendas populares, com muito bom humor.

Vale a visita, clique aqui para ver o vídeo da reportagem de como foi.

São Paulo Minha Cidade

Hoje tive o privilégio de conhecer um site muito bacana, o São Paulo Minha Cidade, obra do São Paulo Turismo. O que mais me interessou no site foi a nostalgia de relatos de pessoas comuns sobre situações comuns que viveram na cidade.

Museu da PessoaMe lembra um pouco o também excelente Museu da Pessoa, quando em 1999 tive a oportunidade de conhecer durante o 12º Inverno Cultural, em São João del-Rei, quando criamos uma série de entrevistas e relatos de pessoas comuns de São João del-Rei.

Procurando agora no Google, descobri também a existência do Cidade & Memória, a continuação da oficina do Inverno Cultural e que conta com 32 depoimentos, nas áreas de arte, educação, imigração e profissões.

II Conferência Municipal Políticas Públicas para Mulheres

Minha mãe convida todas as mulheres de São João del-Rei e região para participarem da II Conferência Municipal de Políticas Públicas para as Mulheres. Será amanhã, de 8:00 às 18:00 horas, com lanche e almoço gratuitos, no Teatro do Campus Santo Antonio da UFSJ.

O tema será: Mulher, direito, espaço e poder.

Objetivos:

  • Avaliar a implementação e apresentar propostas para o Plano Estadual e Plano Nacional de Políticas para as mulheres;
  • Analisar a participação da mulher nos espaços de poder e elaborar sugestões para ampliar essa participação;
  • Eleger delegadas que representarão o Município na Conferência Estadual em Julho;
  • Dar posse às Conselheiras do Conselho Municipal dos Direitos das Mulheres de São João del-Rei – CONDIM.

Participem! É importante para todas vocês!

Mapa de satélite de São João del-Rei

Adoro minha cidade natal, São João del Rei e não posso deixar de divulgá-la. Um recurso interessante do Google Maps é que agora tem o mapa de satélite de São João del-Rei em alta definição e com os nomes das ruas. Aproveitei para marcar os principais pontos turísticos e de interesse nessa cidade histórica de Minas Gerais. O resultado segue abaixo.

Como as ruas ainda estão desincronizada, deixei o mapa só com a visão de satélite, quem quiser ver com os nomes das ruas, é possível ver direto no Google Maps.

Quem quiser acrescentar informações é só deixar um comentário.
Via dr2ooo, dica de José Antônio

São João del-Rei no Google Maps

Criei no Google Maps um mapa de pontos de interesse em São João del-Rei . Ainda estou evoluindo-o, incluindo mais pontos históricos, serviços e afins. Quem quiser dar dica de locais em São João del Rei ou região para inserir é só dizer.

IHGSJDR – Lançamento de Livro

O Instituto Histórico e Geográfico de São João del-Rei, encerrando suas atividades externas no ano de 2006, convida V. Sª. e Ilma. família para o lançamento do livro

 

“CAMINHO DO OURO, CAMINHO DO MAR – Uma viagem a pé entre Paraty e Ouro Preto pela antiga Estrada Real”, de Flávio Leão.

(Editora Quanta, 399 páginas, ilustrado – R$39,00).

Flávio Leão apresentará preleção sobre os detalhes da sua viagem e algumas informações importantes sobre a origem do ouro, sua história, numa visão bastante aproximada do que teria sido a epopéia dos bandeirantes, dos tropeiros e dos escravos durante o período colonial.
Flávio Leão é também autor do livro “De Volta à Estrada Real”, pulicado em 1999 e que já está em sua quarta edição.Dia 03 de dezembro de 2006, domingo, às 10 horas, na sede do IHG

Rua Santa Teresa, 126 – Centro
Caixa Postal 141
36300 114 – São João del-Rei – MG

 

* * *

 

“Flávio Leão: um bandeirante do séc. XXI”
“A forma vibrante como retransmite as informações, com a devida recomposição dos acontecimentos, deixa qualquer um empolgado. Para mim ele foi Bandeirante em outra encarnação e nesta lhe coube reviver aqueles tempos para matar a saudade”.
(Kléber Rocha – Gestor do Circuito Turístico Terras Altas da Mantiqueira.)

Quando a educação guia o turismo

São João del-Rei está na vanguarda ao incluir um programa de educação patrimonial no currículo escolar. Medida, que conta com o apoio da Unesco, é uma dentre várias que promete mudar a relação entre a cidade, moradores e turistas.

Perceber a vocação de uma cidade é o primeiro passo para se trabalhar no desenvolvimento desse potencial. Parece óbvio que São João del-Rei deve se atentar para o turismo cultural e de lazer. Há muitos motivos para tal, em que se notabiliza o enorme patrimônio cultural e natural aqui presente. Mas nada acontece fortuitamente. A cidade não é a única a oferecer tais atrativos e precisa criar uma estrutura e um ambiente receptivo aos visitantes. Mais importante ainda: fortalecer os laços dos são-joanenses com sua terra natal, conscientizando-os da importância da conservação.

Preservar a memória de um povo é uma das melhores formas de alcançar esse objetivo. Ciente dessa necessidade, Maria Teresa Resende Raposo apresentou ao programa Monumenta, da Unesco, o projeto “AQUI A EDUCAÇÃO GUIA O TURISMO”. Aprovado, o projeto passou a receber verbas para investir na educação patrimonial, cidadania cultural e turismo cultural. Muitas atividades foram executadas no último ano. A atividade mais recente é a mais motivante para Maria Teresa. Trata-se da Jornada Municipal do Patrimônio, produto da implementação do programa municipal de Educação Patrimonial ( lei de autoria do vereador Adenor Simões, 3.826, de 03 de março de 2004).

A Jornada envolve oficinas, feiras, mostras e palestras de educação patrimonial nas escolas municipais, organizadas pelas Supervisoras Municipais qualificadas como Multiplicadoras da Metodologia da Educação Patrimonial. Elas trabalham diretamente com as crianças da rede municipal. Escolhem um bem patrimonial considerado importante e realizam uma série de trabalhos envolvendo o bem escolhido. Desde pinturas e colagens até entrevistas com pessoas ligadas àquele patrimônio. Por fim, elaboram uma ficha de catalogação e registram, simbolicamente, o bem no LIVRO DO TOMBINHO.

Faz parte da jornada uma disputa no quadro quizz, do programa Vivacidade da Rádio Vertentes FM e a participação na Corrida de Orientação, percorrendo o centro histórico. Nos dois casos devem-se responder questões sobre o patrimônio são-joanense. Mas a jornada é apenas uma das várias medidas adotadas. A elaboração e edição de guia turístico da Trilha dos Inconfidentes (trecho da Estrada Real que tem São João del-Rei como cidade pólo) em inglês, com distribuição gratuita às operadoras de turismo internacional, embaixadas, receptivos internacionais, agências estrangeiras, entre outros é mais um exemplo. Com tiragem de 10 mil exemplares na 1ª. edição, contemplará o roteiro clássico (patrimônio arquitetônico), ecológico, festas e eventos culturais, roteiros alternativos (cidades vizinhas), roteiro de arte e artesanato e informações de serviços turísticos.

Para bem receber os visitantes, foi criado o curso de Formação e Treinamento básico de Condutores de Turistas Estrangeiros. Condutores de turistas foram treinados em educação e interpretação do patrimônio; curso intensivo de inglês e princípios básicos de comunicação e atendimento ao turista. Visando a continuidade do aprimoramento, será inaugurada uma cooperativa aberta dos condutores com orientação da Incubadora Tecnológica de Cooperativas Populares (ITCP) da UFSJ.

O desafio de criar essa consciência patrimonial inclui parceria com a Associação Comercial e a Prefeitura municipal de São João del-Rei através das secretarias de cultura e Turismo e Educação. O projeto ” Empresas Apaixonadas“, idealizado pela diretora de Turismo da Associação Comercial, Olga, teve como inspiração a nomeação da cidade de São João del-Rei com o título ” CAPITAL BRASILEIRA DA CULTURA-2007″. A instalação de painéis em ônibus urbanos com informações sobre a cidade complementa este projeto e teve como ponto de partida o trabalho de Educação Patrimonial, desenvolvido há sete anos, pelas professoras Maria Teresa Raposo e Lucia Helena Bortolo. Há ainda a preocupação de criar novos patrimônios. A parceria da Secretaria Municipal de Cultura e Turismo e da Secretaria de Educação no projeto “AQUI A EDUCAÇÃO GUIA O TURISMO” se faz fundamental para consolidar um processo permanente de apropriação dos bens culturais da cidade pelos seus moradores e visitantes. O lançamento da primeira edição de um Almanaque de Educação Patrimonial promete ser outra importante ferramenta nesse intuito.

Todo o trabalho será coroado e apresentado à população durante o Seminário do Patrimônio, no dia 30 deste mês, a partir das 17 horas, no Anfiteatro do Campus Santo Antônio da UFSJ . Durante o evento, acontece o Ciclo de Palestras onde serão abordados temas como a história da cidade e razões para a preservação, a Sessão Temática onde serão narradas as experiências de Educação Patrimonial em São João del-Rei e a Mesa Redonda para discussão dos desafios da gestão do patrimônio cultural.

Feriado em São João del-Rei

No feriado fui pra São João del-Rei. Foi inesquecível! Nunca me senti tão descansado e em tanta paz quanto no momento em que estava em minha cidade natal.

Pude perceber a alegria de meu pai, que agora parece estar mais presente, mais feliz, mais descansado e despreocupado. Meus irmãos Lucas e Iara, filhos de meu pai, estão enormes! O Lucas tá com um cabelo grande, estilo Meligeni, muito da hora!

No sábado fiquei ajudando minha mãe no discurso que ela fez no domingo sobre o patrono de sua cadeira no Instituto Histórico e Geográfico de São João del-Rei (IHG). Seu patrono é o meu avô materno: Sebastião de Oliveira Cintra. Ficamos olhando seus manuscritos, documentos, certificados, anotações e recortes de jornais. Ainda vou postar aqui o texto que minha mãe escreveu e tenho em mente a idéia de fazer o registro digital de todo o arquivo de anotações do vovô. À noite fui com meu pai no Fishs, comemos peixe e assistimos o jogo do Brasil.

O discurso de minha mãe foi muito bonito, filmei tudo em fita. O IHG estava cheio, até o Marcelo e a Chuva foram. Almoçei com meu pai e meus irmãos Lucas e Iara. O restaurante é um novo restaurante e no mural dele tinha impresso algumas páginas do meu site sobre São João del-Rei…

Domingo fez um calor de rachar, fui com o Diogo na sorveteria do Edinho. Já de tardinha encontrei a Tati na sorveteria do centro. Dei pro Jonas toda minha coleção de latinhas (de refrigerante, cerveja, suco, chá, vinho, pinga, etc.), em torno de 350 em minha última contagem, há 5 anos. Ficava tudo guardado lá no meu quarto, eu não moro mais em SJdR e o Jonas começou a colecionar junto comigo, sempre quis algumas latinhas que eu tinha e as latinhas dele ficam em estantes de vidro no quarto dele, tudo organizado.

Segunda feira foi um dia de ociosidade, de descanso. Tirei todos os meus pertences do meu quarto, tirando minha lupa e um envelope com selos, que não sei onde o Bernardo colocou. Guardei tudo no quarto da Ananda. Aproveitei e arrumei as roupas do Bernardo, que estavam todas jogadas no chão, nas camas (minha e dele), na escrivaninha, na cadeira e em cima da cômoda e do criado mudo. Separei as minhas, que ele estava usando, as que não serviam mais nele, as novas, as que estavam limpa e o resto tudo coloquei pra lavar.

Fiquei extremamente decepcionado com o Bernardo… ele perdeu totalmente a noção de respeito, de família, de propriedade. Usa secador de cabelos para secar roupas, usa cremes e desodorantes de minha mãe, usa minhas roupas. Abriu o meu cofrinho, mexeu em minhas coisas, sumiu com alguns de meus selos. No quarto dele tinham 4 toalhas jogadas, ele toma dois ou três banhos por dia. O quarto é uma bagunça, ele não faz tarefa, perdeu média, falta aulas, usa Internet de dia, apagou minhas fotos que estavam no computador, apagou programas que minha mãe usa na tese de doutorado que também estavam no computador. Ele não respeita nossa mãe, xinga, responde, ameaça e não faz absolutamente nada que ela pede. Está grosso, sem educação, sem respeito.

Me bateu uma tristesa muito grande em ver meu irmão assim. Eu não sei o que fazer para ajudá-lo. Na minha opinião ele está com baixa estima, não tem organização e não liga para seus pertences (livros, roupas, brinquedos, etc.) pois está tudo bagunçado e destruído. Ele não é feliz, isso é fato. Ele acha que nossa mãe não gosta dele, acha que ela trata ele de maneira diferente que tratou eu, a Ananda e o Gabriel. Talvez ele não se sinta bem por seu pai não estar com boa situação financeira ou bem de saúde. Ele é invejoso, só olha para as qualidades de seus amigos e irmãos e não vê suas próprias qualidades. Ele é ocioso, fica o dia inteiro em casa, sem estudar, sem trabalhar, sem ler… sem fazer algo produtivo. O adjetivo que descreve ele é “ingrato”. Ele não percebe como as pessoas gostam dele e querem ajudar, só vê os pontos negativos, as proibições, as broncas, as negações… Além disso ele é cabeça dura e não aceita a opinião dos outros e nem sequer pondera que precisa de ajuda.

Fico pensando o que o Bernardo vai fazer daqui a 2, 3 anos. Ele já tem 17 anos e está no 2º ano. E se ele não fizer vestibular? E se ele não passar em nenhum vestibular? E se ele for morar fora e se acabar em bebidas e drogas? E se ele ficar na casa de nossa mãe e se tornar um vagabundo, ou um bêbado, ou um drogado? Sempre penso no pior. Tento imaginar quais os caminhos para ele ser sucedido na vida, como entrar em uma boa faculdade e ter condições de cursar a faculade de maneira responsável.

%d blogueiros gostam disto: