Arquivos de Categorias: Idéia

Comemoração de Aniversário

Não recordo-me de já ter organizado alguma festa de aniversário pra mim… todo ano que chega penso: “esse ano comemorarei”, mas nunca encontro algo que seja a minha cara…

Dezenas de anos antes...

Dezenas de anos antes...

Acho que nunca dei muita importância para essas confraternizações, apesar de me recordar com muita alegria de minha festa de de 18 anos. Na época minha mãe organizou: churrasco em casa, com a banda de amigos tocando. Memorável!

Esse ano pensei: 30 anos, é um marco, preciso fazer algo! Mas não fiz nada. Alguns amigos ligaram ou mandaram mensagem perguntando onde eu comemoraria, se seria em um restaurante, pizzaria, pub, boteco… mas não havia nada planejado.

Faltando exatas 24 horas dia para completar 10.957 dias de vida, resolvi jogar a preguiça fora e ir comemorar meu nascimento na Ludus Luderia Bar e Café. Portanto aqui fica o convite:

Se no domingo, dia 23 de Outubro de 2011 às 16 horas você preferir ir em um lugar exótico jogar (literalmente) conversa fora a ficar em casa assistindo Faustão, ficarei super feliz em ter sua companhia.

Os caras têm mais de 700 jogos de tabuleiro e cobram, no domingo à tarde, R$ 20,00 de entrada. Têm bebidas, pratos, sanduíches e petiscos. Ele fica em São Paulo – SP, na Rua Treze de Maio, 972 (850 metros do metrô Brigadeiro). Quando me mudei para São Paulo morei do outro lado da rua e até hoje nunca fui lá…

Organização de Contatos

Meu pai tem 10 irmãos, todos ainda vivos e morando em Minas Gerais. A maioria em Conselheiro Lafaiete, mas alguns em Belo Horizonte, Catas Altas da Noruega e Piranga.

Apenas um dos irmãos tem e-mail, mas nem por isso eles deixam de se organizar e se reunem, pelo menos duas vezes por ano, na “fazenda” que era do meu avô. Meu pai tem em um pedaço de papel que carrega na carteira a data de nascimento e telefone de cada um deles, sempre ligando para desejar feliz aniversário, tanto aos irmãos quanto aos cunhados/cunhadas, sobrinhos, primos…

Irmãos em frente à Fazenda

Irmãos em frente à Fazenda

Essas reuniões são legais. Eles colocam as novidades em dia, contam causos do passado e vão integrando os filhos, netos e bisnetos à essa sadia tradição de família.

Aos meus 28 anos faço parte da denominada geração Y. Começamos a usar computador quando a Internet estava começando a surgir no Brasil. Uma geração intermediária entre todas as “pré-Internet” e as atuais, “pós-Internet”.

Não sei se todos nós dessa geração temos essa dificuldade ou se sou apenas eu, de organizar os contatos. Majoritariamente eu falo com eles por e-mail e telefone, mas eles estão em diversos lugares diferentes:

  • Lista de contatos do Celular (telefone)
  • Lista de contatos do GMail (e-mail)
  • Lista de folowing do Twitter (twitter)
  • Lista de contatos do Outlook (e-mail profissional)
  • Lista de amigos no Orkut (e-mail, telefone, aniversário, dados pessoais, etc.)
  • Lista de amigos no Facebook (e-mail, telefone, aniversário, dados pessoais, etc.)
  • Lista de contatos no LinkedIn (e-mail, empresa, dados profissionais)
  • Lista de contatos no Skype (telefone, e-mail, aniversário)
  • Lista de contatos no MSN/Live! (e-mail)
  • Lista de contatos em Grupos de Discussão (e-mail)
  • Lista de rostos no Picasa (e-mail)

São inúmeras redes diferentes, algumas vezes com diferentes e-mails para as mesmas pessoas. Se somar isso tudo devem chegar a uns 4.000 contatos, sendo que se agrupar por pessoas, sem repetir, chega-se a umas 800 pessoas. Acabo me comunicando com apenas umas 20…

Eu gostaria de ter uma única lista de pessoas, em um único lugar, onde fosse possível, de forma bem prática, incluir os diferentes e-mails, perfis em comunidades, telefones, dias de aniversário… Gostaria de sincronizar isso com meu celular, minha lista de contatos no GMail, os rostos das pessoas no Picasa, achar essas pessoas nas comunidades em que faço parte, sem ficar duplicando pessoas.

Tive essa dificuldade agora. Através do Picasa coloquei nome nos rostos das pessoas que estão nas fotos que tirei na época da faculdade e nas que tirei no meu último trabalho. Depois convidei todos que foram identificados para acessarem os álbuns com as fotos em que cada um está. O problema é que eu usei como base o e-mail que está no GMail. Para algumas pessoas eu não tinha e-mail, para outras tinha e-mail desatualizado… Então eu não convidei a “pessoa”, mas um “e-mail da pessoa” que eu achava que era o principal.

Assisti há um tempo uma apresentação do Paul Adams, “Senior User Experience Researcher” do Google, que falava de diversos níveis de “intimidade” entre os contatos, que eu concordo plenamente. Seria muito interessante se surgisse alguma iniciativa com essa abordagem, para organizar os contatos em “pessoas” e não em e-mails, telefones, nicknames, perfis…

Eu até já tentei utilizar dois softwares que tentam organizar os contatos, mas não conseguem: Gist e Etacts. Acho que o problema nesse caso é eles importam a lista de contatos do Gmail e lá tem muito e-mail que não é contato, apenas enviamos algum e-mail pedindo orçamento de alguma coisa, confirmando pagamento de algum produto do Mercado Livre, informando que mandou um e-mail por engano, sem contatar os vários endereços e-mails de uma mesma pessoa…

Se você informatizar uma bagunça, só vai ter uma bagunça mais rápida.” – Professor do Zé Paulo

Beber e [não] dirigir

Beber e dirigir é uma opção. O governo tenta, mas não consegue convencer a população.

O Bar Aurora conseguiu de uma forma bem interessante.

Brasil, Bolívia e Peru

Tenho dois amigos que fizeram uma viagem à Bolívia e ao Peru que eu tenho vontade de algum dia imitar:

  1. São Paulo – Corumbá (ônibus)
  2. Corumbá – Puerto Suarez (táxi)
  3. Puerto Suarez – Santa Cruz (trem da morte)
  4. Santa Cruz – Sucre (avião)
  5. Santa Cruz – Potosí (ônibus)
  6. Potosí – Uyuni (ônibus)
  7. Uyuni (tour) : Salar de Uyuni e Laguna Colorada
  8. Uyuni – La Paz (ônibus)
  9. La Paz (tour) : Chacaltaya, Rua das Bruxas, Madness Bike
  10. La Paz – Copacabana (van)
  11. Copacabana – Puno (ônibus)
  12. Puno – Cuzco (ônibus)
  13. Cuzco (tour) : Pisac, Ollantaytambo, Águas Calientes, Machu Picchu, Águas Calientes, Chinchero
  14. Cuzco – Lima (avião)
  15. Lima – São Paulo (avião)

Um deles me disse que mudaria se fizesse novamente:

“Iria de São Paulo a Sucre direto por avião e passaria mais tempo lá, pois é uma cidade muito bonita e eu fiquei pouquíssimo tempo nela. Ao contratar o tour em Uyuni, optaria por fazer o traslado para San Pedro do Atacama, no Chile, ao invés de regressar a Uyuni e depois seguir para La Paz. Desse ponto eu não sei como seria a sequencia, mas acredito que poderia rumar para La Paz, Arequipa ou ir direto para Cuzco.” – Diego

Com essa alta do dólar eu não sei se esse é o momento de viajar pela América do Sul ou de ficar no Brasil mesmo.

Pitanga e Pitangueira

PitangaHoje indo para o trabalho passei por uma casa onde tem uma pitangueira, carregada de pitangas. Levei algumas para o trabalho e no caminho tive a idéia de plantar uma pitangueira na calçada em frente ao prédio onde moro, pois o caminhão levou caçamba e árvore quando foi retirar a caçamba que aluguei quando reformei o apartamento.

Achei alguns sites interessantes:

Estatísticas de Aviação e Transporte Terrestre

Primeiramente a estatística “Acidentes Aeronáuticos na Aviação Civil Brasileira de 1979 a 2007” é alarmante. Acontecem muito mais acidentes que eu imaginava e no mínimo 34 pessoas morreram em cada ano. No entanto, o número de acidentes diminuiu consideravelmente nos últimos 30 anos, como mostra este outro gráfico, mesmo com o aumento da frota, como mostra essa comparação. O gráfico “Acidentes Aeronáuticos por Tipo de Operação em 2007” alivia um pouco esse número, pois apenas 25% dos acidentes são da aviação privada, o restante é da aviação agrícola, de instrução, táxi aéreo (o maior causador) e aviação pública.

Um dado que me chamou atenção é que helicópteros se acidentam quase o dobro que outras aeronaves, pois enquanto de 98 a 2005 a média da porcentagem de helicópteros em relação a outras aeronaves foi de 9%, a média da porcentagem de acidentes com helicópteros em relação ao total de acidentes foi de 20%.

No Anuário Estatístico do Transporte Aéreo de 2005 achei duas informações interessantes: quilômetros voados e número de passageiros transportados na aviação doméstica. Neste mesmo anuário tem a evolução do número de passageiros transportados, de 1996 a 2005.

O Anuário Estatístico de Acidentes de Trânsito de 2005 traz dados inicialmente não tão chocantes: em média, de 98 a 2005, de cada 10.000 veículos 95 se acidentam com vítimas (fatais ou não) ferindo 116 e matando 6 pessoas.

Agora a parte difícil, criar comparações entre essas diversas estatísticas distintas. Cheguei à seguinte lista:

  • número de acidentes/frota
  • número de vítimas fatais/número de acidentes
  • número de vítimas fatais/frota

Para criar estatísticas mais interessantes eu precisaria de algumas informações:

número de vítimas totais (ou não fatais) na aviação

  • número de vítimas/número de acidentes
  • número de vítimas/frota
  • número de vítimas não fatais/número de acidentes
  • número de vítimas não fatais/frota

percentual da população que utiliza transporte aéreo ou número de passageiros únicos na aviação

  • população usuária/número de acidentes
  • população usuária/número de vítimas fatais

total dos quilômetros rodados pelos automóveis – impossível medir

  • número de acidentes/quilômetro voado/rodado
  • número de vítimas fatais/quilômetros voado/rodado

Governo Religioso

Os faraós egípios coexistiram com os romanos do império romano e com os gregos clássicos, bem como dinastias chinesas e vários outros impérios.

Foi um período de grandes descobertas da humanidade. A besta e a polvora pelos chineses, as tubulações de cobre dos egípcios, os banhos dos romanos, os teatros e tratados filosóficos pelos gregos…

Infelizmente na Europa tudo isso sucumbiu aos governos religiosos fundamentalistas, que transformou o período medieval em uma época triste pra humanidade. Perdas de liberdades individuais, cegueira religiosa, inquisição…

Felizmente com o renascimento isso começou a mudar, chegando ao mundo ocidental em que vivemos hoje.

É com tristeza que vejo o oriente médio passando pelos mesmos dilemas da época da Europa medieval, com o diferencial que hoje existem armas de destruição em massa!

Paradoxo do tempo

Viagens no tempo sempre criam paradoxos, por exemplo: se o Hiro do futuro vier para o presente e matar o Hiro.

O paradoxo está no fato de que se matar o Hiro do presente, ele nunca vai se transformar no Hiro do futuro para voltar no passado e matar o Hiro do presente. Mas se se ele não tem como matar o Hiro do presente, então ele pode voltar no passado e matar o Hiro!

Tá, eu sei que é confuso, mas paradoxos são confusos. Eu tive esse pensamento ontem, assistindo Heroes e cheguei a uma idéia (no mínimo tão louca quanto o paradoxo):

O tempo linear e espaço 3D não são um amálgama indissociável. Em cada milésimo de segundo de nossas vidas, pessoas ao redor do mundo têm infinitas possibilidades de escolha, que podem mudar consideravelmente nosso futuro. A casa nano segundo, infinitos “universos paralelos” são criados, com todas as possibilidades de escolha de cada átomo do universo.

O Hirop passa pelo tempo P e segue a vida até o tempo F, quando o Hirof, seguindo seu tempo cronológico, vai para o espaço 3D onde está o Hiro p, que é um deslocamento no espaço-tempo, pois o Hirof estava nesse local há F-P tempo. No momento em que Hiro f chega no local onde está Hirop, o tempo não é P, mas sim F+x , ou seja, Hiro f não foi para o passado, ele continua no presente, mas em um espaço diferente, que é o mesmo espaço que existia no tempo T.

Neste modelo, independentemente do que Hiro f fizer, inclusive matar Hirop, seu passado não será alterado, pois ele não está no passado, está no presente. Um presente em um universo paralelo ao que ele viveu no tempo T.

Mobilidade e utilidade

Mobilidade. Não sou nenhum aficionado, mas gosto de praticidade. Desde que comprei um novo celular, desta vez um que aceita programas Java, com câmera e conexão GPRS, tive algumas idéias, que compartilho com o mundo:

  • Consulta de lista de telefones 0800, a partir do nome da empresa
  • Reconhecimento de código de barras para procurar o preço do produto no Bondfaro, Buscapé e Jacotei

Links corporativos

Estamos em uma nova era, onde a Gestão do Conhecimento é um mote e integração, tanto horizontal quanto vertical, é uma meta nas grandes corporações.

Também estamos na era da Tecnologia da Informação, com sistemas automatizados, integrados e distribuídos. As corporações têm incontáveis servidores, sites, serviços e páginas de diferentes departamentos, seções e diretorias espalhados pela Intranet, Internet, Extranet e até sem estar publicado em lugar algum.

A sociedade mudou tanto que o Google, com a missão de “oferecer a melhor opção de busca na Internet tornando as informações mundiais acessíveis e úteis “, ocupa uma posição invejável e é difícil imaginar a Internet de hoje sem ele. Seus robôs vasculham 1,3 bilhões de páginas e respondem 100 mil consultas por dia .

Mesmo com o Google, usuários da grande rede continuam guardando links nos “Favoritos” ou “Bookmarks” dos browsers. O del.icio.us foi o primeiro a disponibilizar uma forma eficiente de compartilhar esses links de forma social, colaborativa. A idéia deu tão certo que o Yahoo!, principal concorrente do Google, comprou o site.

Voltando ao ambiente corporativo, existe um grande limbo na organização e disseminação da informação de páginas internas da empresa. O Google não indexa, o Yahoo! não indexa e colocar no del.icio.us iria expor endereços internos privativos da empresa ou de determinada área interna.

A solução para esse problema seria um repositório de links centralizado, acessível apenas aos funcionários e colaboradores da empresa, setorizado, seguindo o conceito do del.icio.us, integrado com o controle de acesso da empresa, com o programa de e-mail e com o browser.

E aí, vamos criar o cor.pora.tu?

%d blogueiros gostam disto: