Arquivos de Categorias: Opinião - Page 2

Péssima Qualidade do Yahoo! Notícias

O maior argumento da tradicional mídia impressa com relação à nova mídia digital, online, é a falta de qualidade neste segundo veículo, onde não existe um rigor tão grande com o que vai ser publicado e nem uma revisão mais profunda dos textos.

Quem não se lembra da infeliz propaganda do Estadão em 2007 que comparava blogueiros com macacos e perguntava qual a fonte de sua informação?

No entanto o Yahoo! Notícias deu um prato cheio para os críticos, a começar pela chamada na página inicial:

Rússia celebra 50 anos da chegada à Lua

Rússia celebra 50 anos da chegada à Lua

  • Primeiro: os russos ou soviéticos nunca foram à Lua… apenas 12 estadunidenses pisaram lá.
  • Segundo: a celebração é dos 50 anos da primeira ida de um homem ao espaço
  • Terceiro: a matéria tem incontáveis erros. Tantos que salvei um PDF da matéria aqui que provavelmente vão corrigir (assim eu espero). Abaixo criei um “Jogo dos 7 Erros”, mas se for para incluir as frases soltas, com palavras desconexas ou sem conexão vai faltar espaço no blog!
  1. primeiro homem a pisar no espaço
  2. Embutidos, balas e chá. Ao todo, 63 peças.
  3. Vai voltar engordar
  4. podem ter ocorrido inúmeras situações desagradáveis… Mas não ocorreram
  5. …documento informando todas as nações sobre a viagem do cosmonauta poderia aterrissar em seu solo.
  6. Outro aspecto que ainda tira o sono de muitos é a suspeita de que a morte de Gagarin em 27 de março de 1968 durante um voo de treinamento a bordo de um caça Mig na região de Vladimir, que levou alguns analistas a falar de uma conspiração.
  7. …indicam “a improvável causa” que o acidente ocorresse quando Gagarin tentava
  8. a Assembleia Geral da ONU declarou em 12 de abril

Detalhe: a matéria foi publicada dia 11 de abril…

Outras fontes online de notícia publicaram essa mesma matéria, com traduções tão ruim quanto ou apenas ligeiramente melhores:

  • Bol – Gagárin deixou carta de despedida caso voo espacial fracassasse
  • Bol – Febre Gagarin retorna no 50º aniversário da odisseia espacial
  • Ig – Febre Gagarin retorna no 50º aniversário do primeiro voo espacial
  • UOL – Febre Gagarin retorna no 50º aniversário da odisseia espacial
  • MSN – Febre Gagarin retorna no 50º aniversário da odisseia espacial
  • Terra – Febre Gagarin retorna no 50º aniversário da odisseia espacial
  • Estadão – Primeiro voo tripulado para o espaço completa 50 anos nesta terça

Sou obrigado a concordar que a versão do Estadão ficou melhor que as outras por juntar essa notícia com uma outra da Reuters, mas mesmo assim disse que: “…a agência oficial de notícias “Tass” preparou um documento informando todas as nações sobre a viagem do cosmonauta poderia aterrissar em seu solo.

Comentário sobre Massacre no Rio

Pela primeira vez leio um comentário sensato sobre o massacre em Realengo, da Antonia Lucia, em uma matéria do Yahoo! Notícias:

Há muito o que fazer sobre este teerível acontecimento:
Amar muito e tratar bem as pessoas porque nunca vamos saber qual é o instante da despedida (sempre pode ser a última vez);
Nunca fazer comentáriso maldosos a respeito do comportamento nem da aparência de alguém na frente das crianças e nunca permitir que as crianças o façam, porque nunca sabemos até que ponto podemos ferir alguém nem o efeito que certas brincadeiras causa em uma pessoa;
Desenvolver a nossa mente para entender que as pessoas são diferentes, mas não são piores nem melhores umas das outras, apenas diferentes e é esta a beleza da criação;
Desenvolver nas crianças a autoestima, dizer sempre para elas o quanto são amadas, desejadas e que os verdadeiros valores são o carater, a honestidade, a bondade e que não importa os padrões de beleza e sucesso que a mídia cria, aqueles padrões não fazem parte da vida real;
Criar nas escolas sistemas de acompanhamento psicopedagógico para valiar os alunos e facilitar o diagnóstico de alunos problemáticos, pq este não deve ser o unico;
segurança nas escolas, nas universidades (pq nas universidades publicas entra todo tipo de gente);
E uma coisa dificil, ninguem esta livre de ter uma pessoa como este rapaz na familia, entre os amigos, entre os conhecidos, e vejam so, o fato de ninguem ter ido reconhecer o corpo dele, é a prova de como esta criatura foi rejeitada pela vida. Porque mesmo já tivemos muitos criminosos barbaros, mas sempre teve alguem, uma mãe, um pai, uma irmão, um irmão, uma tia, uma lagrima, uma prece, e ele nada teve. De mim tem, que Deus tenha compaixão da alma dele e que me condenem quem quiser, pois estou falando de dentro do meu coração. Para as crianças, elas têm o paraíso.

Quero escrever sobre esse acontecimento bárbaro, mas vou na linha do que ela disse.

A (in)segurança dos bancos

Quando eu era criança minha mãe abriu na Caixa Econômica Federal uma poupança pra mim. A conta existe até hoje, nunca soube qual é a senha, ainda mais porque ela está vazia. Sabe como é… a década de 80 foi complicada: superinflação, Plano Cruzado, Plano Collor, Sarney…

Conta Poupança na Caixa Econômica Federal na década de 80: senha de 6 números para os caixas.

Quando fui fazer faculdade abri uma conta universitária no Banco do Brasil. Não cobravam tarifa, davam R$ 200,00 de limite, tinha uma agência dentro da UFSCar e meu pai podia me mandar dinheiro lá de São João del-Rei quando a situação ficava preta. Fechei a conta quando vim pra São Paulo.

Conta Universitária no Banco do Brasil no início do século: senha de 6 dígitos para o cartão Visa Electron, caixas eletrônicos e Home Banking. Senha adicional de 4 dígitos para a Internet.

Quando comecei a trabalhar tive de abrir uma conta no Bradesco e o melhor: não pagava tarifa, além do que tem agência em tudo quanto é lugar, inclusive nos Correios. Parei de usar quando mudei de emprego.

Conta Corrente no Banco Bradesco em 2010: senha de 6 dígitos para o cartão de débito Visa Electron, senha de 4 dígitos para o cartão de crédito Visa, senha de 4 dígitos para o Home Banking e tele-atendimento e cartão de senhas com 50 senhas para o Home Banking.

Agora que mudei de emprego tive de abrir uma conta no Santander. Apesar de não pagar tarifas, desisti de usar quando soube do número de senhas diferentes que teria de memorizar…

Conta Corrente no Banco Santander nos dias atuais: senha de 4 dígitos para o Cartão de Crédito/Débito Visa, senha de 4 dígitos para o Cartão de Crédito/Débito Master Card, senha de 6 dígitos para a Internet, senha de 4 dígitos para o tele-atendimento, cartão de senhas com 50 senhas para a Internet, senha de 6 dígitos para o tele-atendimento, senha de 3 letras para o caixa-eletrônico.

Como é que um banco pede pra um reles mortal manter 7 senhas diferentes para utilizar seus serviços? Imagina um idoso com Mal de Alzaimer ou uma pessoa com dificuldade em decorar números… com certeza vai anotar tudo em um papel ou usar a mesma senha nos 7 lugares, ou seja, pra quê isso?

Existe guerra entre ciclistas e motoristas?

Segundo essa matéria da Folha de São Paulo entitulada “Com “bicicletadas”, ativistas declaram guerra aos “monstroristas”“, existe uma guerra ocorrendo entre ciclistas ativistas e motoristas.

“Monstroristas”, “mautoristas”, “frustrados que compraram carro para respirar fumaça”, “covardes”. É assim que ciclistas engajados na defesa do uso de bicicleta como meio de transporte urbano chamam motoristas de carros, ônibus e afins.

Eu sou um ferrenho defensor do uso da bicicleta como um meio de mobilidade urbana, mas em momento algum eu me comporto como a matéria diz que eu supostamente me comportaria.

Nunca havia visto a @folha_com se posicionar tão radicalmente em uma matéria, generalizando um comportamento a um grupo de pessoas. É como se tivesse dito que “todo político é corrupto”, “todo alemão é nazista”, “todo baiano é preguiçoso”, “todo arquiteto é homosexual” ou outros impropérios do gênero.

Quando no fim do mês passado Ricardo José Neis atropelou um grupo de ciclistas que estava fazendo uma manifestação pacífica em Porto Alegre, uma grande quantidade de pessoas, incluindo uma grande parcela de ciclistas, se comoveu e bocou a boca no trombone. Matérias foram feitas, notícias foram divulgadas, manifestações foram organizadas, mensagens foram publicadas no Twitter. No entanto isso está longe de ser uma guerra.

A lastimável tragédia provocada pelo monstrorista do Golf preto, como este motorista em particular foi apelidado, permitiu à sociedade como um todo olhar para os ciclistas pela primeira vez. Foi possível escutar suas reinvidicações, perceber suas fragilidades, conhecer seus direitos e também seus deveres, que alguns ciclistas deixam de cumprir, infelizmente.

Com o lema “Mais amor, menos motor“, a Bicicletada, uma manifestação que defende a pacífica convivência entre automóveis e bicicletas, quer que ocorra essa discussão na sociedade, de forma sadia. Não quer uma guerra. Não quer que ciclistas sejam odiados. Quer paz.

Banksy: flowerchucker

Banksy: flowerchucker - A Guerra que a folha idealizou

Explicação e Justificativa do Atropelamento em Massa

Atropelamento em Massa em Matamoros - México

Atropelamento em Massa em Matamoros - México

O atropelamento coletivo em Porto Alegre tem explicação?

Sim.

No Massa Crítica – POA o Helton Biker levanta algumas:

  • O estresse que surge simplesmente por fazer parte do trânsito de grandes cidades;
  • A sensação de poder oferecida pela condução de um veículo automotor;
  • A perspectiva alterada de quem está dentro do veículo, em contraposição à perspectiva de quem está fora do veículo, em especial as pessoas não motorizadas;
  • A expectativa do direito à via e da preferência do seu automóvel, em detrimento dos outros usuários e em especial as pessoas não motorizadas;
  • A idéia de que ter mais pressa ou achar que seu deslocamento é mais importante que o do outro deveria justificar a preferência de circulação.

O atropelamento coletivo na Massa Crítica tem justificativa?

Não.

É um comportamento simplesmente injustificável.

Louco agressor atropelador de ciclistas

Quanto mais a história do monstrorista que atropelou mais de 40 ciclistas em Porto Alegre se desenrola, mais a hashtag #naofoiacidente faz sentido.

Me Faltou Amor

Me Faltou Amor

Ricardo José Neis, 47 anos e funcionário público no Banco Central de Porto Alegre, pediu internamento em clínica psiquiátrica e já está com outro advogado: Jair Antônio Jonco. Será que o advogado Luís Fernando Coimbra Albino se tocou que é caso perdido defender um idiota desses ou o atropelador está contratando uma legião de advogados pra tentar se safar das consequencias civis de seus atos?

Aliás, o advogado Luís Fernando Coimbra Albino é diretor-administrativo financeiro da da Carris, companhia de transporte público de Porto Alegre. Não rola um conflito de interesses aí não?

Além das graves multas de trânsito, como dirigir na contramão ou sobre a calçada, o infrator também tem uma acusação de ameaça e agressão contra uma mulher em seu histórico pessoal.

Seu próprio filho, de apenas 15 anos e que estava dentro da arma do pai, disse que foi o pai quem começou a agressão verbal aos ciclistas.

O pior é que pela sua tragetória pessoal ele parece ser uma pessoa inteligente e estudiosa:

Quem quiser mandar um e-mail pra ele: ricardo.neis@bcb.com.br

Atropelador de Ciclistas

Estou sendo preconceituoso ao falar mal de José Ricardo Neis, de 47 anos, funcionários do Banco Central de Porto Alegre, com várias multas graves no histórico, incluindo dirigir na contramão e em cima da calçada.

José Ricardo Neis

José Ricardo Neis

É ele o monstrorista do Golf preto que avançou sobre uma manifestação de 150 ciclistas em Porto Alegre, atingindo 40 e mandando uma dezena para o hospital.

Por sorte o dia estava chuvoso e não havia crianças no caminho dele, pois senão a tragédia teria sido muito maior. Várias vezes fiz passeios de bicicletas com minha filha e nunca imaginei que um idiota pudesse entrar com um carro em alta velocidade no meio das bicicletas.

Também fiquei indignado com a entrevista que Luís Fernando Coimbra Albino, seu advogado, deu no rádio. Ele alega legítima defesa e não está arrependido.

A Renata Falzoni é uma grande ativista dos ciclistas e fez uma matéria fantástica sobre o atropelamento de ciclistas em Porto Alegre, mas foi Alexandre Garcia quem me espantou com seus comentários. William Cruz, do Vá de Bike! também está participando ativamente da divulgação das notícias desta catástrofe.

Essas palavras são da Renata e concordo plenamente:

Se a rua estivesse bloqueada por 150 carros congestionados, jamais passaria pela cabeça desse motorista ultrapassar por cima de seus iguais, pois carros congestionando o trânsito e imobilizando as ruas é o “normal”.

Esse vídeo fala de 3 ciclistas que foram atropelados na Holanda, onde o maior ferimento foi um joelho ralado e toda a repercução do acidente. Eu gostaria muito que o ciclista fosse tratado aqui no Brasil com o mesmo respeito que é tratado na Europa.

Enquanto motoristas acharem normal ficar 1 hora parado no trânsito sabendo que 5 km de carros estão congestionados em sua frente e não souber esperar 5 minutos para um congestionamento de bicicletas passar, ciclistas não poderão pedalar com segurança. Não quero ter de chamar a CET ou a polícia para me escoltarem toda vez que for sair de bicicleta, para que os carros me respeitem…

Crônicas de Narnia – Livro e Filme

Passei 8 anos de minha vida indo de metrô para o trabalho e li inúmeros livros durante esse tempo, ocupando os 20 minutos o trajeto com algo útil.

Agora que estou trabalhando longe de casa, mesmo que usando transporte público apenas alguns dias na semana, sinto essa necessidade de ler ainda maior.

Comprei a coleção Narnia, de C. S. Lewis e já estou no 4º livro: “Prince Caspian”. É, comprei em inglês, pois além de passar o tempo me ajuda a treinar a língua da rainha.

The Chronicles of Narnia - Prince Caspian

The Chronicles of Narnia - Prince Caspian

Ontem assisti o filme “Crônicas de Narnia – Príncipe Caspian” e existem incontáveis diferenças, no entanto uma em especial é injustificável: por quase 30 minutos do filme animais voadores levam os reis e rainhas ao castelo do tio malvado, eles abrem os portões, os antigos narnianos entram no castelo, Caspian resgata o tutor e tenta matar o tio, o tio foge do quarto, consegue cercar os narnianos, que fogem em disparada, mas diversos ficam presos no castelo, sendo mortos a sangue frio, criando a desculpa para Miraz atacar Narnia.

Não há absolutamente nada disso no livro!

  • Peter, Edmund, Lucy, Susan e Caspian não tentam invadir o castelo em momento algum
  • Não aparece um único animal voador grande o suficiente pra carregar uma pessoa, a não ser os passarinhos cantando ou levando mensagens
  • Caspian não resgata o tutor do castelo, ele foge e encontra Caspian com os antigos narnianos
  • Caspian não tenta matar o tio em momento algum do livro
  • No livro Miraz nunca faz um único conselho com seus lordes e nem cria uma desculpa para atacar os narnianos, ele simplesmente sai com sua tropa para matar Caspian

Eu não sei qual foi a idéia do diretor em inventar uma passagem tão absurda em um livro com tanto detalhe!

No entanto algumas cenas ficaram excelentes no filme, melhor que no livro (não leia se ainda não leu/assistiu a história):

  • No filme Nikabrik e seus dois comparsas conjuram a White Witch, que aparece congelada em um portal de gelo, encantando Caspian para ter uma gota de seu sangue e Edmund destrói o portal enquanto Peter, Trumpkin e Trufflehunter matam os 3 revoltosos. Bem mais interessante que no livro, onde antes mesmo da bruxa desenhar o círculo no chão Peter, Edmund e Trumpkin entram na sala -escura- e matam os 3 revoltosos. Lewis teria ficado orgulhoso da idéia da Jadis aparecer em um portal de gelo, encantando Caspian e Edmund quebrando o portal, pois está 100% relacionado com a história do livro “The Lion, The Witch and the Wardrobe”.
  • No filme o duelo entre Miraz e Peter é sensacional, parecendo um verdadeiro duelo medieval. Nada parecendo um ringue de boxe como no livro. No filme Peter vence, Caspian não mata o tio por não ser um tirano e Glozelle enfia uma flecha da Susan em Miraz, pra sugerir traição. No livro Peter não chega a vencer, Miraz apenas tropeça, cai e Glozelle já sai gritando “Traição, Traição, o traidor narniano apunhalou-o pelas costas enquanto ele estava indefeso. Para as armas, para as armas Telmar!
  • Aslan “destorcer” duas árvores para formar o portal para o nosso mundo, além de Peter, Edmund, Lucy e Susan não terem de trocar de roupa é muito mais interessante que uma porta de varetas e os 4 trocando de roupa antes de entrar no portal… como se tivessem precisado quando voltaram pelo guarda roupa.
  • O brutamonte anão Trumpkin no filme, muito mais parecido com os anões de Senhor dos Aneis, é mais convincente que o franzino anão do livro, que mais parece um duende.
  • Particularmente achei que o bacanal, literalmente, ficou sobrando no livro, bem como a excursão de Aslan pelas escolas e cidades no fim do livro. Não incluir no filme foi uma decisão acertada.

Gostei do filme, é bem fiel à história, a maioria das diferenças são em relação à ordem em que os eventos aconteceram ou algum outro pequeno detalhe, mas o livro continua sendo superior.

A história de Narnia, o medo que os telmarinos têm das florestas e do mar, os animais falantes se escondendo, buscando a liberdade, além da grandiosidade da entidade que é o Aslan e da dificuldade de Peter, Edmund e Susan em vê-lo não transparecem no filme mas ditam o tom do livro.

Big Brother Brasil 2011

Preciso confessar, assisti o Big Brother Brasil 2011, no primeiro dia, torcendo para ter evoluído e ser algo que valesse a pena assistir. Eu gostei muito do Hipertenção, onde

No entanto não foi… já logo no primeiro dia tiveram de votar em alguém pra sair e uma pessoa foi escolhida para ser o trapaceiro ou algo do gênero.

Não consigo assistir algo tão negativo onde o objetivo é pisar na cabeça dos outros para ter sucesso, atrapalhar os amigos para ganhar…

Eu até assistiria se o paredão fosse para escolher quem ficaria: teriam de votar em quem gostariam que permanecesse na casa… A pontuação deveria ser para incentivar o comportamento postivo, correto, honesto, justo, benevolente… e não o contrário. O jogos para escolher líder, anjo, quarto de luxo e essas coisas poderiam ser através de uso de lógica, racioncínio e trabalho em grupo.

O melhor relato que já li sobre o BBB 11 foi o do Regis Tadeu, sendo essa a melhor parte:

Um capítulo à parte é o Pedro Bial, um sujeito evidentemente culto, mas que age no programa como se fosse uma espécie de animador de bingo de fundo de quintal. Fiquei impressionado como ele, mesmo nos momentos mais animados, mostra uma disfarçada ironia ao falar com os participantes e com o público, buscando esconder o evidente desejo de estar muito longe dali e, ao mesmo tempo, tendo a consciência de que está falando com idiotas, sejam aqueles que estão dentro da tela ou em suas casas.

Filmes Scott Pilgrim vs The World e Kick-Ass

Acabei de assistir o filme Scott Pilgrim vs The World (Scott Pilgrim Contra O Mundo) e foi como quando assisti Pulp Fiction (Pulp Fiction – Tempo de Violência) pela primeira vez, há mais de uma década.

O ritmo alucinante de Pulp Fiction foi utilizado em diversos filmes: Jackie Brown (Jackie Brown), Lock, Stock and Two Smoking Barrels (Jogos, Trapaças e Dois Canos Fumegantes), Snatch (Snatch – Porcos e Diamantes) e Amores Perros (Amores Brutos). Influenciou o cinema.

Os cortes nonsense, os efeitos visuais dos sons, dos movimentos, a mistura com Video Game e as incontáveis referências a vídeo games e bandas… fantástico! Creio que também vai influenciar o cinema, assim como Matrix fez.

Outro filme que havia assistido a algum tempo e não comentei foi o Kick-Ass (Kick-Ass – Quebrando Tudo), que também considero um divisor de águas. Ação, violência, mortes e crianças… provocando as mortes! Nunca havia assistido um filme que tratasse isso com uma naturalidade tão grande que chega a ser chocante: como serão os filmes futuramente? Me preocupa muito ver assassinato por armas de fogo ser tornando algo trivial no cinema, enquanto ficamos estarrecidos com massacres em escolas cometidos por adolescentes…

Comparação de transporte

Ainda não faz 2 meses que troquei de emprego e deixei de usufruir da comodidade do metrô.

No novo emprego já fui trabalhar de carro, ônibus, metrô + ônibus e metrô + trem, cada um com suas vantagens e desvantagens.

Hoje fui trabalhar de carro e percorri 18km em 45min com consumo médio de 7,9km/l. Com o álcool custando R$ 1,50, gastei R$ 3,42 de combustível, menos que os R$ 4,07 que gasto quando vou de metrô + ônibus (sem considerar os custos de manutenção, seguro e impostos, claro).

A ida é até tranquila. O problema é a volta, que chega a demorar, de transporte público, quase o dobro.

Já voltei de carro, carona, carona + metrô, ônibus + metrô, trem + Ponte Orca + metrô…

No cliente que estou agora o melhor transporte público pra voltar é, por incrível que pareça, pegar o trem para andar uma estação, pegar a Ponte Orca e pegar o metrô, fazendo ainda uma baldeação na estação Paraíso.

Eu sempre tive uma imagem muito negativa tanto do ônibus quanto do trem, envolvendo segurança e lotação. Continuo com o viés negativo no trem, mas o ônibus me surpreendeu. É consideravelmente pontual, cobre uma grande parte da cidade e não é tão lotado quanto parece, sempre tem algum banco que fica vazio no fundão. Graças às faixas excluivas para ônibus eles conseguem andar por lugares onde todos os carros estão parados, compensando em parte a morosidade de parar nos pontos para passageiros descerem e/ou subirem.

Falha de Segurança Nacional

Assisti hoje o filme Segurança Nacional.

Pensei que seria uma mistura de Top Gun e Tropa de Elite, mas o filme é fraco, bem fraco, extremamente fraco…

Os últimos 25 minutos do filme são tão surrealmente forçados que destróem o filme. Uma criança de 5 anos saberia conduzir uma situação como a apresentada no fim do filme com mais sabedoria que a ABIN, o Exército, o Presidente da República e a Polícia de Santa Catarina juntas…

São tantos erros de roteiro em apenas 25 minutos de filme que nem o Coiote do Papa Léguas conseguiria pensar em “planos” tão idiotas…

  • escorregar de uma ponte em um cabo de aço?
  • deixar uma refém em frente à porta aberta de uma garagem?
  • deixar uma bomba atômica explodir no mar e sair de helicóptero, com o EMP?
  • sair correndo por uma ponte em reforma com uma bomba atômica na mão?
  • identificar que o alvo é o palácio do governo e mandar uma dúzia de militares pra lá, sem mandar ninguém pra procurar e desarmar a bomba?
  • mandar um único cara ir resgatar a refém de um terrorista com uma bomba atômica, sem colete e armado apenas com uma pistola?
  • dizer que sabe que o alvo é o palácio do governador para só então mandar o exército para lá?
  • empinar a moto ao perseguir um avião?
  • ir no avião radar procurar o avião inimigo, ir no palácio do governo defender o palácio, ir no pier resgatar a refém, ir no morro falar com o informante, ir no avião do Presidente da República mostrar o relatório, ir no cativeiro resgatar os reféns, ir na prisão negociar com o preso… o cara se acha o quê, Bombril? Nem Jack Bauer em 24 horas faz o que Marcos Rocha (Thiago Lacerda) faz em uma.

Temível… temível… uma pena, pois a outra parte do filme é até que interessante.

Agora é esperar Tropa de Elite 2 e torcer pro Capitão Coronel Nascimento não nos decepcionar!

Organização de Contatos

Meu pai tem 10 irmãos, todos ainda vivos e morando em Minas Gerais. A maioria em Conselheiro Lafaiete, mas alguns em Belo Horizonte, Catas Altas da Noruega e Piranga.

Apenas um dos irmãos tem e-mail, mas nem por isso eles deixam de se organizar e se reunem, pelo menos duas vezes por ano, na “fazenda” que era do meu avô. Meu pai tem em um pedaço de papel que carrega na carteira a data de nascimento e telefone de cada um deles, sempre ligando para desejar feliz aniversário, tanto aos irmãos quanto aos cunhados/cunhadas, sobrinhos, primos…

Irmãos em frente à Fazenda

Irmãos em frente à Fazenda

Essas reuniões são legais. Eles colocam as novidades em dia, contam causos do passado e vão integrando os filhos, netos e bisnetos à essa sadia tradição de família.

Aos meus 28 anos faço parte da denominada geração Y. Começamos a usar computador quando a Internet estava começando a surgir no Brasil. Uma geração intermediária entre todas as “pré-Internet” e as atuais, “pós-Internet”.

Não sei se todos nós dessa geração temos essa dificuldade ou se sou apenas eu, de organizar os contatos. Majoritariamente eu falo com eles por e-mail e telefone, mas eles estão em diversos lugares diferentes:

  • Lista de contatos do Celular (telefone)
  • Lista de contatos do GMail (e-mail)
  • Lista de folowing do Twitter (twitter)
  • Lista de contatos do Outlook (e-mail profissional)
  • Lista de amigos no Orkut (e-mail, telefone, aniversário, dados pessoais, etc.)
  • Lista de amigos no Facebook (e-mail, telefone, aniversário, dados pessoais, etc.)
  • Lista de contatos no LinkedIn (e-mail, empresa, dados profissionais)
  • Lista de contatos no Skype (telefone, e-mail, aniversário)
  • Lista de contatos no MSN/Live! (e-mail)
  • Lista de contatos em Grupos de Discussão (e-mail)
  • Lista de rostos no Picasa (e-mail)

São inúmeras redes diferentes, algumas vezes com diferentes e-mails para as mesmas pessoas. Se somar isso tudo devem chegar a uns 4.000 contatos, sendo que se agrupar por pessoas, sem repetir, chega-se a umas 800 pessoas. Acabo me comunicando com apenas umas 20…

Eu gostaria de ter uma única lista de pessoas, em um único lugar, onde fosse possível, de forma bem prática, incluir os diferentes e-mails, perfis em comunidades, telefones, dias de aniversário… Gostaria de sincronizar isso com meu celular, minha lista de contatos no GMail, os rostos das pessoas no Picasa, achar essas pessoas nas comunidades em que faço parte, sem ficar duplicando pessoas.

Tive essa dificuldade agora. Através do Picasa coloquei nome nos rostos das pessoas que estão nas fotos que tirei na época da faculdade e nas que tirei no meu último trabalho. Depois convidei todos que foram identificados para acessarem os álbuns com as fotos em que cada um está. O problema é que eu usei como base o e-mail que está no GMail. Para algumas pessoas eu não tinha e-mail, para outras tinha e-mail desatualizado… Então eu não convidei a “pessoa”, mas um “e-mail da pessoa” que eu achava que era o principal.

Assisti há um tempo uma apresentação do Paul Adams, “Senior User Experience Researcher” do Google, que falava de diversos níveis de “intimidade” entre os contatos, que eu concordo plenamente. Seria muito interessante se surgisse alguma iniciativa com essa abordagem, para organizar os contatos em “pessoas” e não em e-mails, telefones, nicknames, perfis…

Eu até já tentei utilizar dois softwares que tentam organizar os contatos, mas não conseguem: Gist e Etacts. Acho que o problema nesse caso é eles importam a lista de contatos do Gmail e lá tem muito e-mail que não é contato, apenas enviamos algum e-mail pedindo orçamento de alguma coisa, confirmando pagamento de algum produto do Mercado Livre, informando que mandou um e-mail por engano, sem contatar os vários endereços e-mails de uma mesma pessoa…

Se você informatizar uma bagunça, só vai ter uma bagunça mais rápida.” – Professor do Zé Paulo

Armas e Estados Unidos

Após assistir o trailer do Tropa de Elite 2, naveguei na Wikipedia procurando mais informações sobre o filme. Como sou bem nacionalista, surfei aos montes, lendo sobre diferentes batalhões de operações especiais do Brasil, as armas que cada um utilizava (principalmente as brasileiras), os fabricantes brasileiros de armas e acabei chegando no revolver Taurus 4510 “The Judge“. Ele é fabricado pela brasileira Forjas Taurus e muito popular nos Estados Unidos para defesa pessoal, principalmente em veículos.

É um revolver que aceita dois tipos de munição: .45 Colt e .410 de 3″ ou 2 1/5”. Essa segunda é munição de espcopeta/espingarda, como mostra o vídeo abaixo.

O que mais me impressionou, no entanto, foi ler alguns comentários numa página nos Estados Unidos falando da Taurus Judge. Os caras são loucos!

California I know does not allow ownership of the Judge or any of the shotgun type derringers , Bond , American Arms etc ! So even using this weapon against a car-jacker in California could bring legal problems and even a law suit from the criminal’s family if he is blinded or badly wounded and his family should decide to hire a good lawyer ! – Thomas

Unfortunately the bobcat attack occured inside a bar ! It is illegal to carry a gun in an Arizona bar at this time ! – Thomas

As a red-blooded, law-abiding, Calif CCW, NRA lifer who cannot purchase a Judge legally here in the ‘great’ Nancy Pelosi, Barbara Boxer, Diane Feinstein regulated liberal B.S., where would one go to be able to possess one without actually moving to a more Constitutionally-driven state? – Doug H

I always carry a handgun, unless I am flying what was once termed the “friendly skies”. – Jeff Quinn

Filme: Män som hatar kvinnor

Os homens que não amavam as mulheres

Män som hatar kvinnor

Acabei de assistir o filme sueco/dinamarquês/alemão/norueguês “Män som hatar kvinnor“, que no Brasil tem o engraçado título de “Os Homens Que Não Amavam As Mulheres”.

Existem filmes de duas horas que têm algumas cenas legais e muitos minutos (quando não horas) de chatices e enrolação de linguiça.

Män som hatar kvinnor, no entanto, tem quase 2,5 horas e te deixa preso no sofá de olhos abertos ansioso com o desenvolvimento da estória. A trama é super interessante e o seu desenrolar ainda mais surpreendente.

É um suspense investigativo de um crime antigo (como em Cold Case), com algumas cenas fortes, no estilo do filme 8 Milímetros com Nicolas Cage e uma hacker punk/underground, no estilo da Trinity do Matrix. Há alguns furos no roteiro, como sempre há em filmes, como não investigar os quadros de flores ou com a facilidade em se invadir computadores, mas isso é uma gota perto da jarra de água que é o filme.

O filme é baseado no livro homônimo do escritor e jornalista sueco Stieg Larsson, o primeiro de uma trilogia. Estou esperançoso de conseguir ver os outros dois: Flickan som lekte med elden (A Menina Que Brincava Com Fogo) e Luftslottet som sprängdes (The Girl Who Kicked the Hornet’s Nest – ainda não tem nome para o Brasil).

Há um boato de que Hollywood planeja refilmar esse filme, com George Clooney, Johnny Depp ou Brad Pitt no papel de Mikael Blomkvist e Kristen Stewart (do Crepúsculo) ou Ellen Page (do Juno) no papel de Lisbeth Salander. O diretor seria Quentin Tarantino, Ridley Scott ou Martin Scorsese! Não perco por esperar.

%d blogueiros gostam disto: