Arquivos de Categorias: Dinheiro

Erik Nava da EACON Ar Condicionados – Fuja

Dia 28 de Dezembro de 2016 entrei em contato com Erik David Fernandes Nava Namorado, da EACON Ar Condicionados solicitando o projeto para instalação de 2 aparelhos de ar condicionado no apartamento que eu iria reformar em São Paulo. Ele tem grande experiência em instalação de ar condicionados, já trabalhou com isso no Japão, tive ótimas recomendações dele de especialistas no ramo.

Após alguns desencontros, finalmente dia 28 de Janeiro de 2017 ele foi ao apartamento fazer o projeto e dia 23 de Fevereiro ele retornou com o orçamento para dois aparelhos Daikin Inverter Quente & Frio, um de 9.000 BTU pro quarto e o outro de 12.000 BTU pra sala, junto com as duas instalações. No dia seguinte, dia 24 de Fevereiro ele foi ao apartamento marcar o corte da infra e efetuei o pagamento do valor em 10 vezes sem juros no cartão de crédito.

Dia 3 de Março o Erik Nava foi no apartamento e instalou a infra (tubos de cobre com isolamento e cabo PP), com a presença do engenheiro responsável pela reforma.

Dia 28 de Março perguntei ao Erik Nava quando as máquinas seriam entregues e ele informou que não havia encomendado ainda, que pediria quando estivesse mais perto do fim da reforma, para que as máquinas não sujassem.

Dia 19 de Abril o Erik Nava foi na reforma pela última vez e instruiu os pedreiros em como fazer o fechamento da infra instalada.

Dia 10 de Maio tentei contato como Erik Nava, informando que faltavam 20 dias para o término da reforma e não obtive retorno. Tentei contato novamente nos dias 11 de Maio, 12 de Maio, 13 de Maio e 14 de Maio, sem sucesso.

Dia 14 de Maio minha esposa entrou em contato com a esposa do Erik Nava e conseguiu que ele nos retornasse no dia seguinte, dia 15 de Maio, confirmando que as máquinas seriam entregues no prazo, antes do término da reforma.

Dia 19 de Maio o Erik me informou havia comprado as máquinas na empresa STR e no dia 22 de Maio ele me informou que as máquinas seriam entregues no dia 29 de Maio.

Dia 29 de Maio o Erik Nava me informou que as máquinas haviam chegado na casa dele, novas, lacradas, conforme nota fiscal e que ele instalaria no meu apartamento dia 2 de Junho.

Dia 1o de Junho foi a última vez que tive notícia do Erik Nava, quando ele confirmou que no dia seguinte, dia 2 de Junho, estaria no meu apartamento às 9:00 para entregar e instalar as duas máquinas de ar condicionado.

Desde então ele sumiu com minhas duas máquinas e não realizou a instalação das mesmas. Não responde minhas mensagens e não atende minhas ligações…

Punto: 106.700 km / 9.100 litros

Quando em setembro de 2011 a Accenture deixou um Punto 0km pra eu trabalhar, comecei a anotar todos os abastecimentos que fiz: data, quilometragem, preço do litro, litros abastecidos, bandeira do posto e se completei o tanque. Quando saí da Accenture em 2014 tive a oportunidade de comprar o Punto e continuei com esse hábito.

Fiz uma análise agora em 2016 e cheguei em algumas estatísticas interessantes:
  • Já abasteci 217 vezes (apenas 4 vezes com álcool), um total de 9.116 litros, gastando a fábula de R$ 26.540,81 para percorrer 106.781 quilômetros e média de consumo de 11,73 km/l. Completei o tanque 172 vezes.
  • Paguei uma média de R$ 2,96 por litro e uma média de 42 litros por abastecimento, abastecendo em média a cada 495 quilômetros e a cada 9 dias. O valor médio de cada abastecimento foi de R$ 122,31
  • Abasteci na Shell 147 vezes (68%), 28 vezes na Petrobrás (12%), 25 vezes na Ipiranga (10%), 5 vezes na Ale (3%), 2 vezes na Mobil (1%) e 13 vezes em postos de outras bandeiras (6%)
Agora, o fato mais interessante, das 172 vezes que completei o tanque, apenas 13 vezes abasteci mais de 57 litros, 5 vezes no Ipiranga (38%), 2 vezes na Petrobrás (15%) e 6 vezes na Shell (46%), os dois maiores abastecimentos, inclusive, foram na Ipiranga, 60,02 e 59,64 litros.
Ontem abasteci na Shell (Auto Posto Jardim São Paulo – Av. Nova Cantareira, 428) e deram 56,41 litros, como eu estava no meio da reserva na hora pedi pra fazer o teste dos 20l – eu esperava algo em torno de 55l. Me negaram, falei com o gerente, me negou, falei com o responsável e ele exigiu que quem abasteceu fizesse o teste. Fizeram o teste duas vezes e nas duas vezes deu o mesmo resultado: 80ml a menos por 20l. Fiz a regra de tres e me devolveram R$ 2,25 referente ao montante de “ar” que eu havia pago.
Quando abasteci os 60l no Ipiranga também pedi o teste dos 20l e milagrosamente bateu na pinta… depois disso nunca mais abasteci em Ipiranga.

TIMganaram na caruda

Viaje no Carnaval sem se preocupar com a conta! Na TIM vc recebe chamadas ilimitadas em qq lugar do Brasil por apenas R$9,90! Nao precisa ativar, basta usar.” – SMS da TIM

Quer dizer que se eu receber uma única ligação, de 10 segundos, vou morrer em 10 reais?

Essa TIM está me chamando de otário na cara dura, sem contar os outros 10 reais que cobram ao enviar o sexto SMS…

Blu-Ray a 20 reais com frete grátis

Deu a louca na Videolar e eles estão vendendo filmes e shows em Blu-Ray a apenas R$ 20,00, com frete grátis para todo o Brasil!

BluRay a 20 Reais

BluRay a 20 Reais

Já comprei o Duna e estou comprando o A Aventura pelos Recifes de Corais, em IMAX Full HD.

Cartilha do IPVA

O governo do estado de São Paulo lançou hoje uma cartilha explicando quando o IPVA deve ser pago, o que fazer quando o carro é vendido, roubado ou batido de forma irreversível, o famoso PT (Perda Total).

A Secretaria da Fazenda do Estado de São Paulo também enviou 93.915 comunicados de lançamento de débitos de IPVA (Imposto sobre a Propriedade de Veículos Automotores), referentes aos anos de 2006, 2007 e 2008, totalizando mais de R$ 9,8 milhõesem dívidas!

O aviso traz os valores anuais do principal e da multa (20%). O proprietário tem 30 dias para efetuar o pagamento ou efetuar sua defesa, caso não aceite os valores.

Para consultar os débitos até a data de hoje tem como utilizar esse site, informando o RENAVAN do carro e o CPF/CNPJ do dono do veículo.

A cartilha foi organizada pela Secretaria da Fazenda do Estado de São Paulo e pelo Departamento Estadual de Trânsito de São Paulo e pode ser baixada aqui, respondendo diversas perguntas comuns:

  • Vendi meu carro mas continuo a receber cobrança do IPVA. Por que isso acontece?
  • Vendi meu veículo e fiz a comunicação ao órgão de trânsito, mesmo assim recebi a cobrança do IPVA relativo ao exercício seguinte ao da comunicação. O que devo fazer?
  • Durante a venda do meu veículo foi combinado que o comprador arcaria com os débitos pendentes. Ele não o fez. Vou receber essas cobranças?
  • Como eu efetuo a comunicação de venda ou bloqueio de transferência junto ao órgão de trânsito?
  • Preciso comunicar mudança de endereço ao órgão de trânsito?
  • Como faço para comunicar mudança de endereço ao órgão de trânsito?
  • Meu carro sofreu sinistro, o que devo fazer? (acidente, incêndio, enchente etc.)
  • Como providencio a baixa definitiva do veículo no cadastro do órgão de trânsito?
  • Paguei o IPVA devido, entretanto fui inscrito na Dívida Ativa. O que devo fazer?
  • Transferi meu veículo para outro Estado. Devo pagar o IPVA?
  • Meu veículo foi furtado e fiz o Boletim de Ocorrência, serei dispensado do pagamento do IPVA?
  • Não fui inscrito na Dívida Ativa e quero pagar o IPVA de meu veículo. Como devo fazer?
  • Fui inscrito na Dívida Ativa e quero regularizar minha situação. O que devo fazer?

Máquina de Costura

Minha esposa quer comprar uma máquina de costura doméstica e pediu minha ajuda para encontrar o melhor preço e custo/benefício. Pela minha pesquisa, quase sempre o Extra tem o melhor preço em máquina de costura.

Essa linha hobby (não profissional) no Brasil é atendida por apenas 3 marcas:

  • Singer
  • Elgin
  • Janome

Nos Estados Unidos a Brother é muito famosa, mas aqui não tem nenhum distribuidor.

A Singer tem 4 modelos nessa linha:

A Elgin tem 4 modelos:

Já a Janome tem apenas 2 máquinas:

Eu li a especificação de todas essas máquinas e não faço a mínima idéia de qual é a melhor… o único parâmetro que eu consigo utilizar na escolha é o número de costuras diferentes que cada máquina faz.

Esse vídeo da Singer até poder ajudar um pouco:

Agora eu entendo por que tem pessoas que compram câmera fotográfica digital pelo número de megapixels e não pelos seus recursos, por pura ignorância. É o meu caso com máquinas de costura.

Vou pesquisar mais a respeito. Se você tiver algum conhecimento nessa área, poderia deixar um comentário com sua opinião?

Melhor Internet 3G

Hoje, finalmente, aderi à tecnologia 3G. Cansei-me de usar internet no notebook através do 2G do celular, via bluetooth. Uma lástima!

Peguei um plano de 2GB mensais na TIM, com velocidade média máxima de 3Mbps e média mínima de 1Mbps. Quando terminar a franquia de 2GB, a velocidade fica limitada a 300Kbps, sem cobrar o absurdo de R$ 102,40 por Gigabyte adicional como as outras operadoras cobram (Oi, Vivo e Claro). A mensalidade é de R$ 80,00.

Como já sou cliente pós pago na TIM, o modem saiu de graça, sem fidelização, senão sairia por R$ 96,00. Teoricamente se amanhã eu cancelar o plano, continuo com o modem, sem ter de pagar multa alguma. Li as letrinhas pequenas dos contratos e não encontrei nenhum “porém”… mas está difícil de acreditar.

O que não consigo entender é o departamento de marketing das operadoras de celular…

Tanto no site quanto na loja da Oi a franquia de 2GB sai por R$ 70,00 mensais (até o fim do ano fica em R$ 50,00 mensais), com velocidade de 300kbps. Após consumir a franquia, ou paga-se o extorsivo valor de R$ 0,10 por megabyte ou fica sem conexão. O modem custa R$ 180,00 mas levando-0 junto com o plano ele sai por R$ 150,00. Só compensa para quem já tem um modem e usa Internet muito pouco, pois o modem na Oi é o mais caro das 4 teles, além de oferecer a pior velocidade e cobrar megabytes excedentes, sem opção de continuar navegando com redução de velocidade.

No caso da Vivo o plano de franquia de 2GB sai por R$ 90,00 mensais, com velocidade de 1Mbps, modem a R$ 10,00 e ao consumir os 2GB há a opção de navegar com velocidade limitada a 128kbps ou pagar os 10 centavos por MB. No primeiro mês há um desconto de R$ 40,00 na mensalidade. Tanto a velocidade mínima quanto a máxima são menores que as da TIM, além da mensalidade ser 12% mais cara. Quem for cliente pós-pago da TIM e ganhar o modem, em 3 meses a TIM já é mais vantajosa, financeiramente falando. Que não for cliente e tiver de pagar os R$ 96,00 do modem na TIM, por 1 ano a Vivo é financeiramente mais vantajosa, mas depois passa a ser mais cara.

No site da TIM só encontrei (após muito procurar, está super escondido) o plano de internet POR HORA!!!!! Eu usava isso em 1996, quando a Internet estava começando no Brasil. Como minha idéia é deixar o notebook conectado no trabalho, no horário comercial, utilizarei aproximadamente 180 horas mensais, excedendo inclusive as as 120 horas do maior plano. Só vejo vantagem nesse plano para quem ainda não usa Internet e quer experimentar. Isso não tem futuro, já que a tendência de utilização de Internet é ficar cada vez mais conectado. O Google já tem um sistema operacional que roda na Internet, sem precisar armazenar nada no computador, a grosso modo.

Não fui na loja da Claro, mas eles são iguais à Oi. Após consumir a franquia, ou paga-se 10 centavos por megabyte excedente ou fica sem conexão. O marketing deles é tão cara de pau que merece um post exclusivo! É pior que a internet por hora da TIM.

Estou conectado há 30 minutos, já baixei 125,2 MB e enviei 2,9MB, por conta de atualizações do Windows e do anti-virus. Certamente extrapolarei os 2GB de franquia, mas continuarei navegando com uma velocidade aceitável e não pagarei nada a mais por isso. Essa promoção da TIM tem o melhor custo-benefício, sem dúvidas.

O sumiço do dinheiro

1999, 3º ano do 2º Grau, 17 anos

Deus pode ser brasileiro, mas a corrupção não é, ocorre em vários países, tem a mesma causa e possivelmente a mesma solução.

Na idade média o dinheiro era em moedas de ouro. Todos sabiam quanto tinham, bastava contar as moedas. Se fossem roubadas saberiam exatamente quantas moedas foram perdidas. Naquela época era mais difícil ter o dinheiro roubado sem ter conhecimento do fato.

Atualmente não se usa mais moedas de ouro, o dinheiro é baseado em contas bancárias, cheques, cartões de créditos. Imagina-se que o dinheiro está seguro no banco, só vai sair de lá se for emitido um cheque, devidamente assinado, ou se provido de cartão de crédito e da senha, fizer uma movimentação qualquer. Perdeu-se o controle que se tinha antigamente sobre o dinheiro, toda confiança é dada ao banco.

Hoje ninguém tem como conferir o saco de moedas, para ver se está faltando alguma, é necessário uma análise demorada sobre o extrato, conferindo cada centavo que entrou com cada que saiu, para se ter certeza de que nada foi perdido. Se durante uma exaustiva análise do extrato for encontrado um erro, dinheiro faltando ou a mais, ninguém analisará o  extrato novamente e possivelmente colocará a culpa em um cheque que não se lembra de ter dado. Esse fato é muito comum de ocorrer com pessoas normais, que têm uma conta bancária de valores modestos, imagine então quando a movimentação envolve cifras de milhões, por exemplo. Detectar o sumiço de dinheiro numa quantidade dessas é praticamente impraticável, achar para onde foi o dinheiro, é impossível.

O socialismo não deu certo, o mundo é capitalista, o homem está extremamente ligado ao dinheiro. Ter dinheiro significa, além de status social, a possibilidade de fazer o que quiser. Baseado nisso, o homem tenta conseguir dinheiro de qualquer maneira, até de formas ilícitas, entre elas o desvio de dinheiro.

O que chamamos de corrupção no Brasil, o desvio de dinheiro, ocorre no mundo inteiro. No Brasil esse desvio não ocorre de forma discreta, além de desviarem cifras algumas vezes maiores que metade do valor total.

Enquanto não for mudada a forma de movimentação monetária, a corrupção não acabará. O dinheiro eletrônico parece ser a solução definitiva para este problema.

Full HD

Desta vez quando digo “Full HD” não estou me referindo à qualidade de vídeo “Full High Definition”, mas ao Hard Disk do meu computador que está lotado até o talo!

Meu HD, cheio até a borda

Meu HD, cheio até a borda

Será que isso justifica comprar um HD Western Digital Caviar Green de 2TB? Ele é extremamente silencioso,  consume pouca energia e esquenta pouco, com 64MB de buffer (modelo WD20EARS).

O problema é o preço…

Vou ver se algum conhecido vai pros Estados Unidos, pois na Amazon sai por aproximadamente R$ 130! Senão compro na KabuM mesmo. Já comprei algumas coisas nessa loja, é muito boa.

Aqueda de um império

1999, 3º ano do 2º Grau, 17 anos

O antigo confronta o novo. De um lado, a modernidade do telefone celular, de outro, o charme do papel e tinta. Serão o papel e a tinta substituídos pela tecnologia do celular?

O papel vem sendo usado há mais de 1.000 anos pela humanidade, faz parte de nossa história, é nossa história. O papel perpetua um fato qualquer, é um documento aceito em qualquer parte do mundo. Se não fossem o papel e a tinta, a memória oral não passaria para nós esta imensidão de conhecimentos que recebemos através dele. O papel e a caneta têm seu charme, são baratos, acessíveis a qualquer pessoa, mesmo as mais abastadas. Outro grande ponto do papel e tinta é que estes mantêm seu anonimato, enquanto o celular informa timbre de voz, além do número de quem está do outro lado da linha.

O celular é o que há de mais moderno em termos de comunicação à distância. É extremamente prático, possibilita falar com qualquer pessoa em qualquer lugar a qualquer hora. É rápido, basta algumas tecladas e já está falando. É eficiente, em alguns segundos já está recebendo a resposta. É muito mais avançado que o papel, já que possibilita conversa em tempo real. É possível chamar um médico que está voltando do hospital para casa, de maneira que ele chegue a tempo de salvar o paciente, por exemplo. Além disso, o celular é quebrável e só funciona em determinadas áreas, o papel desmancha com a umidade e envelhece com o tempo. A traça come o papel e o celular é caro.

O papel está com os dias contados. A praticidade do celular é diretamente proporcional à idade do papel. A cada dia que se passa, mais recursos são incorparados ao celular, como jogos, agenda, calendário, secretária eletrônica, é-mail. O papel já desempenhou de maneira notável sua missão. O papel continuará existindo, é lógico, mas não para a comunicação, o celular se tornará, está se tornando, forma de comunicação mais utilizada no mundo. É o fim do império do papel.

Comentário da professora:

Você se esqueceu do item “c” da proposta.

FHC: Imagem do Real

28 de Outubro de 1999, 3º ano do 2º Grau, 18 anos

Popularidade e FHC, duas palavras antagônicas. Como economista, FHC criou o Plano Real, moeda atrelada ao dólar, inflação de 5% ao ano. Foi um “boom” que tirou o Brasil da lama. O plano era tão bom em relação ao antigo, que FHC acabou sendo eleito presidente.

Em 1994, o Brasil estava eufórico com a nova estabilidade econômica e com FHC, o criador da estabilidade. Embriagados pelo sucesso do Plano Real, os eleitores, em grande maioria, apostaram em FHC, se como economista fez isso, imagine como presidente! Eleito presidente, ele nada fez para melhorar sua imagem, sua populaaridade só crescia no exterior, devido às suas inúmeras viagens. Foram quatro anos de calmaria política e conômica não só no Brasil, como no mundo inteiro. FHC não tinha muito com que se preocupar, apenas manter a popularidade do Real, espelho de sua própria popularidade, em alta.

FHC criou uma emenda que permitia a reeleição, beneficiando-se. Novamente o Real foi o diferencial, a campanha de FHC era, indiretamente, um aviso de que “o outro” fosse presidente, o Plano Real entraria pelo cano, levando o bem estar político, econômico e social junto. Outra vez, o Plano Real ganhou a eleição para FHC.

No segundo mandato, o mundo passou por três crises: a asiática, a das bolsas e a russa. FHC fez de tudo para manter o Real. Vendeu estatais, lançou dólares no mercado, desvalorizou a moeda, entre outras medidas. Mesmo assim, a economia e o Real sofreram um baque, um grande desfalque, despencando o crédito no plano, bem como em FHC.

Desemprego, dólar a R$ 2,00, déficit orçamentário. O Real já não é a imagem ensolarada do Brasil. A imagem de FHC está por um fio: a inflação. Se a inflação aumentar, arruinando de vez o Plano Real, a insignificante popularidade de FHC sumirá de vez.

Durante todo o seu mandato, a popularidade de FHC não passava da imagem otimista do Real. Se esse ruir, FHC passará de mártir a carrasco de nossa economia. Ainda pior: os brasileiros culparão FHC de ter governado mal, destruído o real e tudo o que aconteceu de errado no Brasil.

A (in)segurança dos bancos

Quando eu era criança minha mãe abriu na Caixa Econômica Federal uma poupança pra mim. A conta existe até hoje, nunca soube qual é a senha, ainda mais porque ela está vazia. Sabe como é… a década de 80 foi complicada: superinflação, Plano Cruzado, Plano Collor, Sarney…

Conta Poupança na Caixa Econômica Federal na década de 80: senha de 6 números para os caixas.

Quando fui fazer faculdade abri uma conta universitária no Banco do Brasil. Não cobravam tarifa, davam R$ 200,00 de limite, tinha uma agência dentro da UFSCar e meu pai podia me mandar dinheiro lá de São João del-Rei quando a situação ficava preta. Fechei a conta quando vim pra São Paulo.

Conta Universitária no Banco do Brasil no início do século: senha de 6 dígitos para o cartão Visa Electron, caixas eletrônicos e Home Banking. Senha adicional de 4 dígitos para a Internet.

Quando comecei a trabalhar tive de abrir uma conta no Bradesco e o melhor: não pagava tarifa, além do que tem agência em tudo quanto é lugar, inclusive nos Correios. Parei de usar quando mudei de emprego.

Conta Corrente no Banco Bradesco em 2010: senha de 6 dígitos para o cartão de débito Visa Electron, senha de 4 dígitos para o cartão de crédito Visa, senha de 4 dígitos para o Home Banking e tele-atendimento e cartão de senhas com 50 senhas para o Home Banking.

Agora que mudei de emprego tive de abrir uma conta no Santander. Apesar de não pagar tarifas, desisti de usar quando soube do número de senhas diferentes que teria de memorizar…

Conta Corrente no Banco Santander nos dias atuais: senha de 4 dígitos para o Cartão de Crédito/Débito Visa, senha de 4 dígitos para o Cartão de Crédito/Débito Master Card, senha de 6 dígitos para a Internet, senha de 4 dígitos para o tele-atendimento, cartão de senhas com 50 senhas para a Internet, senha de 6 dígitos para o tele-atendimento, senha de 3 letras para o caixa-eletrônico.

Como é que um banco pede pra um reles mortal manter 7 senhas diferentes para utilizar seus serviços? Imagina um idoso com Mal de Alzaimer ou uma pessoa com dificuldade em decorar números… com certeza vai anotar tudo em um papel ou usar a mesma senha nos 7 lugares, ou seja, pra quê isso?

Limpeza com vapor

Sempre achei o máximo aquelas máquinas vaporizadoras que limpam com vapor em alta pressão, igual ao Vaporetto ou SkyVap que víamos na TV há alguns anos.

Resolvi comprar pra limpar as pedras do quintal e os azuleijos da cozinha e banheiro. Não encontrei em nenhuma loja, só pela Internet. Até Casas Bahia, Extra, Ponto Frio, Magazine Luíza e Americanas vendem pela Internet mas não vendem em lojas.

Fiquei com receio de ser mais produto de marketing que algo que funciona mesmo, então resolvi pesquisar quais são as opções disponíveis pra ver se alguma vale a pena.

  • Intech Machine Vapor Clean – R$ 230 – 700ml
  • Britânia Super Clean – R$ 280 – 1250ml
  • Steamfast SF-260A – R$ 315 – 950 ml – vende em várias lojas
  • Eterny SC-360 – R$ 370 – em falta
  • Fun Kitchen Vappo – R$ 400 – 1200ml – Só no shoptime
  • Steamfast SF-276 – R$ 500 – 1500ml – vende em várias lojas
  • Lavor Wash Skyvap – R$ 570 – 1600ml
  • Wap Wapore Clean – R$ 600

Pelo visto, a Skyvap é a melhor (e mais cara). No entanto, mesmo o Sky Vap está cheio de reclamações no Reclame Aqui

Update: comprei um Wap Wapore Clean na Leroy Merlin por 430 reais, em 10 vezes. Realmente ele limpa, sai bastante vapor, são 45 minutos de autonomia, mas é um processo beeeem demorado. Limpar o banheiro 1 vez? Excelente. Limpar o banheiro toda semana? Nem pensar.

Consumo de Álcool e Gasolina

Desde quando trocamos de carro no ano passado nós anotamos data, quilometragem, litros abastecidos e preço do litro quando enchemos o tanque de combustível.

Como o carro é Flex, as vezes abastecemos com álcool (que agora chamam de Etanol) e as vezes com gasolina, dependendo do preço que mais compensa.

Abastecimentos com Álcool e Gasolina

Abastecimentos com Álcool e Gasolina (em litros, por mês)

A conta que ensinam é multiplicar o preço da gasolina por 0,7, chegando no maior valor a se pagar no álcool. Por exemplo, se a gasolina está R$ 2,50, multiplicando por 0,7 chega-se ao valor 1,75. Ou seja, se o álcool estiver custando menos de R$ 1,75, compensa abastecer com álcool.

Com base nos dados que anotamos, chegamos a algumas estatísticas nestes 18 meses com o carro:

  • Já percorremos 16.058 quilômetros com o carro.
  • Abastecemos 24 vezes com álcool, com preço médio de R$ 1,42, mínimo de R$ 1,15 e máximo de R$ 1,89, totalizando 768 litros de álcool .
  • Abastecemos 18 vezes com gasolina, com preço médio de R$ 2,47, mínimo de R$ 2,23 e máximo de R$ 2,60, totalizando 567 litros de gasolina.
  • O maior abastecimento foi com 46,9 litros de álcool.
  • O abastecimento mais caro foi R$ 114,94, quando enchemos o tanque com 44,4 litros de gasolina a R$ 2,59, em uma viagem.
  • A maior distância que já percorremos com um tanque foram 530 km, consumindo 44,7 litros de gasolina (média de 11,8km/l), nesta mesma viagem.
  • A menor distância que já percorremos com um tanque foram 286 km, consumindo 42,1 litros de álcool (média de 6,8km/l), no trânsito engarrafado de São Paulo.
  • O consumo médio com álcool foi de 8,5 km/l.
  • O consumo médio com gasolina foi de 10,5 km/l.

A conclusão que chegamos é que na maioria das vezes vale a pena abaster com álcool.

Em viagens sempre abastecemos com gasolina antes de sair de São Paulo, em um posto de confiança, pra ter de abastecer o mínimo possível na estrada, em postos que não conhecemos.

Fazemos isso pois com gasolina conseguimos rodar uma distância maior antes de ter de abastecer de novo. Dependendo da distância dá pra chegar no local de destino sem reabastecer e abastecer lá antes de voltar, perguntando pros moradores qual posto é bom.

Compra de moedas para coleção

Hoje aproveitei o domingo e fui de metrô até feirinha da Praça da República, procurar moedas para tentar completar a minha coleção de moedas brasileiras.

Lá tem umas 10 barracas só de moedas, cédulas e selos, tanto brasileiros quanto do resto do mundo inteiro.

Comprei 13 moedas, a maioria por R$ 0,50, algumas por R$ 1,00 e uma de R$ 0,10 por incríveis 8 reais (que eu já tive mas meu irmão fez o favor de gastar)!

10 centavos de Real - 50 anos da FAO

10 centavos de Real - 50 anos da FAO

Aproveitei e comprei também 4 folhas de plástico para colocar moedas, pois guardar as moedas nos potes de filme de máquina fotográfica é terrível!

As moedas que comprei foram:

Cruzeiro Novo

  • 1 centavo de cruzeiro novo (1969)

Cruzeiro (primeira série)

  • 10 centavos de cruzeiro em cruproníquel (1970)
  • 20 centavos de cruzeiro em curproníquel (1970)
  • 1 cruzeiro em níquel (1970)
  • 1 centavo de cruzeiro da campanha Alimentos para o Mundo (1975)
  • 2 centavos de cruzeiro da campanha Alimentos para o Mundo (1975)
  • 5 centavos de cruzeiro da campanha Alimentos para o Mundo (1977)

Cruzeiro (terceira série)

  • 100 cruzeiros (1986)

Cruzado

  • 1 centavo (1986)
  • 5 centavos (1986)

Cruzado Novo

  • 1 cruzado novo (1989)

Cruzeiro

  • 5.000 cruzeiros (1992)

Real (primeira série)

  • 10 centavos 50 anos da FAO (1995)

Domingo que vem volto lá pra tentar conseguir as 16 que faltam. Hoje cheguei meio tarde e algumas barracas já estavam fechando.

%d blogueiros gostam disto: