Arquivos de Categorias: Consumidor

Camisa de Rugby

Comprei minha segunda camiseta oficial da seleção brasileira!

Eu tenho uma camiseta oficial da Seleção Brasileira de Voleibol Masculino, confeccionada pela Olympikus, que ganhei do Banco do Brasil em 2002, na época patrocinador do Desafio Sebrae.

Hoje comprei a camiseta oficial da Seleção Brasileira de Rugby, confeccionada pela Topper. Não o modelo atual, com o símbolo da Confederação Brasileira de Rugby (CBRu) e propaganda do Bradesco e Jac Motors, mas o antigo, com o símbolo da Associação Brasileira de Rugby (ABR).

Camisa de Rugby do Brasil - ABR

Camisa de Rugby do Brasil – ABR

A Topper se tornou a fornecedora dos materiais esportivos para a seleção de Rugby em 2009 e apresentaram o primeiro uniforme em dezembro de 2009. No início de 2010 a ABR virou CBRu, para poder receber apoio financeiro do Comitê Olímpico Brasileiro e a Topper teve de mudar o uniforme, colocando o novo símbolo.

Camisa de Rugby do Brasil - CBRu

Camisa de Rugby do Brasil – CBRu

TIMganaram na caruda

Viaje no Carnaval sem se preocupar com a conta! Na TIM vc recebe chamadas ilimitadas em qq lugar do Brasil por apenas R$9,90! Nao precisa ativar, basta usar.” – SMS da TIM

Quer dizer que se eu receber uma única ligação, de 10 segundos, vou morrer em 10 reais?

Essa TIM está me chamando de otário na cara dura, sem contar os outros 10 reais que cobram ao enviar o sexto SMS…

Blu-Ray a 20 reais com frete grátis

Deu a louca na Videolar e eles estão vendendo filmes e shows em Blu-Ray a apenas R$ 20,00, com frete grátis para todo o Brasil!

BluRay a 20 Reais

BluRay a 20 Reais

Já comprei o Duna e estou comprando o A Aventura pelos Recifes de Corais, em IMAX Full HD.

Aquecedor Portátil de Ambiente

Possuo dois aquecedores em casa: um à óleo DeLonghi EW7707 e outro de cerâmica GE Smart Comfort (que saiu de linha). Ambos são grandes e aquecem muito bem, cada um com suas vantagens e desvantagens.

O a óleo é o que proporciona o melhor conforto ao longo de uma noite. Pode ficar no modo “Confortemp” que vai dosando a potência para manter o cômodo em uma temperatura bem agradável. Seu úníco defeito é demorar de meia hora a uma hora para esquentar, no entanto como ele inteiro se esquenta, o cômodo fica bem quente.

Aquecedor DeLonghi EW7707

Aquecedor DeLonghi EW7707

O cerâmico esquenta muito rapidamente, questão de segundos, mas precisa ficar ligado a noite inteira em uma de suas 3 temperaturas, pois no modo “Sensor” o quarto sempre está frio ao fim da noite. Ele é direcional, então para onde está apontado recebe o ar quente e fica bem quente, mesmo na menor potência, mas em volta fica apenas morno. É ótimo para deixar ligado esquentando as pernas enquanto assistimos TV.

Aquecedor GE Smart Comfort

Aquecedor GE Smart Comfort

Agora queremos um pequeno, portátil, desses termoventiladores que costumam usar para aquecer banheiro. Eu queria um DeLonghi Mini HVE333 (R$ 100,00), mas só achei o modelo de 220 volts e preciso do de 110v.

Aquecedor DeLonghi Mini HVE333

Aquecedor DeLonghi Mini HVE333

Ficaram então 3 opções que considero boas:

O Philco, além de ser o mais barato dos três, tem oscilador (fica se mexendo), além de usar cerâmica e não resistência. O único ponto negativo é que Philco = Britania… que eu não confio.

Aquecedor Philco AQ1600 Ceramic

Aquecedor Philco AQ1600 Ceramic

Qual a diferença entre o aquecimento cerâmico e o convencional?

O aquecimento cerâmico e mais rápido e eficiente, pois o calor é absorvido pela placa cerâmica antes de ser distribuído pelo ambiente.

Máquina de Costura

Minha esposa quer comprar uma máquina de costura doméstica e pediu minha ajuda para encontrar o melhor preço e custo/benefício. Pela minha pesquisa, quase sempre o Extra tem o melhor preço em máquina de costura.

Essa linha hobby (não profissional) no Brasil é atendida por apenas 3 marcas:

  • Singer
  • Elgin
  • Janome

Nos Estados Unidos a Brother é muito famosa, mas aqui não tem nenhum distribuidor.

A Singer tem 4 modelos nessa linha:

A Elgin tem 4 modelos:

Já a Janome tem apenas 2 máquinas:

Eu li a especificação de todas essas máquinas e não faço a mínima idéia de qual é a melhor… o único parâmetro que eu consigo utilizar na escolha é o número de costuras diferentes que cada máquina faz.

Esse vídeo da Singer até poder ajudar um pouco:

Agora eu entendo por que tem pessoas que compram câmera fotográfica digital pelo número de megapixels e não pelos seus recursos, por pura ignorância. É o meu caso com máquinas de costura.

Vou pesquisar mais a respeito. Se você tiver algum conhecimento nessa área, poderia deixar um comentário com sua opinião?

Melhor Internet 3G

Hoje, finalmente, aderi à tecnologia 3G. Cansei-me de usar internet no notebook através do 2G do celular, via bluetooth. Uma lástima!

Peguei um plano de 2GB mensais na TIM, com velocidade média máxima de 3Mbps e média mínima de 1Mbps. Quando terminar a franquia de 2GB, a velocidade fica limitada a 300Kbps, sem cobrar o absurdo de R$ 102,40 por Gigabyte adicional como as outras operadoras cobram (Oi, Vivo e Claro). A mensalidade é de R$ 80,00.

Como já sou cliente pós pago na TIM, o modem saiu de graça, sem fidelização, senão sairia por R$ 96,00. Teoricamente se amanhã eu cancelar o plano, continuo com o modem, sem ter de pagar multa alguma. Li as letrinhas pequenas dos contratos e não encontrei nenhum “porém”… mas está difícil de acreditar.

O que não consigo entender é o departamento de marketing das operadoras de celular…

Tanto no site quanto na loja da Oi a franquia de 2GB sai por R$ 70,00 mensais (até o fim do ano fica em R$ 50,00 mensais), com velocidade de 300kbps. Após consumir a franquia, ou paga-se o extorsivo valor de R$ 0,10 por megabyte ou fica sem conexão. O modem custa R$ 180,00 mas levando-0 junto com o plano ele sai por R$ 150,00. Só compensa para quem já tem um modem e usa Internet muito pouco, pois o modem na Oi é o mais caro das 4 teles, além de oferecer a pior velocidade e cobrar megabytes excedentes, sem opção de continuar navegando com redução de velocidade.

No caso da Vivo o plano de franquia de 2GB sai por R$ 90,00 mensais, com velocidade de 1Mbps, modem a R$ 10,00 e ao consumir os 2GB há a opção de navegar com velocidade limitada a 128kbps ou pagar os 10 centavos por MB. No primeiro mês há um desconto de R$ 40,00 na mensalidade. Tanto a velocidade mínima quanto a máxima são menores que as da TIM, além da mensalidade ser 12% mais cara. Quem for cliente pós-pago da TIM e ganhar o modem, em 3 meses a TIM já é mais vantajosa, financeiramente falando. Que não for cliente e tiver de pagar os R$ 96,00 do modem na TIM, por 1 ano a Vivo é financeiramente mais vantajosa, mas depois passa a ser mais cara.

No site da TIM só encontrei (após muito procurar, está super escondido) o plano de internet POR HORA!!!!! Eu usava isso em 1996, quando a Internet estava começando no Brasil. Como minha idéia é deixar o notebook conectado no trabalho, no horário comercial, utilizarei aproximadamente 180 horas mensais, excedendo inclusive as as 120 horas do maior plano. Só vejo vantagem nesse plano para quem ainda não usa Internet e quer experimentar. Isso não tem futuro, já que a tendência de utilização de Internet é ficar cada vez mais conectado. O Google já tem um sistema operacional que roda na Internet, sem precisar armazenar nada no computador, a grosso modo.

Não fui na loja da Claro, mas eles são iguais à Oi. Após consumir a franquia, ou paga-se 10 centavos por megabyte excedente ou fica sem conexão. O marketing deles é tão cara de pau que merece um post exclusivo! É pior que a internet por hora da TIM.

Estou conectado há 30 minutos, já baixei 125,2 MB e enviei 2,9MB, por conta de atualizações do Windows e do anti-virus. Certamente extrapolarei os 2GB de franquia, mas continuarei navegando com uma velocidade aceitável e não pagarei nada a mais por isso. Essa promoção da TIM tem o melhor custo-benefício, sem dúvidas.

Full HD

Desta vez quando digo “Full HD” não estou me referindo à qualidade de vídeo “Full High Definition”, mas ao Hard Disk do meu computador que está lotado até o talo!

Meu HD, cheio até a borda

Meu HD, cheio até a borda

Será que isso justifica comprar um HD Western Digital Caviar Green de 2TB? Ele é extremamente silencioso,  consume pouca energia e esquenta pouco, com 64MB de buffer (modelo WD20EARS).

O problema é o preço…

Vou ver se algum conhecido vai pros Estados Unidos, pois na Amazon sai por aproximadamente R$ 130! Senão compro na KabuM mesmo. Já comprei algumas coisas nessa loja, é muito boa.

Aqueda de um império

1999, 3º ano do 2º Grau, 17 anos

O antigo confronta o novo. De um lado, a modernidade do telefone celular, de outro, o charme do papel e tinta. Serão o papel e a tinta substituídos pela tecnologia do celular?

O papel vem sendo usado há mais de 1.000 anos pela humanidade, faz parte de nossa história, é nossa história. O papel perpetua um fato qualquer, é um documento aceito em qualquer parte do mundo. Se não fossem o papel e a tinta, a memória oral não passaria para nós esta imensidão de conhecimentos que recebemos através dele. O papel e a caneta têm seu charme, são baratos, acessíveis a qualquer pessoa, mesmo as mais abastadas. Outro grande ponto do papel e tinta é que estes mantêm seu anonimato, enquanto o celular informa timbre de voz, além do número de quem está do outro lado da linha.

O celular é o que há de mais moderno em termos de comunicação à distância. É extremamente prático, possibilita falar com qualquer pessoa em qualquer lugar a qualquer hora. É rápido, basta algumas tecladas e já está falando. É eficiente, em alguns segundos já está recebendo a resposta. É muito mais avançado que o papel, já que possibilita conversa em tempo real. É possível chamar um médico que está voltando do hospital para casa, de maneira que ele chegue a tempo de salvar o paciente, por exemplo. Além disso, o celular é quebrável e só funciona em determinadas áreas, o papel desmancha com a umidade e envelhece com o tempo. A traça come o papel e o celular é caro.

O papel está com os dias contados. A praticidade do celular é diretamente proporcional à idade do papel. A cada dia que se passa, mais recursos são incorparados ao celular, como jogos, agenda, calendário, secretária eletrônica, é-mail. O papel já desempenhou de maneira notável sua missão. O papel continuará existindo, é lógico, mas não para a comunicação, o celular se tornará, está se tornando, forma de comunicação mais utilizada no mundo. É o fim do império do papel.

Comentário da professora:

Você se esqueceu do item “c” da proposta.

A (in)segurança dos bancos

Quando eu era criança minha mãe abriu na Caixa Econômica Federal uma poupança pra mim. A conta existe até hoje, nunca soube qual é a senha, ainda mais porque ela está vazia. Sabe como é… a década de 80 foi complicada: superinflação, Plano Cruzado, Plano Collor, Sarney…

Conta Poupança na Caixa Econômica Federal na década de 80: senha de 6 números para os caixas.

Quando fui fazer faculdade abri uma conta universitária no Banco do Brasil. Não cobravam tarifa, davam R$ 200,00 de limite, tinha uma agência dentro da UFSCar e meu pai podia me mandar dinheiro lá de São João del-Rei quando a situação ficava preta. Fechei a conta quando vim pra São Paulo.

Conta Universitária no Banco do Brasil no início do século: senha de 6 dígitos para o cartão Visa Electron, caixas eletrônicos e Home Banking. Senha adicional de 4 dígitos para a Internet.

Quando comecei a trabalhar tive de abrir uma conta no Bradesco e o melhor: não pagava tarifa, além do que tem agência em tudo quanto é lugar, inclusive nos Correios. Parei de usar quando mudei de emprego.

Conta Corrente no Banco Bradesco em 2010: senha de 6 dígitos para o cartão de débito Visa Electron, senha de 4 dígitos para o cartão de crédito Visa, senha de 4 dígitos para o Home Banking e tele-atendimento e cartão de senhas com 50 senhas para o Home Banking.

Agora que mudei de emprego tive de abrir uma conta no Santander. Apesar de não pagar tarifas, desisti de usar quando soube do número de senhas diferentes que teria de memorizar…

Conta Corrente no Banco Santander nos dias atuais: senha de 4 dígitos para o Cartão de Crédito/Débito Visa, senha de 4 dígitos para o Cartão de Crédito/Débito Master Card, senha de 6 dígitos para a Internet, senha de 4 dígitos para o tele-atendimento, cartão de senhas com 50 senhas para a Internet, senha de 6 dígitos para o tele-atendimento, senha de 3 letras para o caixa-eletrônico.

Como é que um banco pede pra um reles mortal manter 7 senhas diferentes para utilizar seus serviços? Imagina um idoso com Mal de Alzaimer ou uma pessoa com dificuldade em decorar números… com certeza vai anotar tudo em um papel ou usar a mesma senha nos 7 lugares, ou seja, pra quê isso?

Crônicas de Narnia – Livro e Filme

Passei 8 anos de minha vida indo de metrô para o trabalho e li inúmeros livros durante esse tempo, ocupando os 20 minutos o trajeto com algo útil.

Agora que estou trabalhando longe de casa, mesmo que usando transporte público apenas alguns dias na semana, sinto essa necessidade de ler ainda maior.

Comprei a coleção Narnia, de C. S. Lewis e já estou no 4º livro: “Prince Caspian”. É, comprei em inglês, pois além de passar o tempo me ajuda a treinar a língua da rainha.

The Chronicles of Narnia - Prince Caspian

The Chronicles of Narnia - Prince Caspian

Ontem assisti o filme “Crônicas de Narnia – Príncipe Caspian” e existem incontáveis diferenças, no entanto uma em especial é injustificável: por quase 30 minutos do filme animais voadores levam os reis e rainhas ao castelo do tio malvado, eles abrem os portões, os antigos narnianos entram no castelo, Caspian resgata o tutor e tenta matar o tio, o tio foge do quarto, consegue cercar os narnianos, que fogem em disparada, mas diversos ficam presos no castelo, sendo mortos a sangue frio, criando a desculpa para Miraz atacar Narnia.

Não há absolutamente nada disso no livro!

  • Peter, Edmund, Lucy, Susan e Caspian não tentam invadir o castelo em momento algum
  • Não aparece um único animal voador grande o suficiente pra carregar uma pessoa, a não ser os passarinhos cantando ou levando mensagens
  • Caspian não resgata o tutor do castelo, ele foge e encontra Caspian com os antigos narnianos
  • Caspian não tenta matar o tio em momento algum do livro
  • No livro Miraz nunca faz um único conselho com seus lordes e nem cria uma desculpa para atacar os narnianos, ele simplesmente sai com sua tropa para matar Caspian

Eu não sei qual foi a idéia do diretor em inventar uma passagem tão absurda em um livro com tanto detalhe!

No entanto algumas cenas ficaram excelentes no filme, melhor que no livro (não leia se ainda não leu/assistiu a história):

  • No filme Nikabrik e seus dois comparsas conjuram a White Witch, que aparece congelada em um portal de gelo, encantando Caspian para ter uma gota de seu sangue e Edmund destrói o portal enquanto Peter, Trumpkin e Trufflehunter matam os 3 revoltosos. Bem mais interessante que no livro, onde antes mesmo da bruxa desenhar o círculo no chão Peter, Edmund e Trumpkin entram na sala -escura- e matam os 3 revoltosos. Lewis teria ficado orgulhoso da idéia da Jadis aparecer em um portal de gelo, encantando Caspian e Edmund quebrando o portal, pois está 100% relacionado com a história do livro “The Lion, The Witch and the Wardrobe”.
  • No filme o duelo entre Miraz e Peter é sensacional, parecendo um verdadeiro duelo medieval. Nada parecendo um ringue de boxe como no livro. No filme Peter vence, Caspian não mata o tio por não ser um tirano e Glozelle enfia uma flecha da Susan em Miraz, pra sugerir traição. No livro Peter não chega a vencer, Miraz apenas tropeça, cai e Glozelle já sai gritando “Traição, Traição, o traidor narniano apunhalou-o pelas costas enquanto ele estava indefeso. Para as armas, para as armas Telmar!
  • Aslan “destorcer” duas árvores para formar o portal para o nosso mundo, além de Peter, Edmund, Lucy e Susan não terem de trocar de roupa é muito mais interessante que uma porta de varetas e os 4 trocando de roupa antes de entrar no portal… como se tivessem precisado quando voltaram pelo guarda roupa.
  • O brutamonte anão Trumpkin no filme, muito mais parecido com os anões de Senhor dos Aneis, é mais convincente que o franzino anão do livro, que mais parece um duende.
  • Particularmente achei que o bacanal, literalmente, ficou sobrando no livro, bem como a excursão de Aslan pelas escolas e cidades no fim do livro. Não incluir no filme foi uma decisão acertada.

Gostei do filme, é bem fiel à história, a maioria das diferenças são em relação à ordem em que os eventos aconteceram ou algum outro pequeno detalhe, mas o livro continua sendo superior.

A história de Narnia, o medo que os telmarinos têm das florestas e do mar, os animais falantes se escondendo, buscando a liberdade, além da grandiosidade da entidade que é o Aslan e da dificuldade de Peter, Edmund e Susan em vê-lo não transparecem no filme mas ditam o tom do livro.

Limpeza com vapor

Sempre achei o máximo aquelas máquinas vaporizadoras que limpam com vapor em alta pressão, igual ao Vaporetto ou SkyVap que víamos na TV há alguns anos.

Resolvi comprar pra limpar as pedras do quintal e os azuleijos da cozinha e banheiro. Não encontrei em nenhuma loja, só pela Internet. Até Casas Bahia, Extra, Ponto Frio, Magazine Luíza e Americanas vendem pela Internet mas não vendem em lojas.

Fiquei com receio de ser mais produto de marketing que algo que funciona mesmo, então resolvi pesquisar quais são as opções disponíveis pra ver se alguma vale a pena.

  • Intech Machine Vapor Clean – R$ 230 – 700ml
  • Britânia Super Clean – R$ 280 – 1250ml
  • Steamfast SF-260A – R$ 315 – 950 ml – vende em várias lojas
  • Eterny SC-360 – R$ 370 – em falta
  • Fun Kitchen Vappo – R$ 400 – 1200ml – Só no shoptime
  • Steamfast SF-276 – R$ 500 – 1500ml – vende em várias lojas
  • Lavor Wash Skyvap – R$ 570 – 1600ml
  • Wap Wapore Clean – R$ 600

Pelo visto, a Skyvap é a melhor (e mais cara). No entanto, mesmo o Sky Vap está cheio de reclamações no Reclame Aqui

Update: comprei um Wap Wapore Clean na Leroy Merlin por 430 reais, em 10 vezes. Realmente ele limpa, sai bastante vapor, são 45 minutos de autonomia, mas é um processo beeeem demorado. Limpar o banheiro 1 vez? Excelente. Limpar o banheiro toda semana? Nem pensar.

Lâmina para Guilhotina

Tenho uma guilhotina (na verdade uma refiladora) da Maped, que veio com duas lâminas extras, mas a segunda já está na meia vida.

Foi um custo encontrar mais lâminas para comprar, mas consegui achar na Nagem e na Staples.

Consumo de Álcool e Gasolina

Desde quando trocamos de carro no ano passado nós anotamos data, quilometragem, litros abastecidos e preço do litro quando enchemos o tanque de combustível.

Como o carro é Flex, as vezes abastecemos com álcool (que agora chamam de Etanol) e as vezes com gasolina, dependendo do preço que mais compensa.

Abastecimentos com Álcool e Gasolina

Abastecimentos com Álcool e Gasolina (em litros, por mês)

A conta que ensinam é multiplicar o preço da gasolina por 0,7, chegando no maior valor a se pagar no álcool. Por exemplo, se a gasolina está R$ 2,50, multiplicando por 0,7 chega-se ao valor 1,75. Ou seja, se o álcool estiver custando menos de R$ 1,75, compensa abastecer com álcool.

Com base nos dados que anotamos, chegamos a algumas estatísticas nestes 18 meses com o carro:

  • Já percorremos 16.058 quilômetros com o carro.
  • Abastecemos 24 vezes com álcool, com preço médio de R$ 1,42, mínimo de R$ 1,15 e máximo de R$ 1,89, totalizando 768 litros de álcool .
  • Abastecemos 18 vezes com gasolina, com preço médio de R$ 2,47, mínimo de R$ 2,23 e máximo de R$ 2,60, totalizando 567 litros de gasolina.
  • O maior abastecimento foi com 46,9 litros de álcool.
  • O abastecimento mais caro foi R$ 114,94, quando enchemos o tanque com 44,4 litros de gasolina a R$ 2,59, em uma viagem.
  • A maior distância que já percorremos com um tanque foram 530 km, consumindo 44,7 litros de gasolina (média de 11,8km/l), nesta mesma viagem.
  • A menor distância que já percorremos com um tanque foram 286 km, consumindo 42,1 litros de álcool (média de 6,8km/l), no trânsito engarrafado de São Paulo.
  • O consumo médio com álcool foi de 8,5 km/l.
  • O consumo médio com gasolina foi de 10,5 km/l.

A conclusão que chegamos é que na maioria das vezes vale a pena abaster com álcool.

Em viagens sempre abastecemos com gasolina antes de sair de São Paulo, em um posto de confiança, pra ter de abastecer o mínimo possível na estrada, em postos que não conhecemos.

Fazemos isso pois com gasolina conseguimos rodar uma distância maior antes de ter de abastecer de novo. Dependendo da distância dá pra chegar no local de destino sem reabastecer e abastecer lá antes de voltar, perguntando pros moradores qual posto é bom.

Sherlock Holmes, Londres e Infância

Baker Street 221bQuando ainda estava na escola, por volta da 6ª ou 7ª série eu lia muito. Gostava pra caramba de Agatha Christie e Sidney Sheldon. Foi pouco depois que o Armando me indicou o livro “Um Estudo em Vermelho”, do escritor Sir Arthur Conan Doyle. É o primeiro livro onde aparece o célebre detetive Sherlock Holmes e foi após ler este livro que apaixonei ainda mais pelas histórias de detetive.

Quando minha irmã estava montando o roteiro de Londres, o único lugar que eu não abria mão de visitar era o pequeno museu do Sherlock Holmes, na Baker Street número 221b.

Na verdade esse número nem existia na rua, mas por conta da popularidade que a casa teve, foi mais tarde criado e transformado no Sherlock Holmes Museum. Até a estão de metrô da redondeza (chamada Baker Street, obviamente) tem em sua decoração a silhueta de Sherlock Holmes.

Comprei lá o livro de bolso “The Adventures of Sherlock Holmes” por 7 libras, que tem acabamento impecável, incluindo borda dourada, como naquelas bíblias chiques. Leio no metrô, no caminho de casa-trabalho-casa e já estou quase terminando. Daria para ter comprado a coleção completa de Sherlock Holmes por 20 libras, mas este é um livro de quase 3 quilos, que deixa o volume único do Senhor dos Anéis parecendo uma agendinha…

Acabei de assistir o filme Sherlock Holmes e achei simplesmente fantástico! A amizade do detetive e seu fiel companheiro Dr. Watson foi muito bem caracterizada. No entanto achei o personagem do Dr. Watson no filme brasileiro “O Xangô de Baker Street” muito mais próximo do que eu imaginava ao ler o livro.

Estação de metrô Baker Street

Estação de metrô Baker Street

No filme tem uma hora que Sherlock Holmes descreve o trajeto que ele fez pelas ruas de Londres dentro de uma carruagem. Muito legal poder identificar os lugares, inclusive Holborn, que foi onde ficamos.

Também foi legal ver no filme a Tower Bridge sendo construída. Fomos lá, vimos as fotos e a história da construção, andamos pela sala de máquinas e subimos na passarela. Só não vimos ela abrindo.

Que saudade de Londres!

Beber e [não] dirigir

Beber e dirigir é uma opção. O governo tenta, mas não consegue convencer a população.

O Bar Aurora conseguiu de uma forma bem interessante.

%d blogueiros gostam disto: