Arquivos de Categorias: Google

mIRC, ICQ, MSN, Twitter, Facebook, Google+

Há muito tempo usei o mIRC para falar com os amigos. Muitos não devem nem saber o que é… depois passei a usar o ICQ, que alguns já devem ter ouvido falar.

Hoje uso tanto o MSN (Messenger/Live) quanto o Twitter e o Facebook. Vi um vídeo que diz que existem mais fazendeiros no Farmville (80 milhões) que fazendeiros reais (1 milhão).

Agora surge na crista da onda um novo participante, o Google+, implementando o conceito de círculos de amizade, seguindo o que Paul Adams (ex-senior user experience research do Google) falou em sua apresentação “The Real Life Social Network“, conforme comentei aqui há quase 1 ano.

O Facebook está tão desesperado, que apagou todos os anuncios do Michael Lee Johnson, só por que ele pedia para lhe adicionarem ao Google+

Anuncio proibído. Screenshot de Chris Matyszczyk/CNET

Anuncio proibído. Screenshot de Chris Matyszczyk/CNET

O Facebook mandou spam com convite pro Facebbok para todos os meus contatos do GMail, pois por igenuidade eu pensei que ele só iria ver se alguém da minha lista de contatos já estava lá e me mostrar, para eu adicionar…

Já o caminho contrário é expressamente proibido. Não tem como exportar a lista de amigos ou seus e-mails pelo Facebook e eles não permitem que nenhuma aplicação leia essas informações.

Ponto positivo para o Google+, que é democraticamente aberto. Mas o Paul Adamns agora está no Facebook… a briga vai ser boa!

Google Code Jam 2009

Acabei de receber um e-mail do Bartholomew Furrow, funcionário do Google, informando que o Google Code Jam 2009 vai acontecer!

Ainda estão definindo as datas, mas será mais ou menos assim:

  • Primeira quinzena de agosto: abertura pra registro
  • +4 semanas: etapa qualificatória (online)
  • +1 semana: etapas 1A, 1B, 1C
  • +1 semana: etapa 2
  • +1 semana: etapa 3
  • novembro: finais mundiais em Mountain View – Califórnia -Estados Unidos

Agora é começar a estudar.

Ano passado programei em C#, esse ano vou tentar em Python!

Google Developer Day e WordCamp Brasil

Esse ano eu fui no WordCamp Brasil e no Google Developer Day, duvida? Olha a prova.

Picolé no Google Developer Day 2009

Como fazer Orkut

Orkut

Como fazer um Orkut? Fazer um Orkut é muito fácil se forem seguidas as instruções detalhadas abaixo.

Se você ainda não tiver uma Conta do Google, siga esses passos para criar uma:

Conta do Google

  1. Entrar no endereço do Orkut: http://www.orkut.com
  2. No quadrado onde está escrito “Ainda não é membro?” clicar em “ENTRE JÁ
  3. Informe “Nome” e “Sobrenome”, se quiser – são campos opcionais
  4. Informe o seu e-mail. Muito importante, pois é o e-mail para onde será enviada sua senha do Orkut, caso você se esqueça.
  5. Crie uma senha. Extremamente importante! Não coloque nome, data de aniversário, cidade ou qualquer outra senha que seja fácil, pois a forma mais fácil de hackear um Orkut é chutando senhas óbvias. Escolha uma senha comprida, mas que seja fácil de você memorizar. Faça uma que tenha “Força da senha”  “Relevante”.
  6. No campo para “Verificação de palavras” digite as letras que aparecem torcidas, em verde, acima do campo. Se não entender as letras, clique na imagem da cadeira de rodas que as letras serão faladas, mas você ainda terá de digiar.
  7. Clique no “Aceito. Criar minha conta.”
  8. Seguir os “Passos comuns para fazer um Orkut”, abaixo.

Se você já tiver uma Conta do Google, siga esses passos para fazer o Orkut:

Conta do Google

  1. Entrar no endereço do Orkut: http://www.orkut.com
  2. No quadrado onde está escrito “Acesse o Orkut com a sua Conta do Google” informe seu e-mail e a senha da Conta do Google, não necessariamente é a senha do e-mail
  3. Clicar no botão “Login”
  4. Seguir os “Passos comuns para fazer um Orkut”, abaixo.

Passos comuns para fazer um Orkut:

  1. Informe sua data de nascimento
  2. Informe seu nome e sobrenome
  3. Informe se você é homem (sexo masculino) ou mulher (sexo feminino)
  4. O país é o Brasil mesmo
  5. Marque a caixa onde está escrito “Sei que devo ter 18 anos ou mais para usar o orkut.com. Tenho 18 anos ou mais e aceito cumprir o Estatuto da Comunidade ao usar o orkut. Também concordo em cumprir com estes termos adicionais.”, se concordar com tudo.
  6. Clique em “tudo certo, pode criar minha conta”

Se você seguiu todos esses passos, agora já tem um Orkut, parabéns!

Fotos de São João del-Rei

Estou absolutamente maravilhado com o Picasa 3 do Google e sua integração para publicar álbuns de fotos na Internet de maneira extremamente fácil!

Abaixo um slide com as fotos do meu álbum de fotos de São João del-Rei.

O melhor é que se eu adicionar novas fotos à pasta do meu computador, automaticamente a galeria e os slides acima são atualizados, fantásico.

Bug no Google App Engine

Esses dias eu não postei nada no blog pois estou criando uma aplicação em Python utilizando o Google App Engine.

Uma parte da aplicação retorna um XML. No ambiente de desenvolvimento (meu computador) o código abaixo retorna corretamente o XML para o browser:

[code lang=”python”]self.response.headers.add_header(“Content-Type”, “text/xml”)
self.response.out.write(rstr)[/code]

No entanto, em produção (no servidor appspot.com), o browser exibia o XML como se o content-type fosse text/html e não text/xml. Ou seja, tinha de ficar indo em “exibir código fonte” pra poder ver o XML gerado.

Para funcionar, tive de mudar o código acima para o abaixo:

[code lang=”python”]self.response.headers[“Content-Type”] = “text/xml”
self.response.out.write(rstr)[/code]

Deve ser algum bug no response da biblioteca webapp do GAE

A real teoria do Big Bang

Esse fim de semana eu assisti a primeira temporada do The Big Bang Theory, uma série estadunidense que parece com Friends, mas onde os amigos são nerds.

Achei bem divertido, dei muitas risadas e me diverti a beça. Estou ansioso para começar a assistir a segunda temporada!

Um dos personagens, Sheldon, entrou na faculdade com 11 anos, após completar a 5ª série, se graduou aos 14 anos, foi professor visitante aos 15, teve o primeiro PhD aos 16 e o segundo aos 20, tendo QI de 187.

Um verdadeiro menino prodígio, como poucos que se houve falar. Na verdade, nunca havia ouvido falar de alguém que realmente tivesse tanta realização em tão pouco tempo… até hoje.

Stephen Wolfram é, na vida real, um britânico que escreveu seu primeiro artigo sobre física das partículas aos 16 anos (isso em 1975) e entrou na Universidade de Oxford aos 17 anos, obtendo seu PhD em física das partículas aos 20 anos, no Caltech.

Ele deve lançar o Wolfram|Alfa em maio. Se for tudo o que ele está dizendo, vai revolucionar a Internet e fazer com o Google o que ele fez com o Altavista há alguns anos…

Serviço Indisponível no WordPress com WP Super Cache

Quando meu blog ficou fora do ar por uma semana no meio do ano passado, mudei de hospedagem e ainda mudei as URLs das páginas. O Google Webmasters mostrava quase 2500 páginas com erro de “Serviço Indisponível”, “URL não encontrado (404)” e “Restrito pelo robots.txt”.

Os erros de Serviço Indisponível foram sumindo à medida que os dias foram passando, na nova hospedagem. Os erros de “URL não encontrado (404)” foram sendo resolvidos à medida que eu editava posts antigos para atualizar links internos para as novas URLs e consegui resolver alguns “Restrito pelo robots.txt” ao tirar do robots.txt a seguinte linha:

Disallow: /*.php?*$

O plugin que eu usei para redirecionar do antigo permalink para o novo permalink, internamente redirecionava o antigo permalink para uma URL no formato acima, que era então redirecionada pelo próprio WordPress para o novo permalink.

No entanto continuava com quase 1900 erros de “Restrito pelo Robots.txt”, então num momento de iluminação descobri a causa do erro no bloco abaixo do meu robots.txt:

User-agent: Googlebot
Disallow: /*.js$
Disallow: /*.inc$
Disallow: /*.css$

Disallow: /*.gz$
Disallow: /*.wmv$
Disallow: /*.cgi$
Disallow: /*.xhtml$

Eu havia habilitado no bendito plugin WP Super Cache a opção de compactar as páginas, que são entregues então compactadas e com a extensão .gz!

O bot do Google, muito esperto, requisita as páginas compactadas, salvando transferência de banda, então foi só remover a linha “Disallow: /*.gz$” do arquivo robots.txt que na próxima indexação já fiquei sem erro de “Restrito pelo robots.txt” e com apenas 54 erros de “URL não encontrado (404)” (não terminei de editar os posts com links para páginas antigas).

Easter Egg no Google Reader

Entre no Google Reader (http://reader.google.com – entre com seu usuário do GMail) e digite o seguinte:

B A

Pronto! Com esse “Konami Code” você revela um Ninja no seu Google Reader!

Ícone do Google

Na segunda fiz uma procura no Google e notei uma imagem colorida, diferente, na aba do Firefox e pensei: será que peguei vírus?

Depois de umas 3 abas abertas me toquei de que era o novo ícone do Google, mais colorido e chamativo que o antigo “g” azul.

No entanto, o mais interessante disso tudo é que a idéia para a versão 2009 do favicon (esse é o termo técnico) do Google é de um brasileiro estudante de ciência da computação na Unicamp!

Parabéns André Resende!

Resultados do Google Code Jam

Hoje achei um site com estatísticas dos resultados do Google Code Jam 2008. Vi minhas colocações, e a popularidade de cada linguagem de programação.

Como era de se esperar, C++ é a linguagem mais utilizada, mas eu não imaginava que era assim tão mais usada.

No entanto, o que mais me impressionou é que dos 104 países que tiveram competidores, o Brasil foi o quinto com maior número de participantes na etapa de qualificação e no primeiro round, ficando atrás só de Índia, Estados Unidos, China e Rússia. No entanto, quantidade não é qualidade, pois dos que participaram, poucos avançaram para as próximas etapas.

Pro ano que vem quero me preparar pra ver se avanço para a terceira fase, pois esse ano parei na segunda.

Como subir código fonte para o Google Code

Assim que eu coloquei o ticker de Consulta Cotação Bovespa no Google Code, a primeira dificuldade que tive foi para colocar o código fonte dele no repositório do Google Code, que é usa o SVN (evolução do CVS, que mexi por alto no tempo de faculdade).

Como eu uso Windows e quero facilidade acima de tudo, nada de ficar digitando linha de comando, instalei o TortoiseSVN.

  1. No Windows Explorer, clica-se com o botão direito na pasta onde está o código fonte da aplicação e vai na opção TortoiseSVN -> Import…
  2. Abre-se uma tela onde pede para digitar a URL, que é a que fica na aba “Source” no projeto, no meu caso é https://cotacao.googlecode.com/svn/trunk/
  3. Nessa tela tem um campo para digitar uma mensagem, que pode ser “Versão inicial” ou algo do gênero.
  4. Pede login e senha. O login é o nome do Google Account, que também está na aba “Source” e no meu caso é cintra. Para descobrir a senha é só clicar no link googlecode.com password, nessa mesma aba.
  5. Pronto, agora os arquivos estão no repositório.

Como pela opção “Import…” todos os arquivos dentro da pasta são enviados, é interessante verificar antes se não tem “lixo” na pasta, como arquivos temporários ou binários. O repositório de código é para armazenar apenas código!

No Google Codes existem 4 pastas:

  • branches (galhos): são versões derivadas de outras versões. Pode ser uma versão intermediária, que ainda não está estável. Não é uma cópia física da versão, apenas um “link”.
  • tags (etiquetas): no Source Safe era chamado de Labels, servem para identificar uma versão. Também não é uma cópia física da versão, apenas um “link”.
  • trunk (tronco): é a versão principal da aplicação e não deixa de ser um “branch”
  • wiki: é onde ficam as páginas wiki do site do projeto.

Então após ter subido o código fonte para a pasta trunk, eu criei uma tag para a versão que eu subi, que é a 2.4.1 e o procedimento também é muito simples.

  1. No Windows Explorer clicar com o botão direito do mouse em uma pasta e ir em “SVN Checkout…” e fazer o checkout da pasta trunk do projeto
  2. Clicar novamente na pasta e ir em “TortoiseSVN” -> “Branch/tag…”
  3. Digitar a URL de destino (no meu caso deixei como https://cotacao.googlecode.com/svn/tags/2.4.1/)
  4. Informar o “Create copy in the repository from:”. Como no meu caso é para usar a última versão, eu marquei a opção “Head”
  5. Informar uma mensagem e mandar bala!

Não acho que o TortoiseSVN seja o melhor programa, vou tentar outros também. Minha busca é para um que funcione atrás de proxy.

Sorte nos browses, azar nos shows

O Jonny Ken fez uma excelente comparação da funcionaliade “sorte” dos browsers Google Chrome (beta), Mozilla Firefox 3 e Microsoft Internet Explorer 8 (beta), quando tentou comprar ingressos para o show da Madonna pela Internet.

Ele demorou quase 5 horas pra comprar os ingressos, mas conseguiu. O browser vencedor foi o Google Chrome!

Além do quesito sorte, hoje achei mais um ponto positivo e outro negativo do Google Chrome.

O positivo é que em seu FAQ para desenvolvedores da Web (webmasters), eles citam os browsers Opera, Safari, Firefox e Internet Explorer, dizendo que são browsers mais utilizados, com link para as páginas deles! Quando que a Microsoft faria algo assim, informar quem são seus competidores diretos? Até mudar o nome do AJAX para Atlas e chamar o servidor de banco de dados dela de “SQL Server” (como se fosse o único) ela fez!

O negativo é que os termos de utilização são beeeeeeeem radicais (dica do Fernando).

Google Chrome – o browser da Google

Estou postando (e usando) pela primeira vez o Google Chrome, o inesperado(?) browser de código aberto desenvolvido pela Google e lançado mundialmente hoje (ontem, se for considerar que estou postando de madrugada).

A primeira impressão que tive foi: nossa, cadê o browser? A interface dele é extremamente limpa, sem a barra de status na parte inferior da tela com a qual estava tão acostumado… Quando está maximizado não tem borda e não fica nem com a barra superior padrão dos programas para Windows, só tem as abas e na linha de baixo o local pra digitar a URL, o restante todo da tela é para o site.

Alguns detalhes já me chamaram atenção e gostei bastante:

  • em formulários, o campo selecionado fica destacado
  • na barra de URL, o domínio e subdomínio ficam na cor preta e todo o restante da URL em cinza
  • não tem barra de status (vou demorar pra acostumar) mas quando passa o mouse em cima de um link ou uma página está carregando, no cando inferior esquerdo aparece o que apareceria na barra de status do Firefox ou do IE.
  • se um site que estiver nos favoritos for visitado, ele é marcado ao lado da barra de URL com uma estrela, como no GMail
  • o console de JavaScript é fantástico!
  • como no Firefox, ao entrar em uma página com segurança (https) a barra de URL fica com fundo amarelo e um cadeado aparece no canto direito
  • o “endereço”: view-source:http://holococos.sjdr.com.br/ ou qualquer outro URL, mostra o código fonte
  • o “endereço”: about:memory mostra diversas “informações para nerds” como eles mesmos apelidaram
  • dá para fechar todas as abas abertas por uma aba
  • já vem com um debugger de JavaScript
  • ele tem um próprio gerenciador de tarefas (basta apertar Shift+Esc) onde dá pra ver o consumo de memória, processador e rede de cada janela/plug-in e matar os processos como no Gerenciador de Tarefas do Windows.
  • para quem estava acostumado com o console de JavaScript do Firefox vai ficar de queixo caído com o console de JavaScript do Google Chrome. Já vem com um tipo de “DOM Inspector” que marca na página o elemento, mostra os estilos, mostra as “métricas” (graficamente mostra margin, border e padding de qualquer elemento)
  • esse console de javascript tem uma aba “Recursos” que lista todos os recursos que foram carregados pelo site e informações de todos eles.
  • tem um item de menu pra enviar pra equipe do Google Chrome erros que a gente encontre, podendo enviar o print screen da página automaticamente. Espero que as pessoas usem isso com responsabilidade, pois é uma excelente (e prática) maneira de tornar o browser melhor.
outros eu não gostei, mas deve ser por ser beta:
  • pelo scrool do TextPad do notebook a rolagem só funciona para baixo, para cima não (não sabia que utilizava isso tanto assim até não funcionar no Chrome)
  • o “bullet” (elemento “li” do HTML) não é redondo
  • o browser ficou bem instável quando tem um vídeo do YouTube na tela
  • quando usa o view-source: a aba fica sem título
  • não tem um “Master Password” como no Firefox, para definir uma senha master para deixar acessar as senhas armazenadas
  • a tecla “end” não leva o cursor para o fim da linha em uma caixa de texto se houve quebra de linha e ela continua na linha de baixo, mas leva o cursor para o início da linha de baixo
  • apertando-se a tecla “home” após apertar o “end” na situação acima, o cursor vai para o início da linha de cima
  • se der dois cliques em uma palavra, a palavra inteira mais o espaço após a palavra (se tiver) são selecionados, como no Firefox, Word, etc. Estando a palavra e o espaço selecionados dessa forma, apertando “Shift+[seta para esquerda]” não deseleciona o espaço, mas seleciona a letra que foi clicada duas vezes

Google Code Jam 2008

Acabou-se o que era doce… não passei para a segunda fase online do Google Code Jam 2008

Na sexta feira teria passado se tivesse usado variável long no lugar de int… deu overflow e o Visual Studio não sobe exceção de overflow automaticamente… então o teste longo não passou 🙁

No sábado consegui terminar o segundo exercício 2 minutos depois do fim do tempo, mas mesmo se tivesse entregado, não ficaria entre os 840 primeiros…

Fica para o ano que vem…

%d blogueiros gostam disto: