Arquivos de Categorias: Bike Comute

#25 – Muito trânsito na ida

Fazia mais de um mês que eu não ia de bicicleta pro trabalho, estava até desacostumado do trânsito de segunda feira! Como tinha carro, ônibus, moto e caminhão na rua!

Desde que comecei a marcar a velocidade máxima, hoje tive a maior velocidade máxima na ida: 41,2km/h. Na volta foi normal, voltei mais tarde e praticamente não peguei trânsito.

Ida: gastei 31min e 33s para percorrer 9,09km com velocidade média de 17,3km/h e máxima de 41,2km/h.

Volta: gastei 29min e 8s para percorrer 8,57km com velocidade média de 17,7km/h e máxima de 38km/h.

#24 – Chuva

Hoje fui novamente de bicicleta pro trabalho e voltei a usar a máscara contra poluição. Foi uma pedalada sem complicações e fui bem na moral.

Na volta peguei chuva pela primeira vez. Não uma chuva torrencial, estava mais para uma garoa fina. Já na Zona Norte tinha parado totalmente. Usei a capa de chuva que minha irmã trouxe pra mim do Canadá e perto de casa eu já estava suando tanto que a água escorria pelo meu braço, por dentro da capa.

Enquanto chovia a capa ajudou bastante a deixar as costas e o peito secos, mas as pernas e o tênis se molharam todos.

O pára-lamas dianteiro ajudou muito e dessa vez, com muito mais água na rua, não fiquei comendo barro

A bicicleta já estava suja e com o câmbio enroscando pra passar marcha, agora então, ficou uma lama só! Vou ter de mandar fazer a revisão geral agora, com 600km rodados. Eu queria esperar até os 1000km, mas os meses em que ela ficou dependurada na área de serviço sem uso foram terríveis!

Ida: não marquei

Volta: gastei 32m22s para percorrer 8,5km com velocidade média de 15,7km/h e máxima de 27,8km/h. Das que eu marquei, foi a menor velocidade máxima, quase 10km/h a menos que a segunda menor.

#23 – A volta

A última vez que havia ido e voltado para o trabalho de bicicleta foi dia 22 de setembro, faz mais de 4 meses!

Fiquei tanto tempo sem usar a bicicleta que acabei esquecendo a senha do cadeado… e sem colocar cadeado na bicicleta eu não iria pro trabalho, deixar ela lá, dando sopa. Ta certo que a minha era a única a ficar presa, mas prefiro assim. Felizmente quando comprei a Caloi 100 Sport pra Marcela comprei também um cadeado pra mim e outro pra ela, dessa vez de chave e não de segredo.

Aproveitei o tempo bom, tirei a poeira (e a ferrugem) da bike e na sexta-feira fui pro trabalhando pedalando. Havia usado a máscara na reforma do banheiro e acabei indo sem máscara mesmo, preciso comprar uma nova. Na volta fiquei atrás de tantos ônibus na Av. Tiradentes respirando aquela fumaça preta…

Ida: gastei 29min e 35s para percorrer 9,11km com velocidade média de 18,5km/h.

Volta: gastei 34min e 21s para percorrer 8,52km com velocidade média de 14,8km/h e velocidade máxima de 38km/h.

#22 – Aposentadoria da máscara

Hoje comprei uma nova máscara (a mesma valvulda da 3M, modelo 8822), podendo aposentar a máscara que usei pela primeira vez na 6ª vez que fui de bicicleta para o trabalho. Usei ela apenas 15 vezes e é impressionante como pegou poluição.

Máscara da 3M

Máscara da 3M, uma foi usada 15 vezes e a outra é nova

Não preciso nem dizer qual é a nova e qual é a usada 15 vezes né? Vale ressaltar que ambas eram brancas quando nova. Os caras do trabalho ficam caçoando de mim quando digo que ando de bicicleta de máscara, pra ir e voltar do trabalho… mas essa foto só me deixa mais confiante em usá-la.

Segundo o site da 3M esse respiradouro é indicado para proteção das vias respiratórias contra fumos e poeiras tóxicas como: asbestos (até 2 fibras/cm3, fibras de vidro, pó de carvão, ferro, alumínio, fumos de solda e outros particulados até 10 vezes o seu limite de tolerância.

Como a máscara não filtra vapores orgânicos, quando passo atrás de um ônibus ou caminhão, o que é bem comum no trajeto que faço, eu não sinto o cheiro da fumaça preta que sai deles, sinto o cheiro do óleo diesel! A máscara protege meus pulmões, mas não os poros da minha pele. Até o suor fica sujo, como pode ser visto na parte interna da máscara.

Máscara da 3M

Interior da máscara da 3M, uma foi usada 15 vezes e outra é nova

Convencer os ciclistas a usarem máscara quando forem andar no trânsito é o mesmo que convencer um fumante a parar de fumar. Essas duas fotos são como se fossem as fotos das caixas de cigarro, você vê que não usar vai ter fazer mal, mas a decisão de usar ou não é sua.

Pelo menos já fico feliz por saber que o uso de capacete já é tido como primordial para a maioria dos ciclistas sérios.

Ida: gastei 29min e 19s para percorrer 9,05km com velocidade média de 18,6km/h e velocidade máxima de 37,3km/h.

Volta: gastei 28min e 46s para percorrer 8,58km com velocidade média de 17,9km/h e velocidade máxima de 35km/h.

#21 – Dia Mundial sem Carro

Hoje, dia 22, é o Dia Mundial sem Carro e eu vou pela 21ª vez para o trabalho de bicicleta.

Fui a primeira vez com os refletores que colei no quadro e com as luzinhas que comprei no Deal Extreme por US$ 2,80. Pra colar os refletores no quadro eu cortei aquela fita reflexiva da 3M que o Denatran obriga caminhões e baú de moto usarem. Quem for fazer isso, muito cuidado, pois a borda da fita é altamente cortante. Depois de colar percebi que eu estava com 2 dedos de cada mão com micro cortes.

Também foi a primeira vez que fui com a jaqueta à prova d’água da Marmot que minha irmã comprou pra mim. No fundo eu estava torcendo pra chover 🙂

Não deu pra ir na bicicletada à noite mas já fiz minha parte.

Ida: gastei 29min e 21s para percorrer 9km com velocidade média de 18,4km/h e velocidade máxima de 33,6km/h.

Volta: gastei 30min e 23s para percorrer 8,59km com velocidade média de 16,9km/h e velocidade máxima de 37,5km/h.

#20 – Bicicleta voando

Consegui a proeza de gastar na ida o mesmo tempo que gastei na quinta feira passada, última vez que havia ido de bicicleta para o trabalho, é o meu recorde pessoal na ida. Será que o trânsito de quinta feira em São Paulo é menos caótico e congestionado? Nessa ida também fiz minha maior velocidade média.

Ida: gastei 26min e 59s para percorrer 8,97km com velocidade média de 20km/h e velocidade máxima de 37,3km/h.

Volta: gastei 29min e 57s para percorrer 8,58km com velocidade média de 17,2km/h e velocidade máxima de 35,1km/h.

#19 – Recordes de velocidade

Essa foi minha ida mais rápida, onde também fiz a maior velocidade máxima tanto na ida quanto na volta. A volta foi a segunda mais rápida.

Ida: gastei 26min e 59s para percorrer 8,94km com velocidade média de 19,9km/h e velocidade máxima de 40,7km/h.

Volta: gastei 27min e 45s para percorrer 8,58km com velocidade média de 18,5km/h e velocidade máxima de 41,8km/h.

#18 – Velocidade máxima da bicicleta

Depois do passeio de Mairiporã eu zerei o cronômetro, então passarei a medir também a velocidade máxima nos trajetos da casa ao trabalho e do trabalho até casa. Até então minha máxima são 59km/h em uma descida na rodovia que liga São Paulo a Mairiporã. O Thomás chegou a 62km/h!

Ida: gastei 29min e 45s para percorrer 9km com velocidade média de 18,2km/h e velocidade máxima de 37,9km/h.

Volta: gastei 30min e 19s para percorrer 8,58km com velocidade média de 17km/h e velocidade máxima de 39km/h.

#17 – Liberdade, liberdade

Minha mochila pesava quase 6 quilos com o terno, sapato, sabonete e desodorante e ia no bagageiro da bicicleta, agora ela pesa menos de 3 sem esses itens e vai nas costas. É muito melhor pedalar com a bicicleta leve, sem medo de passar em um buraco e a mochila cair ou ficar dependurada pelo bagageiro…

Agora eu também estou controlando mentalmente a marcha dianteira e traseira, para não precisar ficar olhando para os passadores durante o trajeto. Não cheguei a contar o número de vezes que eu troco de marcha, mas deve ser próximo de 100 vezes.

Saber em qual marcha estou é muito útil para reduzir na hora de parar num semáforo, quando um carro entra na frente, quando vou cruzar uma rua ou quando os carros estão perto da guia e tenho de passar mais devagar.

Eu sei que a minha melhor arrancada (levando em consideração torque e velocidade) é na marcha 2/5, que mudo para 3/5 assim que pego velocidade. Sempre que vou parar eu reduzo para 2/5 e sempre que preciso frear eu tento reduzir para 2/6. Está facilitando bastante ter esse controle mental das marchas.

Ida: gastei 28m e 39s para percorrer 9,12km, com velocidade média de 19,1km/h.

Volta: gastei 29m e 43s para percorrer 8,66km, com velocidade média de 17,5km/h e velocidade máxima de 34,4km/h.

#16 – Bicicleta cargueira

Bicicleta com bagageiro cheio de caixasA ida para o trabalho até que foi bem rápida, a segunda mais rápida das 12 que cronometei, já a volta… foi a mais lenta de todas.

Na hora do almoço comprei na Camicado da Rua 25 de Março 6 engradados plásticos para a Marcela guardar seus materiais de fazer os sabonetes artesanais. Demorei uns 20 minutos para prender todos eles bem firmes no bagageiro da bicicleta, com muito custo. Além de parecer um entregador de pizza, a rua estava molhada e já estava escuro, eu não sabia se a água na minha frente era só uma poça d’água ou um buraco aberto pela prefeitura… resumindo: voltei bem devagar.

Ida: gastei 28m e 49s para percorrer 9,14km, com velocidade média de 19,1km/h.

Volta: gastei 35m e 9s para percorrer 8,61m, com velocidade média de 14,7km/h.

#15 – Corrrendo no Trânsito

Eu nunca corri tanto com a bike como nesta ida para o trabalho. Só não bati o recorde de velocidade média pois peguei um trânsito infernal e tive de ficar cortando entre os carros, tanto que foi a maior distância que percorri entre casa e trabalho, 110m a mais que a média.

Saí do trabalho às 21:45 e corri até onde deixo a bicicleta, que fecha às 22h. Tive de bater na porta pra abrirem pra mim, troquei de roupa voando e catei a bicicleta, morrendo de medo de me deixarem trancado lá! Corri tanto na volta, que não tinha trânsito algum e as ruas estavam bem vazias, que acredito que bati o recorde de velocidade entre trabalho e casa, mas não tenho certeza… a pressa em não ficar preso foi tanta que esqueci de colocar o Cateye na bicicleta!

Ida: 28m e 49s para percorrer 9,23km, com velocidade média de 19,2km/h.

Volta: creio que fiz em uns 25 minutos…

#14 – Tudo normal

Essa ida de bicicleta para o trabalho foi bem normal, a volta também…

Ida: gastei 29m 38s para percorrer 9,09km com velocidade média de 18,4km/h.

Volta: gastei 32m 33s para percorrer 8,66km com velocidade média de 15,9km/h.

#13 – Quase verão

Essa ida pro trabalho foi bem tranqüila, fui e voltei na manha. Dessa vez não levei minha filha na escola… mas acabei fazendo um caminho que é pior do que eu faço quando deixo ela lá primeiro, muito trânsito, tem de ficar parando a bicicleta o tempo todo.

Ida: gastei 29m 52s, percorrendo 9,10km com velocidade média de 18,3km/h.

Volta: gastei 30m 27s, percorrendo 8,57km com velocidade média de 16,9km/h.

#12 – Ida normal ao trabalho

Foi normal, tirando que peguei todos os semáforos fechados na volta…

Ida: gastei 28m 41s, percorrendo 9,12km com velocidade média de 19,0km/h.

Volta: gastei 31m 57s, percorrendo 8,8km com velocidade média de 16,2km/h.

#11 – Frio de matar

Hoje tomei coragem e novamente fui de bicicleta para o trabalho, mesmo com todo esse frio que está fazendo aqui em São Paulo. Fiz a maior velocidade média até agora, pois a Cruzeiro do Sul estava vazia depois da ponte 19,5km/h.

Fui com uma calça e uma blusa Termotex, da Solo, que é uma daquelas roupas fininhas, segunda pele, mas senti um frio no peito que me fez repensar naquele anorak impermeável que vi na Decathlon do Center Norte

Ida: gastei 27m 51s para chegar, percorrendo 9,07km com velocidade média de 19,5km/h.

Volta: gastei 29m 17s para chegar, percorrendo 8,53km com velocidade média de 17,4km/h.

%d blogueiros gostam disto: